Estação de Transbordo do Iguatemi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estação de Transbordo do Iguatemi
Vista aérea da Estação.
Uso atual Em obras
Informações históricas
Inauguração 30 de dezembro de 1988 (28 anos)[1]
Fechamento 26 de dezembro de 2015 (1 ano)[2]
Localização
Localização Avenida Tancredo Neves, Caminho das Árvores, Salvador, Bahia[3]

A Estação de Transbordo do Iguatemi foi um terminal rodoviário localizado na cidade de Salvador, Bahia. O terminal tinha uma área total de 3.050 metros quadrados, sendo 2.814 metros quadrados construídos e 2.300 metros quadrados urbanizados.[3] Foi construída sobre o leito do Rio Camarajipe, quando o rio alcança 20 metros de largura.[4].

Iguatemi compôs a infraestrutura do Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus de Salvador (STCO), ao lado das estações da Lapa, da Rodoviária, de Pirajá, do Aquidabã e de Mussurunga e dos terminais centrais da Barroquinha, da Praça da Sé, do Campo Grande e da França. Localizada próximo ao Iguatemi Salvador e ao Terminal Rodoviário de Salvador, encontrava-se saturada até a sua desativação.[5] Inaugurada em 30 de dezembro de 1988, a Estação Iguatemi é conectada a esses dois locais pela maior passarela da cidade, criada pelo arquiteto João Filgueiras, mais conhecido como Lelé.[1] Sua concepção fazia parte de um projeto não concluído de transporte de alta capacidade utilizando ônibus articulados em canaletas exclusivas nas avenidas de vale. Entrou em reformas entre abril e dezembro de 2000, na gestão de Antônio Imbassahy.[6]

Com a licitação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas (SMSL) e o convênio anterior entre as duas prefeituras e o governo estadual em 2013, a estação foi incluída no processo e passou para a administração estadual.[7] Em abril de 2014, a administração da estação foi transferida para a CCR Metrô Bahia, operadora do SMSL.[8] No dia 26 de dezembro de 2015, ela foi desativada para dar início às obras da estação metroviária da Rodoviária.[9][10][11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA. «MARIO KERTÉSZ». Consultado em 20 de junho de 2014 
  2. G1 BA. «Obras mudam linhas de ônibus e desativam Transbordo Iguatemi». G1. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  3. a b TRANSALVADOR. «Estação Iguatemi». Consultado em 20 de junho de 2014 
  4. http://www.biodiversityreporting.org/article.sub?docId=435&c=Brazil&cRef=Brazil&year=2002&date=June+2001
  5. SANTOS, José Lázaro C. Desafios para a Mobilidade da Região Metropolitana de Salvador - Bahia. Disponível em: http://www.nossasalvador.org.br/site/colunas/153-desafios-para-a-mobilidade-da-regiao-metropolitana-de-salvador-bahia. (Trechos do trabalho apresentado no 4º Congresso de Infraestrutura de Transportes, 2010, SP).
  6. Daniel J. Mellado Paz (julho de 2006). «Lele´s update: A apropriação da arquitetura como tecnologia e algumas reflexões sobre o tema – parte 1». Arquitextos, ano 07. Vitruvius. Consultado em 20 de junho de 2014 
  7. BAHIA NOAR (12 de abril de 2014). «Estações de Pirajá, Mussurunga e Iguatemi terão gestão estadual». Consultado em 18 de junho de 2014 
  8. ARAGÃO, Fernanda (10 de abril de 2014). «Estações de transbordo passam para CCR semana que vem; metrô apresentou poucas falhas». Consultado em 5 de maio de 2014 
  9. Tribuna da Bahia. «Metrô de Salvador a Lauro de Freitas começa a ser discutido». SINDIFERRO. Consultado em 18 de junho de 2014 
  10. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO. «Anexo 4 - Elementos de Referência de Projeto» (PDF). Consultado em 5 de Maio de 2014 
  11. G1 BA. «Obras mudam linhas de ônibus e desativam Transbordo Iguatemi». G1. Consultado em 28 de dezembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estação de Transbordo do Iguatemi