Estado Maior Conjunto das Forças Armadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estado Maior Conjunto das Forças Armadas
Emcfa.gif
Bandeira-insígnia do chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas do Brasil.
País  Brasil
Corporação Forças Armadas do Brasil
Subordinação Ministério da Defesa
Sigla EMCFA
Criação 6 de setembro de 2010 (5 anos)
Comando
Chefe Ademir sobrinho (Almirante de esquadra)
Ministro da Defesa Aldo Rebelo
Sede
Endereço Esplanada dos Ministérios, Bloco Q, Brasília, DF
Internet defesa.gov.br/forcas-armadas/estado-maior-conjunto

Estado Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) é um órgão do Ministério da Defesa do Brasil, que centraliza a coordenação dos comandos das Forças Armadas: Exército, Marinha e Aeronáutica.[1]

Foi criado através da lei complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010, e tem na portaria nº 1429 as suas diretrizes de funcionamento.[1]

Cquote1.svg Assessorar o ministro da Defesa na direção superior das Forças Armadas, objetivando a organização, o preparo e o emprego, com vistas ao cumprimento de sua destinação constitucional e de suas atribuições subsidiárias, tendo como metas o planejamento estratégico e o emprego conjunto das Forças Singulares. Cquote2.svg
Missão do EMCFA[2]

Chefe do EMCFA[editar | editar código-fonte]

O chefe do EMCFA é indicado pelo ministro da Defesa e nomeado pelo Presidente da República, tal como os comandantes das forças e terá o mesmo nível hierárquico destes e ascendência sobre todos os demais militares de qualquer uma das Força, exceto sobre os próprios comandantes. O cargo será ocupado por um oficial-general do último posto (quatro estrelas) tanto da ativa, como da reserva e, se for da ativa, irá automaticamente para a reserva após a nomeação, como também acontece com os comandantes de cada uma das Forças.[1]

Cquote1.svg Fica muito claro que competirá ao chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, o emprego. E aos comandantes das Forças, o preparo. Daí porque o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas tem a mesma hierarquia e a mesma linha de prioridade dos comandantes de Forças. Cquote2.svg
Nelson Jobim, na cerimônia de criação do EMCFA[1]

Em 6 de setembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, nomeou o general de exército José Carlos de Nardi — à época comandante Militar do Sul — como chefe do EMCFA.[3] Foi reconduzido ao cargo em ambos os mandatos da presidente Dilma Rousseff, com os ministros Nelson Jobim, Celso Amorim e Jaques Wagner.[4]

Nome Início Fim Ministro da Defesa Presidente
1 José Carlos de Nardi 6 de setembro de 2010 31 de dezembro de 2010 Nelson Jobim Luiz Inácio Lula da Silva
1 de janeiro de 2011 4 de agosto de 2011 Dilma Rousseff
4 de agosto de 2011 31 de dezembro de 2014 Celso Amorim
1 de janeiro de 2015 Jaques Wagner

Referências

  1. a b c d Romildo, José (25 de agosto de 2010). "Presidente Lula sanciona lei da Nova Defesa" (em português). Ministério da Defesa. Consult. 27 de junho de 2015. 
  2. "Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA)" (em português). Ministério da Defesa. Consult. 27 de junho de 2015. 
  3. "Jobim dá posse ao primeiro Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas" (em português). Forças Terrestres. 7 de setembro de 2010. Consult. 27 de junho de 2015. 
  4. "Atual chefe do EMCFA" (em português). Ministério da Defesa. Consult. 27 de junho de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]