Estado de coisas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Estado de coisas (expressão equivalente em inglês: state of affairs; em alemão: Sachverhalt) é um conceito presente nas ciências humanas.

Sociologia[editar | editar código-fonte]

Na sociologia, um estado de coisas é a combinação de circunstâncias aplicadas em uma sociedade ou grupo em um momento específico. O atual estado de coisas pode ser considerado aceitável por muitos observadores, mas não necessariamente por todos. O estado de coisas pode apresentar um desafio, ou ser complicado, ou conter um conflito de interesses. O status quo representa o estado de coisas existente. Dificuldades não-resolvidas ou desacordos a respeito do estado de coisas podem provocar uma crise. Uma resolução da disputa é por consequência desejada, e pode ser alcançada por formas de interação social inclusivas, tais como uma tomada de decisão consensual. O conhecimento e discussão atual sobre o estado de coisas pode ser comunicado e desenvolvido por meio da mídia.

Filosofia[editar | editar código-fonte]

Na filosofia, um estado de coisas, ou (também conhecido como) uma situação, refere-se à maneira que o mundo possível deve ser de modo a fazer alguma dada proposição sobre o mundo possível verdadeira; em outras palavras, um “estado de coisas (situação) é um fazedor de verdade (do inglês “truth-maker”, podendo ser também verofator[1] ou ainda veridador[2] ), enquanto que uma proposição é uma portadora de verdade. Quando os estados de coisas (situações) garantem ou fracassam em garantir, as proposições são ou verdadeiras ou falsas.[3]

Usos[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão alguns exemplos do uso da expressão no português:

  • “O filósofo retoma uma conhecida proposição de Walter Benjamim segundo a qual o estado de coisas em que se vive deixara de ser a exceção para se tornar a regra geral (…)”.[4]
  • “O pior é que na origem desta longa derrapada está a irresponsabilidade fiscal dos governantes locais: isto certamente atrapalha, de fato, a implementação da ajuda por parte da União que seria de se esperar para reverter o atual estado de coisas”.[5]

Referências

  1. Trenton Merricks (tradução de Vítor Guerreiro). Verofactor (em português). Página visitada em 14 de abril de 2010.
  2. Trenton Merricks (tradução de Vítor Guerreiro). Veridador (em português). Página visitada em 14 de abril de 2010.
  3. Stanford Encyclopedia of Philosophy Online
  4. José Victor Regadas Luiz. “Estado de exceção como regra”: o impasse contemporâneo à resistência política no pensamento de Giorgio Agamben (em português). Página visitada em 14 de abril de 2010.
  5. André Urani. Um diagnóstico socioeconômico do Estado de Alagoas a partir da PNAD/IBGE (em português). Página visitada em 14 de abril de 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.