Eugen Weidmann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Setembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eugen Weidmann
Data de Nascimento 5 de fevereiro de 1908 (108 anos)
Local de Nascimento Frankfurt
Império Alemão Império Alemão
Data de Morte 17 de junho de 1939 (31 anos)
Local de Morte Versailles
 França
Nacionalidade Império Alemão alemão
Ocupação criminoso
Crime (s) conspiração, sequestro, fraude, roubo, assassinato, resistência à prisão
Pena morte
Situação executado na guilhotina
Motivo (s) ganho pessoal
Assassinatos
Data 1937
País  França
Alvo (s) turistas
Vítimas fatais 6

Eugen Weidmann (5 de fevereiro de 1908, Frankfurt (Alemanha) — 17 de Junho de 1939, Versalhes França), foi um criminoso alemão, célebre por ter sido a última pessoa a ser guilhotinada em público na França.

Ele foi julgado culpado do assassinato de seis pessoas, todas mortas com um tiro na nuca:

Ele foi guilhotinado em Versalhes, na via pública, no exterior da prisão Saint-Pierre, como era comum até então. Tendo sido julgado «histérico» o comportamento dos espectadores durante a execução, o presidente da República Albert Lebrun convenceu o governo da época a proceder às execuções no interior da prisão onde se encontra o condenado à morte, longe das possíveis «emoções populares».

A utilização da guilhotina para execuções «privadas» continuou, mas cada vez mais raras, até o 10 de Setembro de 1977, quando foi executado Hamida Djandoubi. Finalmente, a pena de morte foi abolida na França em 30 de Setembro de 1981. através de decreto do presidente François Mitterrand.