Evolução como teoria e facto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A frase "A evolução é tanto uma teoria como um facto" é muitas vezes encontrada em literatura de biologia.[1][2][3][4][5][6][7] Evolução é uma teoria no sentido científico do termo; é um modelo científico estabelecido que explica observações e faz previsões através de mecanismos como a selecção natural.

Quando cientistas dizem que a "evolução é um facto", estão a usar um de dois sentidos para a palavra "facto". Um sentido é empírico, usado para significar mudanças observadas nas frequências alélicas ou características de uma população ao longo de gerações sucessivas.

"Facto" é por vezes também usado para referir um certo tipo de teoria, uma que tem sido tão poderosa e produtiva durante tanto tempo que é universalmente aceite por cientistas. Quando cientistas dizem que a evolução é um facto neste sentido, querem dizer que é um facto que todos os organismos vivos descendem de um ancestral comum (ou pool genético ancestral)[8] mesmo que isto não possa ser observado. Isto implica também que os humanos partilham um ancestral comum com outros primatas.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Livros da Wikipédia

Referências

  1. Moran, Laurence (1993-01-22). «Evolution is a Fact and a Theory». Talk.origins. Consultado em 2007-10-18. 
  2. Gould, Stephen Jay (1981-05-01). «Evolution as Fact and Theory». Discover [S.l.: s.n.] 2 (5): 34–37.  Republicado em:
  3. Muller, H. J. (1959). «One hundred years without Darwin are enough». School Science and Mathematics [S.l.: s.n.] 59: 304–305. doi:10.1111/j.1949-8594.1959.tb08235.x.  Republicado em:
    • Zetterberg, Peter (ed.) (1983-05-01). Evolution Versus Creationism: The Public Education Controversy (Phoenix AZ: ORYX Press). ISBN 0897740610. 
  4. Campbell, Neil A.; Reece, Jane B. (2002-02-05). Biology 6th ed. Benjamin Cummings [S.l.] p. 1175. ISBN 0805366245. 
  5. Dobzhansky, Theodosius (1973-03-01). «Nothing in biology makes sense except in the light of evolution». American Biology Teacher [S.l.: s.n.] 35.  Republicado em:
    • Zetterberg, Peter (ed.) (1983-05-01). Evolution Versus Creationism: The Public Education Controversy (Phoenix AZ: ORYX Press). ISBN 0897740610. 
  6. Lenski, Richard E. (2000). «Evolution: Fact and Theory». American Institute of Biological Sciences. Consultado em 2007-10-18. 
  7. Mayr, Ernst (1988). Toward a New Philosophy of Biology: Observations of an Evolutionist (Cambridge: Harvard University Press). ISBN 0-674-89666-1. 
  8. Cavalier-Smith T (2006). «Cell evolution and Earth history: stasis and revolution». Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci [S.l.: s.n.] 361 (1470): 969–1006. doi:10.1098/rstb.2006.1842. PMC 1578732. PMID 16754610. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • J.P. Franck, et al., "Evolution of a satellite DNA family in tilapia." Annual Meeting Canadian Federation of Biological Societies. Halifax, (1990).
  • M. Losseau-Hoebeke, "The biology of four haplochromine species of Lake Kivu (Zaire) with evolutionary implications." Thesis, Dept. Ichthyology, Rhodes University, Grahamstown, (1992).
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Evolution as theory and fact», especificamente desta versão.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Not Just a Theory (em inglês) Refuta a afirmação de que evolução é "apenas uma teoria", com explicação do significado de teoria no contexto científico.
  • Talk Origins (em (erro: código de língua '2n

' não reconhecido!)) Resposta à alegação de que não há exemplos observados de especiação.

  • Glenn Branch; Louise S. Mead (2008-06-06). «“Theory” in Theory and Practice» (pdf). Evo Edu Outreach (2008) 1:287–289. Springer Science + Business Media. Consultado em 2008-07-21.