Exercícios militares chineses em torno de Taiwan em 2022

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Exercícios militares chineses em torno de Taiwan em 2022
Parte de Conflito China-Taiwan
PLA-Taiwan-202208.map.png
Áreas onde os exercícios do Exército Popular de Libertação estavam programados para ocorrer entre 4 e 7 de agosto
Período 4-15 de agosto de 2022 [1]
Local Oceano ao redor de Taiwan
Resultado
  • "Bloqueio" aéreo e marítimo[2]
  • Mais "patrulhas" do Exército Popular de Libertação anunciadas
  • Maior deterioração das relações entre China e Estados Unidos e entre China e Taiwan
Causas Visita de Nancy Pelosi a Taiwan
Participantes do conflito
República da China (Taiwan) República Popular da China
Líderes

Os exercícios militares chineses em torno de Taiwan foram uma série de exercícios militares navais e aéreos da República Popular da China (RPC) em torno do território de facto independente de Taiwan. A ação chinesa, que durou inicialmente de 4 a 7 de agosto de 2022 e envolveu exercícios de simulações de combate, incursões aéreas, mobilizações navais e lançamentos de mísseis balísticos pelo Exército de Libertação Popular, ocorreu em resposta à visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos Nancy Pelosi.[3][4] Nancy Pelosi originalmente pretendia viajar para Taiwan em abril de 2022,[5] mas adiou depois de testar positivo para COVID-19.[6] Ela remarcou a viagem para agosto como parte de um trajeto mais amplo na Ásia. Diversas fontes alegam que a Casa Branca estava inicialmente dividida quanto à conveniência da viagem, mas posteriormente afirmou o direito de Pelosi visitar Taiwan.[7][8][9][10]

Os exercícios, que atraíram críticas das nações do G7, foram uma demonstração de força destinada a deter o que a República Popular da China percebe como envolvimento dos Estados Unidos nos chamados “assuntos internos chineses” e demonstrar o poder militar chinês na região para o público internacional e doméstico.[11][12][13] Os exercícios de simulações de combate foram sem precedentes na história recente[14] e ocorreram em seis zonas que cercavam as vias navegáveis internacionais e rotas de aviação mais movimentadas da ilha.[15][16] Em 8 de agosto, os militares da China anunciaram novos exercícios militares em torno de Taiwan.[17] A China anunciou o fim dos exercícios em 10 de agosto, mas também afirmou que "patrulhas" regulares seriam lançadas no Estreito de Taiwan.[18][19]

Escalada de tensões[editar | editar código-fonte]

Tensões regionais no Mar Meridional[editar | editar código-fonte]

Taiwan assinou um acordo com os Estados Unidos em 24 de março de 2021 para estabelecer um "Grupo de Trabalho da Guarda Costeira" para coordenar políticas após a China ratificar uma lei em janeiro dando permissão à guarda costeira chinesa de disparar em navios estrangeiros.[20]

Incursões dentro da ZADI de Taiwan (2021–presente)[editar | editar código-fonte]

Em 26 de março de 2021, o Ministério de Defesa de Taiwan notou que 20 aviões, incluindo 4 bombardeiros de capacidade nuclear da China e dez jatos de ataque, entraram na zona aérea de defesa e identificação (ZADI) de Taiwan. O governo emitiu um alerta por rádio e acionou seu sistema de defesa aéreo para monitorar a atividade.[12]

Analistas descreveram as incursões do Exército de Libertação Popular como "táticas de zona cinza". Em 12 de abril de 2021 ocorreu a décima das incursões e a maior até então, com a força aérea do Exército de Libertação Popular utilizando 22 aeronaves, incluindo 14 jatos de ataque, quatro Chengdu J-10, e quatro bombardeiros Xian H-6 dentro da ZADI, de acordo com o Ministério de Defesa Nacional de Taiwan.[21][22][23]

Em um relatório bianual em novembro de 2021, o Ministério de Defesa de Taiwan alertou que a República Popular da China havia obtido a capacidade de cercar e bloquear os portos, aeroportos, e rotas de voo exteriores da ilha.[24]

Curso das ações[editar | editar código-fonte]

Início dos exercícios (Agosto de 2022)[editar | editar código-fonte]

Em resposta à visita de Pelosi, a República Popular da China anunciou quatro dias de exercícios militares com uso de artilharia real, algo sem precedentes,[25] em seis zonas em torno da ilha que intercedem as rotas internacionais navais e aeronáuticas mais utilizadas.[26] Em resposta ao anúncio, oficiais de Taiwan reclamaram que o exercício do Exército de Libertação Popular era uma invasão do espaço territorial de Taiwan e um desafio direto à liberdade de navegação marítima e aérea.[27] Em uma demonstração de força, a RPC utilizou um grupo aeronaval, como também pelo menos um submarino nuclear no Estreito de Taiwan, com ambas as embarcações participando do exercício.[28] A RPC anunciou exercícios adicionais tanto no mar Amarelo como no Bohai, e a Administração de Segurança Marítima da China anunciou cinco áreas restritas no Mar Amarelo onde os exercícios aconteceriam de 5 de agosto à 15 de agosto, como também quatro zonas adicionais no Mar Bohai onde um mês de operações militares aconteceriam a partir de 9 de agosto.[29]

Durante os exercícios, foi confirmado que a China utilizou 11 mísseis, o dobro de número utilizado em julho de 1995 durante a terceira crise do estreito de Taiwan.[30]

Enquanto os exercícios do Exército de Libertação Popular ocorriam no dia 4 de agosto, um grupo aeronaval dos Estados Unidos, estava conduzindo operações no Mar das Filipinas, incluindo em águas no sudeste de Taiwan.[31] Entretanto, os Estados Unidos cancelaram o teste do míssil 'Minuteman III', que estava programado para acontecer durante a semana em que a crise começou, para não escalar as tensões com a China.[32]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Krishnan, Ananth (7 de agosto de 2022). «China continues military drills in Taiwan Strait». The Hindu 
  2. Dasgupta, Sravasti. «Taiwan says Chinese live-fire drills amount to 'blockade' in response to Pelosi visit». Yahoo. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2022 
  3. Zhen, Liu (3 de agosto de 2022). «China vows military operations around Taiwan in response to Pelosi visit». South China Morning Post (em inglês). Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2022 
  4. Tian, Yew Lun (2 de agosto de 2022). «China to launch 'targeted military operations' due to Pelosi visit». Reuters (em inglês). Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2022 
  5. Pollard, Martin Quin (7 de abril de 2022). «China warns U.S. against House Speaker Pelosi visiting Taiwan». Reuters (em inglês). Consultado em 3 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2022 
  6. Chiacu, Doina (8 de abril de 2022). «U.S. House Speaker Pelosi is latest U.S. official to test positive for COVID». Reuters (em inglês). Consultado em 3 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2022 
  7. Mason, Jeff; Martina, Michael (1 de agosto de 2022). «White House: U.S. will not be intimidated by China; Pelosi has right to visit Taiwan». Reuters. Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  8. «Nancy Pelosi's plan to visit Taiwan prompts outrage from China». Financial Times. Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  9. Китай-Тайвань: на тлі можливого візиту Пелосі зростає напруження [China-Taiwan: Tensions rise amid possible Pelosi visit] (em ucraniano). BBC News Україна. Consultado em 2 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2022 
  10. Ненсі Пелосі летить на Тайвань: що потрібно знати про кризу між США і Китаєм [Nancy Pelosi flies to Taiwan: what you need to know about the crisis between the USA and China]. unian.ua (em ucraniano). Consultado em 2 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2022 
  11. Wang, Vivian (6 de agosto de 2022). «Chinese Military Drills Aim to Awe, Both Abroad and at Home». The New York Times. Consultado em 8 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2022 
  12. a b «Twenty Chinese military fighter jets entered Taiwan's ADIZ». Airforce Technology (em inglês). 29 de março de 2021. Consultado em 4 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2022 
  13. Lee, Yimou; Brunnstrom, David (7 de agosto de 2022). «Chinese and Taiwanese warships shadow each other as drills due to end». Reuters. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2022 
  14. Zheng, Sarah (2 de agosto de 2022). «China Plans Four Days of Military Drills in Areas Encircling Taiwan». Bloomberg. Consultado em 3 de agosto de 2022 
  15. «China starts biggest-ever military drills around Taiwan in wake of Pelosi's visit». CBS News (em inglês). Consultado em 9 de agosto de 2022 
  16. Davidson, Helen; Ni, Vincent (3 de agosto de 2022). «China to begin series of unprecedented live-fire drills off Taiwan coast». The Guardian (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  17. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome guardian-resumes-drills
  18. «China Says Taiwan Military Drills Over, Plans Regular Patrols». Bloomberg.com (em inglês). 10 de agosto de 2022. Consultado em 14 de agosto de 2022 
  19. Pollard, Martin Quin; Lee, Yimou (11 de agosto de 2022). «China military 'completes tasks' around Taiwan, plans regular patrols». Reuters (em inglês). Consultado em 14 de agosto de 2022 
  20. «Taiwan, U.S. to strengthen maritime coordination after China law». Reuters. 26 de março de 2021. Consultado em 7 de agosto de 2022 
  21. «10 Chinese warplanes enter Taiwan's ADIZ - Focus Taiwan». Focus Taiwan (em chinês). 4 de maio de 2021. Consultado em 25 de abril de 2021. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  22. Chang, Eric (13 de abril de 2021). «25 Chinese military aircraft intrude into Taiwan's ADIZ». Taiwan News. Consultado em 25 de abril de 2021. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  23. Brad Lendon (13 de abril de 2021). «China sends 25 warplanes into Taiwan's air defense zone, Taipei says». CNN. Consultado em 25 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de março de 2022 
  24. Chung, Lawrence. «China can already cut Taiwan off by sea and by air, Taiwan's military says». Business Insider (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2021 
  25. Zheng, Sarah (2 de agosto de 2022). «China Plans Four Days of Military Drills in Areas Encircling Taiwan». Bloomberg. Consultado em 3 de agosto de 2022 
  26. Davidson, Helen; Ni, Vincent (3 de agosto de 2022). «China to begin series of unprecedented live-fire drills off Taiwan coast». the Guardian (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  27. Lee, Yimou (4 de agosto de 2022). «China begins 'illegitimate, irresponsible' live-fire military drills - Taiwan». Reuters (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  28. https://timesofindia.indiatimes.com/world/china/pelosi-visit-china-deploys-aircraft-carrier-group-n-sub-in-taiwan-straits-military-drills/articleshow/93353674.cms
  29. https://www.washingtonpost.com/world/2022/08/07/china-taiwan-military-drills/
  30. Sabur, Rozina; Mistreanu, Simina; Oung, Angelica (4 de agosto de 2022). «China fires missiles 'over mainland Taiwan' in serious escalation of military threats». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  31. «U.S. Navy say carrier USS Ronald Reagan conducting operations in Philippine Sea». Reuters (em inglês). 4 de agosto de 2022. Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2022 
  32. «U.S. delays Minuteman III missile test over Taiwan tensions». Reuters (em inglês). 4 de agosto de 2022. Consultado em 5 de agosto de 2022. Cópia arquivada em 6 de agosto de 2022