Evasão escolar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Evasão escolar é o que ocorre quando um aluno deixa de frequentar a escola e fica caracterizado o abandono escolar, e historicamente é um dos tópicos que faz parte dos debates e análises sobre a educação pública.[1]

Vários fatores podem ocasionar a evasão escolar. Dentre eles, ensino mal aplicado por meio de metodologias inadequadas, professores mal-preparados, problemas sociais, descaso por parte do governo. O debate sobre a origem do problema varia conforme o ponto de vista dos debatedores. Pode partir tanto do papel da família quanto do Estado e da escola em relação à vida escolar da criança, ou também das elites dominantes, sejam elas econômicas, religiosas, ou da outra espécie.

Dessa forma, as desigualdades socioeconômicas e a negligência do Estado prejudicam, sobretudo, aqueles que se encontram em situação de extrema pobreza e, portanto, é necessário refletir acerca de alternativas que possibilite a efetivação dos direitos básicos para as populações que carecem dessas garantias.[2]

Há vários fatores que causam a evasão escolar, como já dito, mas nesses últimos anos ouve um maior aumento devido à pandemia do COVID-19. Esse novo cenário trouxe mudanças para a educação, fechando escolas por tempo indeterminado e recorrendo as plataformas digitais e as Tecnologias da informação e comunicação (TICs) para continuar o ano letivo e não prejudicar os alunos. Mas os professores nem os alunos tinham um letramento digital adequado para esse cenário, já que os professores por diversas vezes não têm uma formação inicial e continuada que promova esses conhecimentos, o que influência na aprendizagem dos alunos. Outro fator é a falta de acesso a aparelhos tecnológicos para classes sociais menos privilegiadas, devido aos custos e dificuldade de acesso. Esses pontos refletem na evasão escolar como consequência, já que os alunos mais pobres não tinham acesso às ferramentas necessárias para continuar na escola, não possuíam o conhecimento para manusear essas tecnologias, viviam em um ambiente inadequado para aulas remotas, e por muitas vezes se sentiam inferiores, incapazes, resultando no abandono da escola por despreparo, desincentivo, desânimo, medo. [3]

De acordo com os educadores, o resultado do que a falta do ensino e de oportunidade fazem com alguns cidadãos pode ser visto pela pobreza e pelo aumento da violência, problemas que também estão relacionados à educação.

Referências

  1. Karinny Shintani, Leonardo Armond, Vassily Rolim. «Dificuldades Escolares». Consultado em 21 de maio de 2014 
  2. Fialho, Lia Machado Fiuza; Amorim, Josabete Bezerra Cacau (14 de setembro de 2020). «Abandono escolar, pobreza e fome: biografia de um jovem negligenciado». Universidade de Brasília. Revista Linhas Críticas. 26: e31794. Consultado em 15 de março de 2022 
  3. AVELINO, W. F. .; MENDES, J. G. . A REALIDADE DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA A PARTIR DA COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 2, n. 5, p. 56–62, 2020. DOI: 10.5281/zenodo.3759679. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/137. Acesso em: 23 nov. 2022.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]