Fábio Ramalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fábio Ramalho
Vice-presidente da Câmara dos Deputados do Brasil
Período 2 de fevereiro de 2017
até atualidade
Antecessor(a) Waldir Maranhão
Deputado Federal por Minas Gerais
Período 1º de fevereiro de 2007
até atualidade
Prefeito de Malacacheta
Período 1997 - 2004
Dados pessoais
Nascimento 22 de fevereiro de 1961 (56 anos)
Brasília, DF, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Agostinha Ramalho Andrade
Pai: Joaquim dos Santos Coimbra
Alma mater FENORD
Partido PTB (1999–2005)
PV (2005–2015)
PMB (2015–2016)
PMDB (2016-presente)
Profissão Empresário

Fábio Augusto Ramalho dos Santos (Brasília, 22 de dezembro de 1961), simplesmente Fábio Ramalho, é um empresário e político brasileiro. Atualmente deputado federal, ele já foi prefeito do município de Malacacheta, estado de Minas Gerais (1997-2004), pelo PTB.[1] Atualmente é 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados, eleito em 2 de fevereiro de 2017.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formação[editar | editar código-fonte]

Foi participante do VII Sessão do Fórum de Parlamentares das Nações Unidas para a luta contra a desertificação - UNCD, Madri, Espanha, em setembro de 2007. É formado em Direito pela Fundação Educacional Nordeste Mineiro (FENORD), em Teófilo Otoni, estado de Minas Gerais. Foi integrante da Associação do Vale do Mucuri, estado de Minas Gerais, de 1997 até 2004. Recebeu como condecorações as medalhas: JK, Santos Dumont e Inconfidência Mineira.[1]

Atuação parlamentar[editar | editar código-fonte]

Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo Partido Verde.

Posteriormente, foi filiado ao PMB, antes de migrar para o PMDB.

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[3] Já no Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[3] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[3] [4] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[3][5]

Lideranças[editar | editar código-fonte]

Atuou na Câmara dos Deputados como: vice-líder no Bloco PV/PSD, de 9 de fevereiro de 2011 até 21 de março de 2012; vice-líder, PMB, de 24 de fevereiro de 2016 até 11 de março de 2016; vice-líder do Bloco PMDB/PEN,de 16 de abril de 2016 até 20 de abril de 2016.[1]

Referências

  1. a b c Câmara dos Deputados
  2. Fabio Murakawa e Raphael Di Cunto (2 de fevereiro de 2017). «Fábio Ramalho é eleito 1º vice-presidente da Câmara». Valor Econômico. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  3. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.