Fábio Wajngarten

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fábio Wajngarten
Fábio Wajngarten
Secretário Especial de Comunicação Social
Período 11 de abril de 2019
até a atualidade
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor Floriano Barbosa de Amorim Neto
Dados pessoais
Nascimento 1976 (44 anos)
Religião Judaísmo[1]
Profissão advogado
empresário

Fabio Wajngarten é um advogado, empresário do setor de pesquisa e atual chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do Governo Federal do Brasil.[1] É cofundador do Instituto Liberta, que tem o objetivo de combater a exploração sexual de crianças e adolescentes.[2] É membro também do Conselho Internacional do Hospital Hadassah de Jerusalém e presidente da Instituição Brasil. Foi diagnosticado com COVID-19 em 12 de março de 2020 após retorno de viagem aos Estados Unidos em comitiva do presidente Jair Bolsonaro.[3] Foi suspeito de de corrupção e peculato e a Polícia Federal abriu inquérito para investigá-lo em fevereiro de 2020.[4]

Referências

  1. a b «Quem é Fabio Wajngarten, o polêmico chefe da Secom de Bolsonaro». BBC Brasil. 22 de janeiro de 2020. Consultado em 12 de março de 2020 
  2. «Assista neste domingo à noite entrevista com Fabio Wajngarten». Poder360. 9 de fevereiro de 2020. Consultado em 12 de março de 2020 
  3. «Chefe da Secom, Fábio Wajngarten testa positivo para coronavírus». UOL. 12 de março de 2020. Consultado em 12 de março de 2020 
  4. Isadora Peron; Fabio Murakawa (4 de fevereiro de 2020). «PF abre inquérito para investigar chefe da Secom por suspeita de corrupção e peculato». Valor Investe. Consultado em 14 de março de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fábio Wajngarten