Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás"
Single de Raul Seixas
do álbum Há 10 Mil Anos Atrás
Lado A Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás
Lado B Love Is Magick
Lançamento junho de 1976 (1976-06)
Formato(s) Disco de vinil de 7 polegadas
Gravação Maio e Junho de 1976
Gênero(s) Rock and roll, country rock
Duração 04:45 (Lado A)
02:47 (Lado B)
Gravadora(s) Philips Records
Composição Raul Seixas / Paulo Coelho
Produção Sérgio de Carvalho
Cronologia de singles de Raul Seixas
Como Vovó já Dizia
(1974)
Maluco Beleza
(1977)
Lista de faixas de Há 10 Mil Anos Atrás
"Cantiga de Ninar"
(10)

Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás é um compacto do cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, lançado em junho de 1976 pela gravadora Philips Records, tendo a sua gravação sido realizada em maio e junho de 1976 nos estúdios da gravadora Philips, na Barra da Tijuca. É o primeiro e único compacto simples do álbum Há 10 Mil Anos Atrás, gravado no mesmo ano e lançado também em dezembro de 1976.

A canção alcançou uma excelente execução nas rádios levando à participação do cantor por duas vezes no programa Globo de Ouro, que reflete a parada de sucessos, e tendo, inclusive, dado origem a um clipe gravado pela Rede Globo e exibido em seu programa dominical, o Fantástico. O compacto atingiu vendagens superiores a 100 mil cópias e tornou-se uma das canções mais famosas do cantor e compositor baiano.

Gravação e produção[editar | editar código-fonte]

A música foi gravada em maio e junho de 1976,[1] como parte das sessões de gravação do álbum Há 10 Mil Anos Atrás, que seria lançado no fim do ano. As gravações dessa canção se deram em junho de 1976, nos estúdios da gravadora Philips, na Barra da Tijuca. A gravação do álbum e, especialmente, desta canção simbolizou para Raul a percepção de que sua gravadora não lhe dava o devido valor, levando as sessões de gravação a terem momentos de tensão e tumulto, com Raul aparecendo muitas vezes bêbado e sem condições de gravar. O músico baiano sabia que tinha um grande sucesso em mãos, mas a gravadora não o tratava com o respeito que ele achava que merecia, isto é, como um cantor e compositor de altas vendagens.[2][3][4]

Lançamento, resenha e recepção[editar | editar código-fonte]

O compacto foi lançado em junho de 1976 e contou com aclamação generalizada pela crítica especializada.[5][6][7] O compacto acabaria vendendo mais de 100 mil cópias nos meses seguintes[2] e renderia a Raul a oportunidade de realizar um clipe musical para o programa dominical da Rede Globo, o Fantástico[8] e duas participações no programa Globo de Ouro, em julho e setembro.[9] A canção teve uma execução muito boa nas rádios[10] e fez parte da estratégia de divulgação da gravadora que acreditava que o álbum anterior tinha sofrido com a falta de lançamento de uma música de trabalho com grande antecedência.[11]

A canção é um rock estilizado com pitadas de música country e o título, tema e letra da música são inspirados em uma canção gravada por Elvis Presley - ídolo de Raul - em seu álbum Elvis Now, de 1972. A canção chama-se "I Was Born About Ten Thousand Years Ago" e foi adaptada e arranjada por Elvis, já que se trata de uma canção tradicional, de domínio público. Comparando-se as duas versões, Raul e Paulo fizeram diversas modificações na letra e ampliaram as ideias da canção original que se utiliza somente de temas bíblicos. A versão de Raul expande para citar outras religiões, acontecimentos históricos recentes e até contos de fadas.[12] Além disso, a canção adquire outro sentido sob Raul já que faz referência a troca das eras na astrologia (reverberando o título de seu disco anterior, Novo Aeon).[13] Também, a letra contém oposições entre a mensagem de Cristo e o agir da Igreja organizada.[14]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Faixas dadas pelo Discogs.[15]

Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás
Título Duração
1. "Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás"   4:45
2. "Love Is Magick"   2:47
Duração total:
7:32

Referências

  1. Motta, 1976-1.
  2. a b Rada Neto, 2013, pp. 157-163.
  3. Seixas; Essinger, 2005, p. 110.
  4. Souza, 2011, pp. 136-137.
  5. Motta, 1976-3.
  6. Bahiana, 1976.
  7. Cambará, 1976.
  8. «Fantástico: Raul Seixas em 'Eu nasci há 10 mil anos atrás». Globo.com. 15 de junho de 2009. Consultado em 7 de dezembro de 2017 
  9. Programação. O Globo, 02 de julho de 1976, p. 44.
  10. Motta, 1976-2.
  11. Souza, 2016, pp. 252-254.
  12. Rada Neto, 2011, p. 11.
  13. Jorge, 2010, p. 14.
  14. Boscato, 2006, p. 19.
  15. «Raul Seixas - Eu nasci há 10 mil anos atrás». Discogs. N.d. Consultado em 7 de dezembro de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BAHIANA, Ana Maria. É Raul Seixas, a metamorfose ambulante. O Globo, 16 de dezembro de 1976.
  • BOSCATO, Luis Alberto Lima. Vivendo a sociedade alternativa. Tese de Doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 2006.
  • CAMBARÁ, Isa. Raul Seixas: cada cabeça é um mundo. Folha de S.Paulo, 27 de dezembro de 1976.
  • JORGE, Cibele Simões Ferreira Kerr. Raul Seixas - Um Produtor Barroco. Revista Cordis, séries urbanas: conflito e memória, n. 3-4, julho de 2009 / junho de 2010.
  • MOTTA, Nelson. Há dez mil anos, Raul. O Globo, 26 de abril de 1976, p. 36.
  • MOTTA, Nelson. Belchior: agitos, dúvidas e sucesso. O Globo, 1 de julho de 1976, p. 42.
  • MOTTA, Nelson. O novo Raul de sempre: melhor do que nunca. O Globo, 9 de novembro de 1976.
  • RADA NETO, José. O Iê-Iê-Iê Realista de Raul Seixas: trajetória artística e relações com a indústria cultural. Monografia de Conclusão de Curso. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.
  • RADA NETO, José. O Rock 'n' roll invade os palcos da MPB: Raul Seixas e a influência do rock and roll. Artigo apresentado no XXVI Simpósio Nacional de História. São Paulo: ANPUH, julho de 2011.
  • SEIXAS, Raul. In: ESSINGGER, Silvio (org). O baú do Raul Revirado. São Paulo: Ediouro, 2005.
  • SOUZA, Lucas Marcelo Tomaz de. Eu devia estar contente: a trajetória de Raul Santos Seixas. Dissertação de mestrado. Marília: Unesp, 2011.
  • SOUZA, Lucas Marcelo Tomaz de. Construção e autoconstrução de um mito: análise sociológica da trajetória artística de Raul Seixas. Tese de Doutorado. São Paulo: Usp, 2016.
  • Programação. O Globo, 02 de julho de 1976, p. 44.