Expresso 2222

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outro significado, veja Expresso 2222 (desambiguação).
Expresso 2222
Álbum de estúdio de Gilberto Gil
Lançamento Julho de 1972
Gravação Gravado em 16 canais no estúdio Eldorado em abril de 1972
Gênero(s) MPB, Tropicália
Duração 34:01
Idioma(s) Português
Formato(s) Disco de vinil
Gravadora(s) Philips Records (LP, CD e Fita cassete até 1998)
Universal Music (CD a partir de 1999)
Produção Roberto Menescal
Cronologia de estúdio por Gilberto Gil
Gilberto Gil
(1971)
Cidade do Salvador
(1973)

Expresso 2222 é o quinto álbum de estúdio lançado pelo cantor e compositor baiano Gilberto Gil, lançado em julho de 1972, pela Philips Records (atual Universal Music). A faixa-título tornou-se bastante conhecida, e viria a ser usada para nomear um trio elétrico coordenado por Gil desde 1998 na Bahia. Em outubro de 2007, a revista Rolling Stone Brasil divulgou uma lista dos 100 maiores discos da música brasileira, na qual o álbum ficou na 26ª posição.[1]

História e produção[editar | editar código-fonte]

O nome Expresso 2222 dá-se em homenagem a um trem pego por Gil para sair de sua cidade natal em direção a Salvador. O álbum, lançado em 1972, marca o retorno de Gil ao Brasil após um exílio de três anos em Londres.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Pipoca Moderna" (Sebastião C. Biano) — 01:57
  2. "Back in Bahia" (Gilberto Gil) — 04:35
  3. "O Canto da Ema" (João do Valle / Aires Viana / Alventino Cavalcanti) — 06:20
  4. "Chiclete com Banana" (Almira Castilho/Gordurinha) — 03:23
  5. "Ele e Eu" (Gilberto Gil) — 02:17
  6. "Sai do Sereno" (Onildo Almeida) — 03:20
  7. "Expresso 2222" (Gilberto Gil) — 02:38
  8. "O Sonho Acabou" (Gilberto Gil) — 03:32
  9. "Oriente" (Gilberto Gil) — 05:59

Bonus tracks do CD:

  1. "Cada Macaco no seu Galho" (Riachão) — 04:23
  2. "Vamos Passear no Astral" (Gilberto Gil) — 02:54
  3. "Está na Cara, Está na Cura" (Gilberto Gil) — 02:38

Recepção e crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4.5 de 5 estrelas. link

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Gilberto Gil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. "Os 100 maiores discos da Música Brasileira" - Rolling Stone Brasil, outubro de 2007, edição nº 13, página 109