Experimento mental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em filosofia e em física, um experimento mental ou experiência mental (da expressão alemã Gedankenexperiment) constitui um raciocínio lógico sobre um experimento não realizável na prática mas cujas conseqüências podem ser exploradas pela imaginação, pela física ou pelas matemáticas. Esses experimentos são utilizados para se compreender aspectos não experimentáveis do Universo. A expressão foi popularizada pelos Gedankenexperiment utilizados por Albert Einstein para explorar algumas das conseqüências da Teoria da Relatividade. Um experimento mental clássico permite por exemplo demonstrar a conhecida equivalência massa-energia expressada pela equação:


E=m c^2

Contudo, o conceito de experimento mental é muito mais antigo e remonta à tradição grega. Um famoso exemplo é a alegoria do mito da caverna de Platão. Outros exemplos clássicos se encontram no pensamento de Sócrates. Os experimentos mentais em física remontam ao menos à época de Galileu Galilei.

Muitos experimentos mentais incluem aparentes paradoxos sobre fatos conhecidos ou aceitos que tem permitido reformular ou precisar em maior medida diferentes teorias científicas[1] .

Experimentos mentais famosos[editar | editar código-fonte]

Filosofia[editar | editar código-fonte]

A filosofia faz intenso uso de experimentos mentais. Eis alguns exemplos:

Ilustração da Alegoria da Caverna
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Física[editar | editar código-fonte]

Ilustração da Teoria da Relatividade
Portal A Wikipédia possui o portal:


Matemática[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Matemática.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Inglês:

Referências

  1. Thought Experiments primeira public. 28/12/96 pela stanford encyclopedia of philosophy [1]