Eudóxia Decapolitissa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eudóxia Decapolitissa
Imperatriz-consorte bizantina
Governo
Reinado 85523 de setembro de 867
Consorte Miguel III, o Ébrio
Antecessor Teodora
Sucessor Eudóxia Ingerina
Dinastia Frígia
Vida
Nascimento Século IX
Morte Século IX
Pai  ?
Mãe  ?

Eudóxia Decapolitissa (em grego: Εὐδοκία ἡ Δεκαπολίτισσα) foi uma imperatriz-consorte bizantina, esposa de Miguel III, o Ébrio (r. 842–867), o último membro da Dinastia frígia a governar o Império Bizantino.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Miguel III ascendeu ao trono em 842 com apenas dois anos de idade tendo sua mãe, Teodora, e o ministro Teoctisto como regentes. Em 855, Miguel III, com quinze anos de idade, já tinha uma amante, Eudóxia Ingerina.

Teodora não aprovava a relação e organizou um desfile de noivas para o filho. Decapolitissa aparece pela primeira vez como uma das competidoras pela atenção do jovem imperador. Nada se sabe sobre seu passado, mas é muito provável que ela era uma nobre com boas relações na corte bizantina.

A própria Teodora também havia sido escolhida num desfile similar por sua sogra, Eufrósine e, por isso, foi ela, e não Miguel, que escolheu sua futura nora. E foi assim que Decapolitissa foi escolhida para se tornar a futura imperatriz bizantina.

Imperatriz[editar | editar código-fonte]

Miguel parece ter ignorado completamente sua nova esposa e continuou seu caso com Ingerina. Porém, o conflito entre Miguel e seus regentes chegaram a um ponto crítico em novembro de 855, quando o jovem imperador organizou o assassinato de Teoctisto e a deposição de Teodora da regência. Seu tio materno, Bardas, ajudou no golpe e os substituiu como regente.

No início de 856, Miguel III trancou suas irmãs ainda vivas em mosteiros. Em 15 de março, Teodora perdeu o título de Augusta, mas recebeu permissão para permanecer no palácio até o ano seguinte, quando foi acusada de conspirar contra o filho e terminou forçada a se juntar às filhas como freira (agosto ou setembro de 857).

O que aconteceu com Eudóxia durante estes eventos, não se sabe. Ela permaneceu como esposa legal de Miguel, mas foi, novamente, completamente ignorada. E assim ela ficou até o assassinato de Miguel por Basílio I, o Macedônio, em 23-24 de setembro de 867. Eudóxia nada sofreu e retornou, viúva, para sua família, desaparecendo assim do registro histórico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Eudóxia Decapolitissa
Nascimento: séc. IX Morte: séc. IX
Títulos reais
Precedido por:
Teodora
Imperatriz-consorte bizantina
855–867
com Eudóxia Ingerina (866–867)
Sucedido por:
Eudóxia Ingerina

Bibliografia[editar | editar código-fonte]