Exército Democrático Budista dos Karen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira do grupo.

Exército Democrático Budista dos Karen foi um grupo insurgente de soldados e oficiais budistas em Mianmar que se separou do Exército de Libertação Nacional Karen, um grupo armado liderado predominantemente por cristãos e uma das maiores facções rebeldes em Mianmar. Pouco depois da ruptura com o Exército de Libertação Nacional Karen em dezembro de 1994, o Exército Democrático Budista dos Karen assinou um acordo de cessar-fogo com o governo de Mianmar em troca de assistência militar e financeira; desde que apoiasse ofensivas do governo contra a União Nacional Karen (a ala política do Exército de Libertação Nacional Karen) e seus aliados.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Formação[editar | editar código-fonte]

O Exército Democrático Budista dos Karen foi formado por várias razões. Um monge budista chamado U Thuzana iniciou uma campanha em 1992 para construir pagodes no Estado de Karen, inclusive na sede da União Nacional Karen em Manerplaw. Como a liderança da União Nacional Karen não concederia permissão para a construção dos pagodes, alegando que atrairiam os ataques aéreos do governo, Thuzana começou a encorajar soldados do Exército de Libertação Nacional Karen a desertarem da organização. Após algumas escaramuças e negociações fracassadas no início de dezembro de 1994, o Exército Democrático Budista dos Karen anunciou sua formação e a sua ruptura com a União Nacional Karen em 28 de dezembro de 1994.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a aliança informal entre o governo e o Exército Democrático Budista dos Karen começou a deteriorar-se na sequência das eleições gerais birmanesas de 2010, quando o grupo se confrontou violentamente com as forças do Tatmadaw. A violência provocou um êxodo massivo de refugiados através da fronteira para a Tailândia, particularmente através dos postos fronteiriços controlados pelo Exército Democrático Budista dos Karen. Em 12 de novembro, a Al Jazeera English informou que o grupo havia juntado forças com o Exército de Libertação Nacional Karen, um movimento julgado ser em resposta à ameaça de uma repressão do governo.[2]

Dissolução e criação da Brigada 5[editar | editar código-fonte]

Em 2010, alguns soldados do Exército Democrático Budista dos Karen romperam com a organização e renomearam-se Exército Democrático Benevolente dos Karen - Brigada 5, liderado por Bo Nat Khann Mway (Saw Lah Pwe). O grupo recém-formado originalmente tinha cinco brigadas sob seu controle (daí seu nome), mas atualmente comanda apenas três.[3][4][5][6]

Referências

  1. "MY GUN WAS AS TALL AS ME" - Child Soldiers in Burma. «V. OPPOSITION FORCES». Human Rights Watch 
  2. «Myanmar rebel armies join forces». Al-Jazeera English. 12 de Novembro de 2010 
  3. Noreen, Naw (7 de Novembro de 2010). «DKBA renegades seize border town». Democratic Voice of Burma 
  4. Weng, Lawi (8 de Novembro de 2010). «DKBA Troops Seize Three Pagodas Pass». The Irrawaddy. Arquivado do original em 10 de Novembro de 2010 
  5. Wade, Francis (3 de agosto de 2010). «KNU general-secretary says Saw La Bwe may come home». Danielpedersen.org. Arquivado do original em 25 de Julho de 2011 
  6. «Burma attack 'a warning of possible civil war'» (Nota de imprensa). Burma Campaign UK. 8 de Novembro de 2010