Estevão de Rezende Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Estevão Chaves de Rezende Martins
Nascimento 1947 (71 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Historiador
Filósofo
Professor
Principais interesses História da filosofia
Teoria e metodologia da história
História das relações internacionais
Instituições

Estevão Chaves de Rezende Martins (1947) é um filósofo, historiador e professor universitário brasileiro.[1] As suas principais contribuições estão relacionadas à história da filosofia, teoria e metodologia da história e história das relações internacionais.

Em homenagem a sua contribuição acadêmica, foi lançado em 2017 o livro Entre Filosofia, História e Relações Internacionais: escritos em homenagem a Estevão de Rezende Martins.[nota 1]

Em contexto internacional, Estevão de Rezende Martins foi palestrante na Sociedade de Sociologia da Universidade de Graz, na Áustria,[2] na Universidade de Köln, na Alemanha, com a fala “Faça história, escreva história, ensine história” (Geschichte machen, Geschichte schreiben, Geschichte lehren).[3] Em 2018, Estevão de Rezende Martins participará, em Viena, da 70° Conferência da Comissão Internacional para a História das Instituições Representativas e Parlamentares abordando o tema “Infidelidade política e deslealdade”.[4]

Trajetória acadêmica[editar | editar código-fonte]

Graduou-se em filosofia na hoje extinta Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Nossa Senhora Medianeira, em São Paulo, em 1970. Doutorou-se em 1976, na Universidade de Munique, com uma dissertação acerca da concepção de liberdade na primeira fase da obra do filósofo Immanuel Kant (1747-1770). Sua tese de doutorado foi publicada no mesmo ano da titulação com o título Studien Zu Kants Freiheitsauffassung In Der Vorkritischen Periode (1747-1770).[5]

Desde 1977, atua na Universidade de Brasília, onde é professor titular do Instituto de Ciências Humanas. Realizou estágios de investigação em diversas instituições internacionais, tais como a Universidade de Bochum, Universidade de Gratz e Universidade de Munique, assim como o Instituto de Altos Estudos em Humanidades de Essen.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

De 1985 a 1998, Estevão de Rezende Martins foi consultor legislativo do Senado Federal.[7]

No contexto alemão, Estevão de Rezende Martins é conselheiro da Fundação Konrad Adenauer, uma fundação política alemã independente e sem fins lucrativos que atua com base nos valores da União Democrata-Cristã (CDU)[8] e associado à Fundação Alexander von Humboldt, uma instituição pública alemã sem fins lucrativos, que tem como objetivo principal estimular a investigação científica internacional.[9]

Participou do Comitê Científico Internacional que organizou a Historia General de América Latina, uma coleção de nove volumes sobre a história do subcontinente, patrocinada pela Unesco. Estevão Martins, em parceria com Héctor Pérez Brignoli, foi co-organizador do volume final de tal coleção, que se intitula Teoría y metodología en la Historia de América Latina.[10]

De 2009 a 2015 foi presidente da Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia.[7]

Em 21 de março de 2017, Estevão ministrou a aula magna em homenagem aos sessenta anos do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e da Faculdade de Educação (Faed) da Universidade de Passo Fundo (UPF), no Rio Grande do Sul, chamando a atenção para o cenário político mundial e as consequências sociais da política internacional na contemporaneidade.[11]

Obra[editar | editar código-fonte]

Em 2010, organizou o volume de traduções e comentários História pensada: teoria e método na historiografia europeia do século XIX, para o qual também escreveu a introdução e alguns capítulos.[12]

É autor de mais de duzentas publicações, entre livros autorais, coletâneas organizadas, capítulos de livro e artigos em periódicos especializados em português e alemão como, por exemplo, o artigo “Intenções e Meta-intenções” (Intentionen und Metaintentionen)[13]. Dentre os livros monográficos destacam-se sua tese de doutorado Studien zu Kants Freiheitsauffassung in der vorkritischen Periode (1747-1770), Cultura e poder, de 2002, que aborda a relação entre a cultura e o poder e suas manifestações nas Relações Internacionais,[14] e Parcerias almejadas: política externa, segurança e defesa na história da Europa, publicado, em 2012, considerado uma das obras mais completas sobre os objetivos da política externa da União Europeia.[15]

Reconhecido em diversos setores da sociedade por seu conhecimento na área das relações internacionais, Estevão de Rezende Martins contribuiu para explicar as relações políticas, econômicas e sociais envolvendo países da União Europeia como a França[16] e a Grã-Bretanha.[17]

Escritos (seleção)[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. ARAÚJO, André de Melo; ASSIS, Arthur Alfaix; MATA, Sérgio da (org) Entre Filosofia, História e Relações Internacionais: escritos em homenagem a Estevão de Rezende Martins. 1ª edição LiberArs / SBTHH São Paulo – 2017.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências