Eu Sou Todos Nós

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eu Sou Todos Nós
Álbum de estúdio de Zé Ramalho
Lançamento 1998
Gravação Studio Lagoa, julho/agosto de 1998
Gênero(s) MPB
Duração 38:28
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) BMG
Produção Robertinho de Recife
Cronologia de Zé Ramalho
Antologia Acústica
(1997)
Nação Nordestina
(2000)

Eu Sou Todos Nós é o décimo terceiro álbum do cantor brasileiro Zé Ramalho, lançado em 1998, após mais quatro anos sem álbuns de inéditas. A capa do álbum é uma colagem de várias fotos formando o rosto de Zé Ramalho, o que seria uma alusão ao título do álbum.

É o sucessor da coletânea e sucesso de vendas Antologia Acústica. Segundo Zé, a gravadora BMG provavelmente preferiria algo como uma Antologia 2, mas a "sequência natural" para ele era um disco de inéditas. No contrato com a empresa, Zé conseguiu fechar um pacote que incluía este álbum, Nação Nordestina e Zé Ramalho Canta Raul Seixas - estes últimos com nomes já definidos àquela altura.[1] Vendeu mais de 100 mil cópias em um mês[2] e havia chegado à marca de 190 mil cópias em abril do ano seguinte.[3]

O álbum possui uma canção de protesto intitulada "Sem Terra". Ao comentá-la, Zé afirmou: "Hoje é fora de moda, mas, se eu fizesse no tempo dos militares seria preso e torturado até a alma. Usei a estrutura da canção de protesto, dos festivais. É um diálogo com 'Caminhando', de Geraldo Vandré."[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas compostas por Zé Ramalho, exceto onde especificado.

N.º Título Duração
1. "Falido transalântico" (Marcus Vinícius) 3:01
2. "Metrópolis dourada"   2:38
3. "Companheira de alta luz" (Zé Ramalho, Fausto Nilo) 4:23
4. "Beira-mar - capítulo final" (com Naná Tribuzy) 4:23
5. "Errare humanum est" (Jorge Ben Jor) 3:49
6. "Litúrgica"   1:39
7. "Vermelhos"   3:16
8. "A peleja de Zé Limeira no final do segundo milênio"   3:01
9. "Sem Terra"   2:59
10. "Martelo rap ecológico"   3:27
11. "Agônico – o canto"   2:15
12. "Das maravilhas"   3:37

Músicos[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Sanches, Pedro Alexandre (30 de outubro de 1998). «Zé Ramalho volta em inéditas». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. Consultado em 30 de Março de 2017. 
  2. Textos sobre o álbum no site oficial de Zé Ramalho
  3. Sanches, Pedro Alexandre (17 de abril de 1999). «Zé Ramalho faz show com inéditas». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. Consultado em 30 de Março de 2017. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Zé Ramalho é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.