Estenose aórtica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estenose aórtica
Classificação e recursos externos
CID-10 I35.0, I06.0, Q23.0
CID-9 395.0, 396.0, 746.3
DiseasesDB 844
MedlinePlus 000178
eMedicine med/157
Star of life caution.svg Aviso médico

Estenose de válvula/valva aórtica (ou simplesmente estenose aórtica) é uma patologia do coração caracterizada pela abertura incompleta da valva aórtica, gerando um aumento na pressão, durante a sístole, entre o ventrículo esquerdo (VE) e a raiz da aorta.

Características[editar | editar código-fonte]

A valva aórtica controla a direção do fluxo de sangue a partir do ventrículo esquerdo em direção à artéria aorta. Quando funcionando adequadamente, a valva aórtica não impede o fluxo de sangue do ventrículo esquerdo para a Artéria Aorta, somente o contrário. Em algumas circunstâncias, a valva aórtica se torna mais estreita (estenótica) que o normal, impedindo ou diminuindo o fluxo de sangue.

Sabe-se que as valvas semi-lunares possuem menor diâmetro que as átrio-ventriculares, quando há a sístole o coração transforma energia potencial em energia cinética, fazendo a o sangue deixar a cavidade ventricular com alta velocidade. O diâmetro da valva está intimamente ligado a essa velocidade. Somente 1% da energia consumida pelo coração se transforma nessa energia cinética, os outros 99% constituem o trabalho realizado pelo coração para transferir o sangue do sistema venoso para o arterial, com uma valva de menor diâmetro, aumenta-se a energia cinética o que acaba por diminuir a quantidade de energia disponível para a trabalho de mudança do sistema do sangue.

Ao fazer mais trabalho, a musculatura do coração aumenta de tamanho (hipertrofia), e esse aumento pode causar dor no peito.

Pode resultar em Insuficiência aórtica também, que dependendo do tamanho do bloqueio pode ser classificada em: Leve, Moderada ou Grave.

Causas[editar | editar código-fonte]

Pode ser congênita, ou adquirida, geralmente associada a febre reumática (quando adquirida) ou, ao acúmulo de cálcio na válvula prejudicando o seu funcionamento e abertura. O acúmulo de cálcio está associado a idade, ao mal funcionamento dos rins e a uma dieta inadequada.[1]

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Pode ser verificado em ECG Sobrecarga Ventricular. Já no Ecodoppler pode-se mensurar os valores do gradiente apresentado, levando em consideração geralmente os valores do gradiente médio.

Em casos leves não há sintomas visíveis, mas recomenda-se o acompanhamento médico semestral ou anual, de acordo com a idade do paciente. Porém se apresentado sintomatologia, deve-se refazer os exames, geralmente o Ecodoppler para a verificação do gradiente de pressão, e neste caso segue como indicação cirúrgica para a sua correção, por plastia, comissurotomia ou mesmo por substituição da valva, por agente biológico ou metálico.

Ao auscultar (ouvir) o coração pode-se ouvir, na estenose aórtica, durante a sístole, o chamado "sopro em diamante", que atinge seu auge no meio da sístole, quando a pressão ventricular é máxima. Por isso é classificado como sopro mesosistólico de ejeção.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/000178.htm