Estadismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na ciência política, estadismo ou estatismo é a crença de que o Estado deve controlar a economia, a sociedade, ou ambos, em algum nível[1] . O Estadismo é o oposto do Anarquismo[1] , e um indivíduo que apoia a existência do estado é um estadista.

Estadistas notáveis[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Levy, Jonah D (2006). The State After Statism: New State Activities in the Age of Liberalization (Cambridge, MA: Harvard University Press). p. 469. ISBN 978-0-674-02276-8. 
    • Obadare, Ebenezer (2010). Statism, Youth, and Civic Imagination: A Critical Study of the National Youth Service Corps Programme in Nigeria (Dakar Senegal: Codesria). ISBN 978-2-86978-303-4. 
    • Kvistad, Gregg (1999). The Rise and Demise of German Statism: Loyalty and Political Membership (Providence [u.a.]: Berghahn Books). ISBN 978-1-57181-161-5. 
    • Bakunin, Mikhail (1990). Statism and Anarchy (Cambridge: Cambridge University Press). ISBN 978-0-521-36182-8.