Evolução cultural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Evolução cultural é uma ideia que remonta à uma reflexão muito antiga a respeito da diversidade das culturas humanas. Tal debate ganhou força com a publicação do A Origem das Espécies, de Charles Darwin, onde foi apresentada a ideia de evolução biológica, e abriu espaço para o questionamento da evolução da humanidade, tratando-o efetivamente como animais. A ideia precariamente apresentada por Darwin é aquela que apresenta a cultura de um povo como objeto de seleção natural e, por conseguinte, como ferramenta evolutiva.

Uma má interpretação deste pensamento trouxe o conceito de eugenia, uma filosofia que supunha que alguns povos eram melhores e/ou mais desenvolvidos que outros e, por isso, eram superiores a estes. O uso da eugenia como fundamento para totalitarismos, em especial no tocante aos partidos nazi-fascistas, criou uma resistência posterior a Segunda Guerra Mundial à inserção de fatores determinísticos oriundos das ciências naturais junto às considerações advindas das ciências humanas.

Em período posterior a ideia foi lentamente recuperada quando considerados conceitos de memes, Psicologia Evolucionista e Evolução Sociocultural.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Lévi-Strauss- Antropologia Estrutural II, Raça e Cultura/O Etnocentrismo,1973:337