Experiência de Miller e Urey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Esquema do experimento

A experiência de Miller e Urey foi uma experiência científica concebida para testar a hipótese de Oparin e Haldane sobre a origem da vida.

Segundo o experimento, as condições na Terra primitiva favoreciam a ocorrência de reações químicas que transformavam compostos inorgânicos em compostos orgânicos precursores da vida. Em 1953, Stanley L. Miller e Harold C. Urey da Universidade de Chicago realizaram uma experiência para testar a hipótese de Oparin e Haldane que ficou conhecida pelos nomes dos cientistas.[1] Esta experiência tornou-se na experiência clássica sobre a origem da vida.

Experiência[editar | editar código-fonte]

Video descritivo da experiência de Miller e Urey

A experiência de Miller consistiu basicamente em simular as condições da Terra primitiva postuladas por Oparin e Haldane. Para isso, criou um sistema fechado, sem oxigênio gasoso, onde inseriu os principais gases atmosféricos, tais como hidrogênio, amônia, metano, além de vapor d'água.[2] Através de descargas elétricas, e ciclos de aquecimento e condensação de água, obteve após algum tempo, diversas moléculas orgânicas (aminoácidos). Deste modo, conseguiu demonstrar experimentalmente que seria possível aparecerem moléculas orgânicas através de reações químicas na atmosfera utilizando compostos que poderiam estar nela presentes. Estas moléculas orgânicas são indispensáveis para o surgimento da vida.

Comprovações[editar | editar código-fonte]

Reanálises publicadas em outubro de 2008 do material original da experiência, mostraram a presença de 22 aminoácidos ao contrário dos 5 publicados no artigo original. Antigos resultados mostram uma forte evidência de estas moléculas orgânicas específicas poderem ser sintetizadas de reagentes inorgânicos atmosféricos. Comprovando então a hipótese da vida heterotrófica.[3]

Química do experimento[editar | editar código-fonte]

A primeira etapa das reações químicas da mistura de gases deu origem ao cianeto de hidrogênio (HCN), formaldeido (CH2O) e outros compostos químicos como o acetileno, cianoacetileno, etc:

CO2 → CO + [O] (oxigênio atómico)
CH3 + 2[O] → CH2O + H2O
CO + NH3 → HCN + H2O
CH4 + NH3 → HCN + 3H1 ([Proceso Degussa)

O formaldeido, a amônia e o HCN reagiram entre si em um processo conhecido como Síntese de aminoácido de Strecker para formar aminoácidos e outras biomoléculas:

CH2O + HCN + NH3 → NH2-CH2-CN + H2O
NH2-CH2-CN + 2H2O → NH3 + NH2-CH-COOH (glicina)

Além disso, a água e o formaldeído reagiram pelo processo conhecido como Reação de Butlerov para produzir vários açúcares , tais como a ribose.

As experiências mostraram que compostos orgânicos simples, proteínas e outras macromoléculas podem ser formados a partir de gases com a adição de energia.

Aminoácidos identificados[editar | editar código-fonte]

Abaixo é a tabela de aminoácidos produzidos e identificados no "clássico" experimento de 1952, como publicado por Miller em 1953,[4] the 2008 re-analysis of vials from the volcanic spark discharge experiment,[5] and the 2010 re-analysis of vials from the H2S-rich spark discharge experiment.[6]

Aminoácido Produzidos no experimento Proteinogenic
Miller–Urey

(1952)

Volcanic spark discharge

(2008)

H2S-rich spark discharge

(2010)

Glicina Sim
α-Alanina Sim
β-Alanina
Ácido aspártico Sim
Ácido α-aminobutírico
Serina Sim
Isoserina
α-Aminoisobutyric acid
β-Aminoisobutyric acid
β-Aminobutyric acid
γ-Aminobutyric acid
Valine Sim
Isovaline
Glutamic acid Sim
Norvaline
α-Aminoadipic acid
Homoserine
2-Methylserine
β-Hydroxyaspartic acid
Ornithine
2-Methylglutamic acid
Phenylalanine Sim
Homocysteic acid
S-Methylcysteine
Methionine Sim
Methionine sulfoxide
Methionine sulfone
Isoleucine Sim
Leucine Sim
Ethionine
Cysteine Sim
Histidine Sim
Lysine Sim
Asparagine Sim
Pyrrolysine Sim
Proline Sim
Glutamine Sim
Arginina Sim
Threonine Sim
Selenocysteine Sim
Tryptophan Sim
Tyrosine Sim

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mariana Araguaia. «Experimento de Miller». Mundo Educação. Consultado em 13 de outubro de 2016. Arquivado do original em 13 de outubro de 2016 
  2. «Morre Stanley Miller, o homem da "sopa orgânica"». G1 Notícias. 4 de maio de 2008. Consultado em 13 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2016 
  3. «Bases da construção da vida – a origem dos seres vivos». Vidraria de Laboratório. 18 de novembro de 2015. Consultado em 13 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 23 de abril de 2016 
  4. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome miller1953
  5. Myers, P. Z. (16 de outubro de 2008). «Old scientists never clean out their refrigerators». Pharyngula. Consultado em 7 de abril de 2016. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2008 
  6. Parker, ET; Cleaves, HJ; Dworkin, JP; et al. (14 de fevereiro de 2011). «Primordial synthesis of amines and amino acids in a 1958 Miller H2S-rich spark discharge experiment». Proceedings of the National Academy of Sciences. 108 (14): 5526–31. Bibcode:2011PNAS..108.5526P. PMC 3078417Acessível livremente. PMID 21422282. doi:10.1073/pnas.1019191108 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]