Express (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Express ou Ekspress (em russo Экспресс) é o nome de uma série de satélites de comunicações russos operados pela empresa estatal Russian Satellite Communications Company (RSCC), com sede em Moscou.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro satélite Express foi lançado no dia 13 de outubro de 1994, desde então, a série de satélites tem sido constantemente melhorado e agora inclui modelos Express, Express A, Express AM, Express MD e está para complementar o desenvolvimento do Express AT.

A maioria dos satélites são fabricados pela ISS Reshetnev (ex NPO PM). O modelo Express MD menor e mais leve é fabricado pela GKNPZ Khrunichev com base no satélite KazSat 1. Pesando 5.775 kg, o Express AM4 foi construído pela Astrium baseado no barramento do satélite Eurostar 3000.[1]

Os veículos de lançamentos usados para colocar os satélites em órbita sempre foram um foguete Proton-K/Block-DM-2M ou um Proton-M/Briz-M. Três satélites foram perdidos devido a um mau funcionamento do veículo de lançamento.

Frota de satélites Express[editar | editar código-fonte]

Satélite Lançamento Posição Estado Comentários
Série Express
Express 1 13 de outubro de 1994 14° Oeste Inativo
Express 2 29 de setembro de 1996 80° Leste Inativo
Série Express A
Express A1 27 de outubro de 1999 Destruído Falha no foguete durante a operação de lançamento.
Express A2 12 de março de 2000 103° Leste Inativo
Express A3 24 de junho de 2000 11° Oeste Inativo
Express A4 10 de junho de 2002 14° Oeste Ativo
Série Express AM
Express AM22 28 de dezembro de 2003 53° Leste Ativo
Express AM11 26 de abril de 2004 96,5° Leste Inativo O satélite no dia 28 de março de 2006, apresentou um defeito devido a uma influência externa, provavelmente causado por uma colisão com lixo espacial.
Express AM1 30 de outubro de 2004 40° Leste Inativo
Express AM2 29 de março de 2005 80° Leste Ativo
Express AM3 24 de junho de 2005 140° Leste Ativo
Express AM33 28 de janeiro de 2008 96,5° Leste Ativo
Express AM44 11 de fevereiro de 2009 11° Oeste Ativo
Express AM4 17 de agosto de 2011 14° Oeste Destruído Falha no lançamento: Devido a um erro na orientação do bloco acelerador Briz-M o satélite acabou sendo colocado em uma órbita errada.[2] Apesar dos esforços não foi possível o satélite ser utilizado para transmitir internet banda larga para a estação antártica do Equador.[3] O Express AM4 acabou caindo sobre o Oceano Pacífico no dia 28 de março de 2012.
Express AM5 26 de dezembro de 2013 140° Leste Ativo [4] [5] [6]
Express AM6 21 de outubro de 2014 53° Leste Ativo [4]
Express AM7 18 de março de 2015 40º Leste Ativo [7]
Express AM8 14 de setembro de 2015 14º Oeste Ativo
Express AM4R 15 de maio de 2014 80° Leste Destruído O mesmo seria o substituto para o Express AM4, mas foi perdido após uma falha do estágio superior Briz-M.[8]
Série Express AT
Express AT1 16 de março de 2014 56° Leste Ativo
Express AT2 16 de março de 2014 140º Leste Ativo
Série Express MD
Express MD1 11 de fevereiro de 2009 80° Leste Fracassou O satélite saiu de serviço durante o mês de agosto de 2013 após sofrer uma série de falhas, que deixou o satélite fora de controle.[9]
Express MD2 6 de agosto de 2012 145º Leste Fracassou Falha no lançamento: o satélite não atingiu a órbita prevista[10]
Série Express AMU
Express AMU1 24 de dezembro de 2015 36° Leste Ativo

Referências

  1. Astrium: Astrium awarded two satellite contracts by the Russian operator RSCC
  2. NASASpaceFlight.com: FAILURE: Russia’s Ekspress-AM4 is lost as Proton-M Briz-M fails
  3. Thomas Weyrauch: Express-AM 4 beim Wiedereintritt zerstört
  4. a b Anatoly Zak, S. Günes. «Planned Russian Space Missions In 2013». 
  5. «Russland entwickelt neue Gruppierung von Nachrichtensatelliten». 
  6. «Ekspress-AM 5» (em inglês). Gunter's Space Page. Consultado em 15 de abril de 2014. 
  7. «Ekspress-AM 7» (em inglês). Gunter's Space Page. Consultado em 19 de março de 2015. 
  8. «Rússia perde o mais poderoso dos seus satélites de telecomunicações». VOZ DA RÚSSIA. Consultado em 16 de maio de 2014. 
  9. «Express MD1» (em inglês). TSE. Consultado em 12 de outubro de 2014. 
  10. Günther Glatzel. «Fehleranalyse vom Proton-Start am 6. August». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]