Experiência de Kennedy-Thorndike

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde julho de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

A experiência de Kennedy-Thorndike, também chamada de estabelecimento experimental da relatividade do tempo, consistiu em uma versão modificada da experiência de Michelson-Morley e serviu, pelo seu resultado nulo, para ajudar a falsear a teoria do éter. Foi levada a cabo pela primeira vez em 1932.

Nesta experiência, o projeto do interferômetro era diferente, onde um dos braços cruzados do experimento original era muito maior que o outro. Isso visava tentar compensar o suposto efeito da contração de Fitzgerald-Lorentz, hipótese ad hoc para explicar os resultados nulos da experiência da Michelson-Morley. Esse suposto efeito só deveria influenciar corpos materiais, e serviu de base para as teorias que colocavam os elétrons e prótons como tendo massa de natureza puramente eletromagnética, tais como a teoria de Lorentz sobre o assunto.

Sendo um dos braços do interferômetro muito maior em comprimento do que o outro, estariam sujeitos a diferentes velocidades rotacionais da Terra. Assim, estariam sujeitos a diferentes contrações de Fitzgerald-Lorentz. Tal construção poria em evidência o arraste de éter que não se pode medir na experiência de Michelson-Morley. Contudo, mais uma vez os resultados foram nulos, reforçando assim a teoria da relatividade.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Kennedy, R. J. and Thorndike, E. M. (1932). Experimental

Establishment of the Relativity of Time. Phys. Rev. 42, 400.

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.