Estação de Transbordo de Pirajá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a estação metroviária, veja Estação Pirajá.
Estação Pirajá
Uso atual estação de transbordo
Administração CCR Metrô Bahia[1]
Linhas 46 linhas urbanas[2]
Movimento em 2011 130 mil passageiros/dia[3]
Serviços Terminal rodoviário Restaurante Farmácia
Informações históricas
Inauguração 25 de novembro de 1994 (25 anos)[4]
Localização
Localização Rua da Indonésia, Campinas de Pirajá, Salvador, Bahia[4]

A Estação Pirajá é um terminal rodoviário localizado na cidade de Salvador, Bahia. É a segunda mais movimentação estação de transbordo da cidade. Localizado na região do miolo, o terminal tem uma área total de 22 mil metros quadrados, sendo 5,81 mil metros quadrados construídos e 3.567 metros quadrados urbanizados.[4] Integram a infraestrutura da estação: banheiros, telefones, lanchonetes, farmácia, banco popular, casa lotérica, postos do Juizado de Menores e da Polícia Militar do Estado da Bahia (PMBA).[3]

Em 2011, eram cerca de 130 mil passageiros diariamente e 38 linhas urbanas (12 troncais e 26 alimentadoras).[3] Dados de início de 2015, apontam para 125 mil passageiros em circulação diariamente e 46 linhas de ônibus.[2][5][6]

Com três plataformas de embarque,[3] foi construída para substituir a Estação Nova Esperança[7] com inauguração em 1994 e reforma entre abril e dezembro de 2000.[4]

Pirajá compõe a infraestrutura do Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus de Salvador (STCO), ao lado das estações da Lapa, da Rodoviária, de Mussurunga, do Aquidabã e do Iguatemi e dos terminais centrais da Barroquinha, da Praça da Sé, do Campo Grande e da França. No entanto, Pirajá e Mussurunga são as únicas a permitir a integração físico-tarifária.[8]

Com a licitação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas (SMSL) e o convênio anterior entre as duas prefeituras e o governo estadual em 2013, a estação foi incluída no processo e passou para a administração estadual.[9] Em abril de 2014, a administração da estação foi transferida para a CCR Metrô Bahia, operadora do SMSL.[1][10] Dessa forma, será reformada para integração física e tarifária com a futura estação metroviária de Pirajá.[11][12]

Segunda reforma da estação foi iniciada em março de 2015, prevista para durar seis meses. Realizadas sem interromper o transporte por ônibus, as obras incluem a ligação com a futura estação metroviária homônima, melhoria da acessibilidade com escadas rolantes, elevadores, piso tátil e banheiros adaptados, nova área comercial, adequação viária dos acessos, cobertura reformada e ampliação dos banheiros.[6][2][5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b CORREIO (11 de abril de 2014). «Três estações de ônibus serão recuperadas e administradas por companhia do metrô». Consultado em 5 de maio de 2014 
  2. a b c Da Redação (5 de março de 2015). «Reforma na Estação Pirajá começa com mudança em parada de linhas». Correio. Consultado em 11 de Março de 2015 
  3. a b c d Gisele Santana e Naiana Madureira. «CONHEÇA AS MAIORES ESTAÇÕES DE TRANSBORDO DE SALVADOR». Impressão Digital 126. Consultado em 20 de junho de 2014 [ligação inativa]
  4. a b c d TRANSALVADOR. «Estação Pirajá». Consultado em 20 de junho de 2014 
  5. a b Jessica Sandes (5 de março de 2015). «Estação Pirajá começa a ser modernizada». A Tarde. Consultado em 11 de Março de 2015 
  6. a b Yuri Abreu (5 de março de 2015). «Estação Pirajá será modernizada e integrada ao metrô». Tribuna da Bahia. Consultado em 11 de Março de 2015 
  7. David Mendes e José Marques (2 de Outubro de 2012). «Debate Aratu: Hamilton completa interrupção de Kertész em debate da Record; 'Ele não fez a Estação Pirajá'». Bahia Notícias. Consultado em 20 de junho de 2014 
  8. SANTOS, José Lázaro C. Desafios para a Mobilidade da Região Metropolitana de Salvador - Bahia. Disponível em: http://www.nossasalvador.org.br/site/colunas/153-desafios-para-a-mobilidade-da-regiao-metropolitana-de-salvador-bahia Arquivado em 27 de dezembro de 2013, no Wayback Machine.. (Trechos do trabalho apresentado no 4º Congresso de Infraestrutura de Transportes, 2010, SP).
  9. BAHIA NOAR (12 de abril de 2014). «Estações de Pirajá, Mussurunga e Iguatemi terão gestão estadual». Consultado em 18 de junho de 2014 
  10. ARAGÃO, Fernanda (10 de abril de 2014). «Estações de transbordo passam para CCR semana que vem; metrô apresentou poucas falhas». Consultado em 5 de maio de 2014 
  11. Tribuna da Bahia. «Metrô de Salvador a Lauro de Freitas começa a ser discutido». SINDIFERRO. Consultado em 18 de junho de 2014 
  12. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO. «Anexo 4 - Elementos de Referência de Projeto» (PDF). Consultado em 5 de Maio de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]