Esther Shkalim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
אסתר שקלים

Esther Shkalim (Teerã, 19 de janeiro de 1954) é uma poetisa feminista israelense Mizrahi. Shkalim é pesquisadora de comunidades judaicas e curadora de arte judaica. Em sua poesia Shekalim descreve a experiência das identidades feminina, judia e Mizrahi, na família e na esfera pública.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Shkalim nasceu em Teerã, capital do Irã, sendo filha de Nurit e Peretz Shkalim, a segunda de seus cinco filhos.[1] Em 1958, quando ela tinha quatro anos, a família emigrou para Israel,[2] onde seu pai se tornou um negociante de tapetes e proprietário de uma rede de lojas.[3]

Após seu serviço nacional, ela completou um bacharelado em literatura e história na Bar Ilan University. Ela então se casou e teve três filhos. Mais tarde, ela se divorciou.[4] No início da década de 1990, seu marido foi mandado para os Estados Unidos por quatro anos a trabalho, e foi quando ela começou a escrever, pois estava desligada de casa, amigos, família e trabalho. Shkalim diz que não é influenciada por outros escritores e, na verdade, não lê poesia, porque "quando eu leio, não escrevo".[1]

Shkalim completou seu mestrado na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e depois passou a estudar para seu doutorado na Universidade de Tel Aviv, no departamento de história judaica.[5] Sua área de pesquisa são as tradições de várias comunidades judaicas, e da comunidade judaica persa em particular.[6] Ela foi a gerente fundadora do Centro para a Herança Judaica no Museu Terra de Israel em Tel Aviv e trabalhou como guia regional e nacional sobre arte judaica para o Ministério da Educação, e também escreveu e editou materiais de aprendizagem sobre as tradições de feriados de diferentes comunidades em Israel.[7]

Poesia[editar | editar código-fonte]

A poesia de Shkalim lida com o ponto de encontro do Oriente e do Ocidente e o status das mulheres nas culturas persa e Mizrahi, enquanto recupera textos canônicos para criar diálogos contínuos com a Bíblia, Mishna, Talmud, Midrash e Agadá, bem como piyyut,[7] literatura judaica e muito mais. Seu trabalho descreve a luta da mulher Mizrahi por igualdade e auto-realização, e a ambivalência vivida por uma mulher israelense moderna, que é feminista e religiosa, que cresceu na cultura Mizrahi patriarcal-tribal.[8]

Shkalim baseia-se em sua própria experiência, vinda de uma formação da qual ela foi ensinada a se envergonhar, sua luta com sua própria identidade e sua emergência como uma orgulhosa e assertiva feminista Mizrahi.[4] Seu livro, Sharkia ("Fierce Eastern Wind") é amplamente autobiográfico e está incluído no currículo de literatura da escola obrigatória em Israel.[1]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Esther Shkalim».

Referências

  1. a b c נרי ליבנה (26 de junho de 2006). «קול מהשטיח». Ha'aretz (em Hebrew). Consultado em 27 de março de 2019 
  2. «לקסיקון הספרות העברית החדשה». Ohio State University. Consultado em 25 de março de 2019 
  3. «20: 68 and Counting- Part I». IsraelStory. Consultado em 25 de março de 2019 
  4. a b ג'ני אלעזרי (10 de setembro de 2017). «אסתר שקלים חושפת: "אימא אמרה לי בלעי, סתמי והחרישי"». MyNet (em Hebrew). Consultado em 25 de março de 2019 
  5. «אודות». אסתר שקלים. Consultado em 25 de março de 2019 
  6. טובה כהן. «שרקיה - רוח מזרחית עזה». טקסט (em Hebrew). Consultado em 25 de março de 2019 
  7. a b «מה צריכה אישה לדעת». עברית (em Hebrew). Consultado em 25 de março de 2019 
  8. אליאס, אינס (1 de fevereiro de 2018). «המשוררת אסתר שקלים לא רוצה שהגבר המזרחי ישתנה». Ha'aretz (em Hebrew). Consultado em 25 de março de 2019