Evanescence (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela banda homônima, veja Evanescence.
Evanescence
Álbum de estúdio de Evanescence
Lançamento 11 de outubro de 2011 (2011-10-11)
Gravação Abril a junho de 2011; Blackbird Studios
Nashville, Tennessee
Gênero(s)
Duração 47:15 (original)
61:12 (deluxe)
Idioma(s) (em inglês)
Formato(s)
Gravadora(s) Wind-up Records
Produção Nick Raskulinecz
Cronologia de Evanescence
The Open Door
(2006)
Lost Whispers
(2017)
Singles de Evanescence
  1. "What You Want"
    Lançamento: 9 de agosto de 2011 (2011-08-09)
  2. "My Heart Is Broken"
    Lançamento: 11 de novembro de 2011 (2011-11-11)
  3. "Lost in Paradise"
    Lançamento: 25 de maio de 2012 (2012-05-25)

Evanescence é o terceiro álbum de estúdio da banda de rock americana Evanescence. Foi lançado em 11 de outubro de 2011 através da gravadora Wind-up Records. A banda iniciou o processo de composição do álbum em junho de 2009. O lançamento foi alterado várias vezes; em 22 de fevereiro de 2010, entraram em estúdio com o produtor Steve Lillywhite,[1] porém decidiram parar de gravar afirmando que Lillywhite "não era a pessoa certa".[2] Durante esse tempo, o álbum foi agendado para agosto ou setembro de 2010,[3] porém a vocalista Amy Lee anunciou que o Evanescence deixou o estúdio para gravar um novo material. Em 11 de abril de 2011, a banda voltou ao estúdio com um novo produtor, Nick Raskulinecz.

Durante uma entrevista, Lee citou: Björk, Depeche Mode, Massive Attack, MGMT e Portishead como influências no disco. As canções contém elementos de rock gótico, nu metal e hard rock, bem como novos elementos de electro. Após o seu lançamento, o álbum recebeu críticas positivas, elogiando os novos elementos musicais e vocais de Lee. No entanto, alguns críticos citaram que o álbum tinha um conteúdo semelhante dos seus antecessores.

O álbum estreou no número um na parada Billboard 200 com 127.000 cópias comercializadas.[4] Também estreou no número um em quatro outras diferentes tabelas da Billboard, incluindo: "álbuns de rock", "álbuns digitais", "álbuns alternativos", e os "álbuns gráficos de hard rock". Tornou-se sucesso mundial também foi sucesso mundial, aparecendo em diversas paradas de mais de vinte países. A banda promoveu algumas canções online em vários sites, aparecendo também em diversos programas televisivos. Em 2011, embarcaram na terceira turnê mundial do álbum, juntamente com The Pretty Reckless e Fair to Midland.

O primeiro single do álbum, "What You Want", foi lançado em 9 de agosto de 2011. "My Heart Is Broken", o segundo single, foi lançado em 11 de novembro de 2011. "Lost in Paradise" foi lançado internacionalmente em 25 de maio de 2012. "The Other Side" foi lançado oficialmente como single promocional em 11 de junho de 2012 nas rádios americanas.

Gravações e conceito[editar | editar código-fonte]

A banda começou a escrever novas músicas em junho de 2009.[5] O lançamento do álbum foi adiado após as primeiras sessões de gravações. Primeiro foi previsto para o Outono de 2010 quando a banda foi para o estúdio com o produtor Steve Lillywhite em fevereiro do mesmo ano, mas eles pararam a gravação porque as músicas "não estava soando bem".[2] Durante o processo de gravação com Lillywhite, Amy comentou que a música seria uma mistura de "agressão sarcástica" e teria uma influência eletrônica distinta que foi inspirada por artistas como Björk, Massive Attack e Portishead.[1] O álbum deverá conter um "arco-íris de sons" com algumas músicas incrivelmente pesadas ​​e outros completamente despojadas.[6] A banda também queria "misturar sons sintéticos e atmosféricos e encontrar uma maneira de borrar a linha entre orgânicos e sintéticos." Amy comentou que industrial era uma palavra melhor para descrever o som do disco. A banda estava gravando cerca de 16 músicas e "ainda trabalhando e... terminando a composição aqui e ali. Algumas delas não estão terminadas no que diz respeito a letras ou composição, mas sinto que estão quase lá". Algumas músicas, admite Amy, eram composições para projetos de filmes em potencial que não foram usadas.[7] Ela comentou que estavam alugando vários instrumentos de percussão, como o taiko japonês, e incorporaria a harpa nas novas canções.[1]

Em abril de 2010, Amy Lee postou no fã-clube oficial, EvClub, falando que a banda não estava mais no estúdio, e que saíram para trabalhar mais nas músicas.[8] A banda gravou no MSR Studios, em Nova Iorque, de fevereiro a abril de 2010.[9]

Quando a banda parou de trabalhar com Lillywhite, o produtor comentou que tinha orgulho do álbum que ele produzira e revelou que a gravadora da banda rejeitou o material gravado pois acharam que "não soava como Evanescence".[10]

Então, em abril de 2011, eles começaram a gravar o álbum novamente, desta vez com a ajuda do produtor Nick Raskulinecz e o finalizaram em junho de 2011.

Amy Lee revelou que o título do disco será apenas Evanescence pois pela primeira vez um disco do Evanescence foi composto com a participação de todos os integrantes e não apenas por ela e mais um colaborador.

Em 2015, Amy revelou que sua gravadora rejeitou o material gravado com Lillywhite em 2010 e que lhe "disseram que nenhuma daquelas músicas nas quais eu havia colocado meu coração durante um ano, de forma alguma, era boa o suficiente". Ela disse que usou sua frustração ao ser forçada a começar de novo para compor o que ela chamou de "o álbum mais pesado do Evanescence". Somente três músicas das sessões com Lillywhite foram retrabalhadas no álbum lançado em 2011: "Made of Stone", "Swimming Home" e "Secret Door". Ela acrescentou que está em posse dessas gravações incompletas e "planeja terminar algumas, refazer outras, e provavelmente guardar algumas para mim".[11]

Aquele álbum foi a primeira vez que vi algo em que estava trabalhando ser totalmente arruinado. A gravadora mudou de opinião durante um processo de gravação frustrante e me disseram que nenhuma daquelas músicas, nas quais eu havia colocado meu coração durante um ano, de forma alguma, era boa o suficiente- hora de recomeçar. Fiquei arrasada e furiosa. Eu estava determinada a assumir a situação e usei isso para seguir em frente. Aquilo acabou me deixando com raiva o suficiente para compor o álbum mais pesado do Evanescence – o qual amo – e acabamos usando 3 músicas do projeto original, mas eu ainda estava me sentindo insatisfeita com o que eu carinhosamente me referia como meu “álbum arruinado”. Acreditei, quase sempre sozinha, nesse pequeno punhado de gravações inacabadas durante 5 anos- e pela primeira vez, estou com a posse delas.

Título do álbum[editar | editar código-fonte]

Lee foi destaque na capa da revista Kerrang! de 22 de junho de 2011. Durante a entrevista com a revista, ela revelou que o título do novo álbum será Evanescence. Mais tarde, 23 de junho de 2011, ela teve uma entrevista com a MTV News, no qual ela revelou a sua inspiração para o título do álbum:

"É sobre a banda; é mais de um álbum da banda. Mas eu comecei a pensar sobre isso, e é também que este disco inteiro e o conteúdo lírico e um monte de coisas que é sobre mim, é sobre voltar a se apaixonar com essa coisa, com o Evanescence, com o que eu mais sou obcecada por uma década, mais do que isso"

Música[editar | editar código-fonte]

Estilo da música e inspiração[editar | editar código-fonte]

Cquote1.png Mais solto. Este álbum não é tão brilhante ou apertado. É mais instintivo. É grande no ritmo e há algumas verdadeiras habilidades musicais que estamos muito orgulhosos. Todo mundo conhece o nosso som, mas isso é apenas uma base e nós dançamos em cima disso! Ainda é muito pesado e dark, mas estamos nos divertindo com isso."
—Amy Lee sobre o som do álbum.

Sobre o tema do álbum, Lee disse, "Eu sou inspirada pela natureza. O oceano tem sido um tema. Falência tem se tornado pouco de um tema, sem necessariamente oferecer uma solução".[2] Em uma entrevista com a Kerrang!, Lee disse que é inspirada pela vida, adicionando: "A música é sobre mim [e] os meus relacionamentos; a música e as letras se tornaram mais agressivas do que antes também". Ela descreveu a música como épica, grande, bonita, dark e feliz.

Nas sessões iniciais do álbum em 2010, Lee disse que os temas do álbum giravam em torno de "mundos desconhecidos, abismo do oceano, vida dentro dos sonhos, força, separação, amor e mentirosos."[12]

Em 11 de julho, a MTV News liberou uma entrevista com Lee, na qual uma prévia de "What You Want" podia ser ouvida, além da confirmação de que a música é o novo single. Lee ainda disse: "É sobre liberdade -é definitivamente um tema constante no álbum- porém, é como o Evanescence e eu, meu relacionamento com a música e com os fãs e vindo a isso de 'Isso é o que me propus a fazer... Eu quero fazer isso!'. E quando diz 'lembre-se de quem você realmente é', é exatamente tudo o que você poderia supor que significa."

Lee disse à Billboard e Rolling Stone que o novo álbum foi influenciado por Björk, Depeche Mode, Massive Attack, MGMT e Portishead.[13] Ela adiciona, "Eu lembro da primeira vez que ouvi MGMT, o primeiro álbum deles - eu amei. E, na verdade, comecei a ficar inspirada, naquela época, por sintetizadores e coisas assim. Eu sempre amei Portishead, Massive Attack, essas coisas eletrônicas. [...] Um pouco dessas coisas estão no álbum. Mas eu acho que quando eu finalmente encontrei o ponto ideal para combinar as duas coisas, combinando o Evanescence com esses elementos."

Conteúdo lírico[editar | editar código-fonte]

Em uma entrevista à revista Spin, Amy Lee disse que escreveu algumas músicas na harpa, incluindo a balada "Secret Door" e "My Heart is Broken". Outra música, "Oceans", "começa com um sintetizador, grande baixo e vocal, a banda entra em cena", disse Lee. “É grande e viçosa. Nós temos tido muita diversão tocando essa especialmente". Em 18 de junho de 2011, Amy Lee enviou um vídeo da música "Secret Door" em seu Twitter.[14] Em uma entrevista à MTV News, Lee disse que 16 músicas estão prontas, mas nem todas elas vão entrar no álbum.

Durante as primeiras sessões do álbum, Amy disse que as letras eram "uma versão mais verdadeira de mim mesma", acrescentando que "estou falando de coisas que eu teria medo de dizer antes. Estou mais confiante e mais à vontade."[6]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2011, o álbum alcançou o topo das paradas da Billboard 200 ao vender pelo menos 127.000 cópias em sua primeira semana de vendas, de acordo com a Nielsen SoundScan. Com isso, este álbum se tornou o segundo trabalho do Evanescence a alcançar a primeira posição nesta parada.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Versão padrão
TítuloCompositor(es) Duração
1. "What You Want"  Lee, Balsamo, McCord 3:41
2. "Made of Stone"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt, McLawhorn 3:33
3. "The Change"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt, McLawhorn 3:42
4. "My Heart Is Broken"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt, Zach Williams 4:29
5. "The Other Side"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt 4:05
6. "Erase This"  Lee, Balsamo, McCord, McLawhorn 3:55
7. "Lost in Paradise"  Lee 4:42
8. "Sick"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt 3:30
9. "End of the Dream"  Lee, Balsamo, McCord, Hunt 3:49
10. "Oceans"  Lee, Balsamo, McCord 3:49
11. "Never Go Back"  Lee, Balsamo, McCord 4:27
12. "Swimming Home"  Lee, Hunt 3:43
Duração total:
47:15

Paradas musicais[editar | editar código-fonte]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Weingarten, Christopher R (2 de março de 2010). «Evanescence Go Electro As Lee Has Fun With Music on Next LP» (em inglês). Rolling Stone 
  2. a b c «Amy Lee Talks Evanescence's Comeback LP». Spin. 13 de abril de 2011. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  3. «Evanescence is Back». ARTISTdirect. 26 de janeiro de 2010 
  4. [1]
  5. Lee, Amy (19 de junho de 2009). «Will the real Slim Shady please stand up?» (em inglês). Evanescence.com. Cópia arquivada em 24 de junho de 2009 
  6. a b Goodman, William (5 de março de 2010). «Exclusive: Amy Lee on the New Evanescence Album» (em inglês). Spin 
  7. Graff, Gary (25 de março de 2010). «Evanescence Recording New Album, Plots Summer Tour». Billboard. Billboard. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  8. Lee, Amy (21 de junho de 2010). «What's up» (em inglês). EvThreads.com. Cópia arquivada em 24 de novembro de 2010 
  9. Weiss, David (21 de maio de 2010). «MSR Studios Hosts Kid Cudi, Evanescence, Lloyd Banks, + Cast Recordings». SonicScoop 
  10. Baccigaluppi, John (2013). «Steve Lillywhite: U2, Peter Gabriel, XTC» (em inglês). Tape Op Magazine 
  11. Lee, Amy (15 de dezembro de 2015). «Cover #4: Baby Did a Bad, Bad Thing». www.facebook.com. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  12. Lee, Amy (14 de março de 2010). «Some inspirations: unknown worlds, the ocean's abyss...». Twitter 
  13. «Evanescence: 'Our new album was inspired by MGMT, Portishead'» (em inglês). NME. 20 de julho de 2011 
  14. Lee, Amy (18 de junho de 2011). «...Secret Door...». Twitter 
  15. «Argentina Charts (October 1, 2011)» (em Spanish). Argentine Chamber of Phonograms and Videograms Producers. Consultado em 17 de janeiro de 2015. Arquivado do original (Please note that you need to fill in Tipo: Ranking Semenal Pop and Fecha: 01/10/11) em 26 de julho de 2011  |fechaacceso= e |acessodata= redundantes (ajuda)
  16. «Australian-charts.com – Evanescence – Evanescence». ARIA Charts. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  17. «Evanescence – Evanescence – austriancharts.at». Ö3 Austria Top 40. Hung Medien (em Aleman). Consultado em 11 de abril de 2017 
  18. «Ultratop.be – Evanescence – Evanescence». Ultratop 50. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch (em frances). Consultado em 11 de abril de 2017 
  19. «Ultratop.be – Evanescence – Evanescence». Ultratop 50. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch (em Dutch). Consultado em 11 de abril de 2017 
  20. Willaims, John. «Evanescence flops on charts». Jam!. Consultado em 11 de abril de 2017 
  21. «Top 50 Prodejní – Evanescence – Evanescence». International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 11 de abril de 2017 
  22. «Dutcharts.nl – Evanescence – Evanescence». Tracklisten. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  23. «Dutchcharts.nl – Evanescence – Evanescence» (em Dutch). Mega Single Top 100. Hung Medien / hitparade.ch. Consultado em 11 de abril de 2017 
  24. «Finnishcharts.com – Evanescence – Evanescence». Finland's Official List. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  25. «Lescharts.com – Evanescence – Evanescence». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  26. http://www.musicline.de/de/chartverfolgung_summary/artist/Evanescence/?type=longplay
  27. «Chartverfolgung – Evanescence» (em German). Media Control Charts. Consultado em 11 de abril de 2017 
  28. «Top 75 Artist Album, Week Ending 13 October 2011». Irish Recorded Music Association. Chart-Track. Consultado em 11 de abril de 2017 
  29. «Italiancharts.com – Evanescence – Evanescence». Federation of the Italian Music Industry. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  30. «Mexicancharts.com – Evanescence – Evanescence». Hung Medien. Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 11 de abril de 2017. Arquivado do original em 18 de julho de 2013 
  31. «Charts.org.nz – Evanescence – Evanescence». Top 40 Singles. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  32. «Norwegiancharts.com – Evanescence – Evanescence». VG-lista. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  33. «Oficjalna lista sprzedaży :: OLIS – Official Retail Sales Chart» (em Polish). Consultado em 11 de abril de 2017 
  34. «Portuguesecharts.com – Evanescence – Evanescence». Associação Fonográfica Portuguesa. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  35. «Spanishcharts.com – Evanescence – Evanescence». Productores de Música de España. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  36. «Swedishcharts.com – Evanescence – Evanescence». Sverigetopplistan. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  37. «Evanescence – Evanescence – hitparade.ch». Swiss Music Charts. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  38. «Evanescence chart position on Scottish charts». Official Charts Company. 11 de abril de 2017 
  39. «Archive Chart». UK Albums Chart. The Official Charts Company. Consultado em 11 de abril de 2017 
  40. Caulfield, Keith. «Evanescence Nets Second No. 1 Album on Billboard 200 Chart». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  41. «Top Rock Albums (October 29, 2011)». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  42. «Alternative Albums: Week Ending October 16, 2011». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  43. «Hard Rock Albums: Week Ending October 16, 2011». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  44. «Album Jahrescharts 2011» (em German). MTV Central. MTV Networks. 11 de abril de 2017. Consultado em 17 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 12 de janeiro de 2012 
  45. «Schweizer Jahreshitparade 2011» (em Swiss). Swiss Music Charts. Hung Medien. Consultado em 11 de abril de 2017 
  46. «Top Billboard 200 Albums – Year-End Charts». Billboard. Prometheus Global Media. 2011. Consultado em 11 de abril de 2017 
  47. «Top Hard Rock Albums – Year-End Charts». Billboard. Prometheus Global Media. 2011. Consultado em 11 de abril de 2017 [ligação inativa]
  48. «Top Alternative Albums – Year-End Charts». Billboard. Prometheus Global Media. 2011. Consultado em 11 de abril de 2017 
  49. «Top Rock Albums – Year-End Charts». Billboard. Prometheus Global Media. 2011. Consultado em 11 de abril de 2017 
  50. «Year-end charts 2012: Billboard 200 Albums». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  51. «Year-end charts 2012: Billboard Rock Albums». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  52. «Year-end charts 2012: Billboard Alternative Albums». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 
  53. «Year-end charts 2012: Billboard Hard Rock Albums». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]