Etimologia popular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Etimologia popular, pseudoetimologia ou ainda paretimologia é uma interpretação popular equivocada da origem de uma determinada palavra, por vezes de divulgação muito mais comum que a real formação etimológica, normalmente disseminada pela facilidade em sua explicação pelo uso de alegorias e história simplificadas.

Exemplos de palavras modificadas pela etimologia popular[editar | editar código-fonte]

Em português[editar | editar código-fonte]

Palavra Etimologia popular Etimologia verdadeira
Carcamano calcar as mãos, em São Paulo, refere-se aos feirantes italianos desonestos. do castelhano carcamán, termo de origem duvidosa[1] mas que, em muitos lugares, é usado em referência a pessoas desonestas.
Cesariana derivado do imperador Júlio César, que teria sido o precursor da prática do caedo -is, cecidi, caesum, caedere, também presente na palavra francesa
ciseaux (tesoura), e na inglesa scissors (tesoura).[2] Outra evidência é o
uso do procedimento de parto antes mesmo da época de Júlio César.
Assim teria vindo à luz Cipião, o Africano.[3]
Enfezar (verbo) ato de tirar alguém do sério- fazer raiva- enfezá-lo do latim infensare, "opor-se a alguma coisa com vigor, hostilizar"[1].
Forró corruptela do inglês for all ("para todos") redução de forrobodó, provável tipo de baile ibérico[1].
Lisboa Olissipo, Olisipona teria sido fundada por Ulisses (Odisseia) o estabelecimento de Lisboa antecede qualquer presença grega.
O topônimo tem provável origem fenícia ou pré-românica.[4]
Maite, Maitê
(prenome)
do tupi-guarani "coisa feia" ou do basco máite (="amor") hipocorístico do prenome composto Maria Teresa,
tal como Malu para Maria Lúcia ou Mazé para Maria José[5].
Paelha (paella) da expressão pá ella ("pra ela") "frigideira larga" (do francês antigo paele, poêle)[1].
Sincero (adjetivo) do latim sine cera (sem cera, sem máscara de cera) do latim sincerare (volta puro)[2][6].

Referências

  1. a b c d Houaiss, Antônio, Dicionário da Língua Portuguesa .
  2. a b ERNOUT, Alfred; MEILLET, Antoine (1967), Dictionnaire étymologique de la langue latine [Dicionário etimológico da língua latina] (em francês), Paris: Klincksieck .
  3. NASCENTES, Antenor, Dicionário etimológico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1932.
  4. FAURE SABATER, Roberto (2004), Diccionario de nombres geográficos y étnicos del mundo [Dicionário de nomes geográficos e étnicos do mundo] (em castelhano), Madrid: Espasa .
  5. FAURE SABATER, Roberto (2002), Diccionario de nombres propios [Dicionário de nomes próprios] (em castelhano), Madrid: Espasa .
  6. COROMINES, Joan (1954), Diccionario crítico etimológico de la lengua castellana [Dicionário crítico etimológico da língua castelhana] (reimpressão) (em castelhano), Madrid: Gredos .

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ROOM, Adrian (1986), Dictionary of True Etymologies [Dicionário de etimologias verdadeiras], ISBN 0-7102-0340-3 (em inglês), Routledge & Kegan Paul .
  • WILTON, David (2004), Word Myths: Debunking Linguistic Urban Legends [Mitos de palavras: desmontando lendas urbanas lingüísticas], ISBN 0-19-517284-1 (em inglês), Oxford University Press .
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.