Exército Sírio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exército Sírio
Syrian Arab Army Flag.svg
A bandeira do exército.
País  Síria
Corporação Forças Armadas da Síria
Missão Força Terrestre
Criação 10 de agosto de 1946
Logística
Efetivo 125 000 (2015)[1]
Reserva 300 000[2]
Comando
Presidente (Comandante em Chefe) Bashar al-Assad
Ministro da Defesa General Fahd Jassem al-Freij[3][4]
Sede
Quartel General Damasco
Um tanque BMP-1 sírio, em 2016, durante a guerra civil do país.

O Exército Sírio, oficialmente chamado de Exército Árabe Sírio, é o componente terrestre das Forças Armadas da Síria. É o maior e mais importante braço do serviço militar sírio, controlando boa parte dos postos de alto escalão do Comando e tem o maior número de combatentes em serviço, com aproximadamente 80% de todos os militares do país. O Exército Sírio foi fundado pelos franceses depois da Primeira Guerra Mundial, quando estes ganharam o controle da região após o conflito.[5]

Historicamente, as forças sírias agiram primordialmente em defesa dos regimes vigentes. Em consequência, os militares acabavam colocando a defesa do governo como prioridade em detrimento dos direitos dos civis.[6][7]

Em 2011, frente a violenta guerra civil que assolava o país, o governo do presidente Bashar al-Assad enviou várias unidades do Exército para reprimir a insurreição. O resultado foi centenas de mortes, a grande maioria de civis.[8] As Nações Unidas e ativistas internacionais de direitos humanos culparam o Exército Sírio por dezenas de mortes, torturas e estupros.[9]

Em apoio aos manifestantes anti-governo, estimasse que 40 mil soldados desertaram o regime e iniciaram uma luta armada contra seus antigos comandantes.[10]

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "An Eroding Syrian Army Points to Strain". Página acessada em 16 de janeiro de 2016.
  2. International Institute for Strategic Studies, The Military Balance 2010, p.272-273.
  3. Leverrier, Ignace (2 de outubro de 2011). «Asef Chawkat ou comment s’en débarrasser?». Le Monde [S.l.: s.n.] Consultado em 3 de outubro de 2011. 
  4. Taheri, Amir (11 de agosto de 2011). «The lonely dictator» [S.l.: s.n.] The New York Post. Consultado em 15 de agosto de 2011. 
  5. Pollack, 2002, p.447
  6. History of the Syrian Arab Army: prussianization of the Arab Army, the Arab Revolt of 1916-1918, and the cult of nationalization of Arabs in the Levant after World War I, Infantry Magazine, Nov-Dec 2005.
  7. Kenneth M. Pollack, Arabs at War: Military Effectiveness 1948-91, University of Nebraska Press, Lincoln and London, 2002, and Pollack's book reviewed: Brooks, Risa A. "Making Military Might: Why Do States Fail and Succeed? A Review Essay." International Security 28, no. 2 (Fall 2003): 149-191.
  8. http://www.aljazeera.com/indepth/features/2011/11/20111116154829885782.html
  9. http://www.reuters.com/article/2011/11/28/us-syria-un-idUSTRE7AR13J20111128
  10. http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hVBCFHwdu5UZ7BYSKEWWyz9WMj4A?docId=CNG.f6d3a9636701d32f2295f7676a30b0bd.4a1

Ligações externas[editar | editar código-fonte]