Exalted

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Exalted é um RPG publicado pela editora White Wolf. É um jogo classificado como "high fantasy", mas pode ser descrito mais apuradamente como "fantasia mítica" e foi inspirado por uma mistura de mitologias do mundo, bem como o animes japoneses.[1][2] O autor evitou ao máximo tomar como inspiração os trabalhos de J. R. R. Tolkien.[3]

Visão geral do jogo[editar | editar código-fonte]

A premissa básica do jogo é a de que os personagens do jogador são escolhidos por um ser superior(como o Sol Indomável (Unconquered Sun), Luna, os Neverborn, Autochthon, as Cinco Damas (Five Maidens), ou os Cinco Dragões Elementais (Five Elemental Dragons) e investidos com os poderes de um semi-deus.

Originalmente, os Exalted foram criados pelos deuses para destronar os outros Primordiais e governar a Criação. Entretanto, quando os Primordiais foram mortos, se tornando assim os Neverborn, eles amaldiçoaram todos os Exalted; mais ainda os Solar Exalted. Os governantes da Primeira Era tornaram-se decadentes e corruptos em seu grande poder antes de serem usurpados pelos servos dos Terrestrial Exalted. Após centenas de anos de perseguição, eles estão começando a retornar e crescer em número em uma Criação que pode não sobreviver aos seus inimigos tempo suficiente para os Exalted poderem colocar a sua marca no mundo mais uma vez, para o bem, ou para o mal.

Influências[editar | editar código-fonte]

O cenário é fortemente influenciado por fantasia pulp como Tales from the Flat Earth de Tanith Lee; Conan de Robert Howard; Elric, Corum e Hawkmoon de Michael Moorcock; The Black Company de Glen Cook; e Gods of Pegaña de Lord Dunsany; assim como épicos clássicos como Three Kingdoms, Outlaws of the Marsh, Journey to the West, a Ilíada, a Odisseia, Beowulf, o Epico de Gilgamesh e a Bíblia; e finalmente, filmes chineses no estilo Wuxia, como Herói, The Storm Riders e O Tigre e o Dragão.

Outras influências, mais visuais e menos temáticas, incluem os animes e mangás japoneses, assim como Videogame, especificamente RPGs, como Final Fantasy e Chrono Trigger, e o cenário Sword & Sorcery da própria White Wolf, as Scarred Lands.

Mecânicas de jogo[editar | editar código-fonte]

O Exalted tem mecânica e temas similares às antigas series da White Wolf, o antigo Mundo das Trevas, mas existe em sua própria linha de produtos, a Era das Tristezas. O jogo tem um excelente histórico de vendas, comparável a Vampiro: A Máscara, titulo mais famoso da White Wolf. Talvez para manter um senso de continuidade, o material publicado na primeira edição sugeria que a Era das Tristezas era a Pré-História do antigo Mundo das Trevas, porém isso não foi confirmado. Mas deve ser notado que a White Wolf frequentemente colocava nomes e temas familiares aos jogadores do Mundo das Trevas, adicionando lenha na fogueira da especulação de que é uma pré-história. Contudo, os Desenvolvedores comentaram que a conexão é tênue, para os jogadores decidirem se agarram, ou se a deixam ir. Com a criação do Novo Mundo das Trevas, essas similaridades tornaram-se ainda mais fracas. Além disso, a segunda edição insinua que aquela história é a verdadeira pré-história do nosso próprio mundo.

O jogo utiliza dados de 10 faces e um sistema de regras chamado Storytelling System para arbitrar a ação e como muitos outros RPGs, requer pouca coisa além do livro de regras, como dados, lápis e papel.

Referências

  1. Ubiratan “Bira” Alberton (6 de setembro de 2011). «Arquivo REDERPG: Exalted (resenha)». RedeRPG 
  2. Paul (2002). "Uma nova fantasia" (em português). Dragão Brasil (86). Trama Editorial.
  3. Ubiratan “Bira” Alberton (5 de março de 2015). «Exalted 2a Edição (resenha)». redeRPG 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]