Experimento de Griffith

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O experimento de Griffith, relatado em 1928 por Frederick Griffith,[1] foi o primeiro experimento sugerindo que bactérias são capazes de transferir informação genética através de um processo conhecido como Transformação.[2][3] A descoberta de Griffith foi seguida pela do final da década de 1930 e início da década de 1940 que isolou o DNA como o material que comunicava esta informação genética.

Referências

  1. Griffith, Fred. (janeiro de 1928). «The Significance of Pneumococcal Types» 2 ed. Cambridge University Press. Journal of Hygiene. 27: 113–159. JSTOR 4626734. PMC 2167760Acessível livremente. PMID 20474956. doi:10.1017/S0022172400031879 
  2. Lorenz, M. G.; Wackernagel, W. (1 de setembro de 1994). «Bacterial gene transfer by natural genetic transformation in the environment» 3 ed. Microbiological Reviews. 58: 563–602. PMC 372978Acessível livremente. PMID 7968924 
  3. Downie, A. W. (1972). «Pneumococcal transformation — a backward view: Fourth Griffith Memorial Lecture» (PDF) 1 ed. Journal of General Microbiology. 73: 1–11. PMID 4143929. doi:10.1099/00221287-73-1-1. Consultado em 30 de novembro de 2011 
(Referências do experimento original. Artigo original e 35ª reimpressão de aniversário disponível.)