Estrutura (biologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Em cladística, dá-se o nome de estrutura a qualquer componente de um indivíduo que possua ou que já possuiu uma determinada função ao longo de sua história evolutiva. Podem ser modificadas, adquirindo novas características. Não deve ser confundida com "caractere", já que esta última se refere a modificações numa estrutura. Dessa forma, ao se comparar diferentes indivíduos, não se fala em caracteres homólogos ou análogos, se fala em estruturas homólogas ou análogas. Por exemplo, o ADN é uma estrutura química.

Anatomia comparada[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Anatomia comparada

A comparação entre indivíduos permite definir a relação entre suas estruturas. Essa relação pode ser de homologia ou de analogia.

Estruturas homólogas[editar | editar código-fonte]

Estruturas homólogas são muitas vezes erroneamente definidas como estruturas em seres vivos diferentes que têm a mesma origem embrionária, embora funções diferentes. Essa definição, entretanto, não é a usada dentro do meio científico. A definição mais correta para homologia seria: São estruturas de indivíduos, de espécies diferentes ou não, que foram herdadas de um ancestral comum.

  • O braço do homem é homólogo à pata dianteira do cavalo.
  • A asa do morcego é homóloga à nadadeira da baleia.
  • A hemoglobina do quati é homóloga á hemoglobina da pomba.
  • O espirro num homem é homólogo ao espirro de um cachorro.

Estruturas análogas[editar | editar código-fonte]

São estruturas semelhantes, de espécies diferentes, que possuem a mesma função, mas não foram adaptadas a partir de um ancestral comum entre os indivíduos a serem comparados. Por exemplo, a asa de uma ave comparada à asa de uma mosca. Ambas foram modificadas, ao longo da evolução, desempenham a mesma função (convergência evolutiva), mas não possuem a mesma origem embriológica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • AMORIM, Dalton de Sousa. Fundamentos de Sistemática Filogenética. Editora Holos (2002).


Ícone de esboço Este artigo sobre evolução é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.