Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Fátima (desambiguação).
 Portugal Fátima  
—  Freguesia  —
Santuário de Fátima
Santuário de Fátima
Bandeira de Fátima
Bandeira
Brasão de armas de Fátima
Brasão de armas
Fátima está localizado em: Portugal Continental
Fátima
Localização de Fátima em Portugal
Coordenadas 39° 38' N 8° 40' O
País  Portugal
Região Lisboa e Vale do Tejo
Sub-região Médio Tejo
Antiga província Beira Litoral
Distrito STR.png Santarém
Concelho VNO1.png Ourém
Fundação 1568
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Humberto Silva (PSD)
Área
 - Total 84,97 km²
População (2011)
 - Total 11 596
    • Densidade 136,5/km2 
Gentílico: Fatimense
Código postal 2495
Orago Nossa Senhora dos Prazeres
Nossa Senhora de Fátima
Sítio www.jf.fatima.pt

Fátima é uma cidade portuguesa, sede de freguesia, subdivisão do concelho de Ourém, com 71,29 km² de área e 11 596 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é 162,7 hab/km². Pertence ao Distrito de Santarém, na região de Lisboa e Vale do Tejo e sub-região do Médio Tejo. Sua fama mundial se deve ao fato de que, em 13 de maio de 1917, a Virgem Maria alegadamente apareceu aos pastorinhos, na forma de Nossa Senhora de Fátima.

A nível eclesiástico, a cidade é simultaneamente sede de diocese com a cidade de Leiria. O nome foi modificado pelo Papa João Paulo II a 13 de maio de 1984. A única paróquia existente na cidade tem como orago Nossa Senhora dos Prazeres. A freguesia da Serra, como era originalmente conhecida, fora desmembrada da Colegiada de Ourém no ano de 1568.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Fátima [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 601 1 615 1 760 2 044 2 371 2 536 2 949 3 890 4 719 5 852 5 898 7 169 7 213 10 302 11 596
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 1 884 1 421 5 329 1 668 18,3% 13,8% 51,7% 16,2%
2011 1 801 1 401 6 104 2 290 15,5% 12,1% 52,6% 19,7%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

História[editar | editar código-fonte]

Uma imagem do Milagre do Sol, dia 13 de Outubro de 1917
Imagem da multidão durante a última aparição na Cova da Iria

O nome da cidade vem do nome árabe Fátima (Fāţimah, Árabe: فاطمة ). Existe o conto não confirmado que a topónomo deriva de uma princesa moura local de nome Fátima que, depois de haver sido capturada pelo exército cristão durante a Reconquista, foi dada em casamento a um conde de Ourém. Aceitando o cristianismo, foi baptizada recebendo o nome de Oriana em 1158. Às terras serranas o conde deu o nome de Terras de Fátima, em memória dos seus ancestrais, e ao condado o nome de Oriana, depois Ourém.

A história de Fátima está associada a três crianças (os pastorinhos de Fátima): Lúcia e os seus primos, Francisco Marto e Jacinta Marto, que em 13 de maio de 1917, quando estavam a apascentar as suas ovelhas na Cova da Iria, testemunharam a aparição de uma senhora de branco. A Cova de Iria é onde se situa agora a capela das aparições. A senhora, mais tarde referida como Senhora do Rosário, aparentava ter sido enviada por Deus com uma mensagem: rezar, penitenciar e consagrar. Ela visitou os pastorinhos, aparecendo-lhes todos os dias 13 entre maio e outubro de 1917. A última aparição ocorreu em 13 de outubro, e cerca de 70 000 peregrinos testemunharam e assistiram ao chamado milagre do sol. Nossa Senhora de Fátima trouxe uma mensagem que consistia em oração constante pedindo aos pastorinhos que anunciassem a todos a necessidade de rezar o terço todos os dias, pela conversão dos pecadores, pela conversão da Rússia e pelo santo padre. Nossa Senhora revelou-lhes o segredo de Fátima dividido em três partes: a visão do inferno onde os pecadores viajavam sem fé, o anúncio do começo de uma guerra mundial (Segunda Guerra Mundial), a terceira parte do segredo foi escrita pela vidente irmã Lúcia em 1944. Finalmente, a 13 de maio de 2000, durante a sua visita a Portugal, o Papa João Paulo II, por meio de seu Secretário de Estado, Cardeal Angelo Sodano, divulgou o conteúdo da terceira parte do Segredo.

Lúcia tornou-se freira de clausura carmelita e recebeu três visitas de um anjo em conjunto com os primos. Entre abril e outubro de 1916, este anjo convidou-os a rezar e a pedir penitência. O anjo visitou-os duas vezes na Loca do Cabeço e uma vez ao pé do poço no jardim da casa dos pais de Lúcia. Jacinta morreu em 1919 e Francisco Marto em 1920 por causa da gripe espanhola (entre 1918-1920), e mais tarde foram beatificados no dia 13 de maio de 2000 pelo Papa João Paulo II. Lúcia viveu até 2005. Para marcar o sítio das aparições, foi construído um arco de madeira com uma cruz na Cova de Iria. Os religiosos começaram a viajar em peregrinação ao sítio das aparições. A 6 de agosto de 1918, com donativos dos peregrinos, começou com uma capela pequena, construída com pedras, pedra calcária e argila, com apenas 3,3 metros de comprimento por 2,8 metros de largura e 2,85 metros de altura. A Cova da Iria rapidamente se tornou um importante centro de culto Mariano.

A construção do Santuário de Fátima, assim como a instalação de diversas ordens religiosas, trouxeram um grande desenvolvimento para a freguesia de Fátima e toda a região envolvente. Fátima passou de vila a cidade a 12 de julho de 1997. Atualmente, há peregrinações que estimulam o setor económico, o que faz com que Fátima sque seja conhecida mundialmente como a Cidade da Paz.

Visitas papais[editar | editar código-fonte]

  • maio de 1967 - Paulo VI naquela que foi a primeira visita de um Papa a Portugal[3]
  • maio de 1991 - João Paulo II (2.ª vez) - como "peregrino de Fátima"
  • maio de 2000 - João Paulo II (3.ª vez) - durante esta visita, no ano santo do jubileu, o Papa beatifica os irmãos Francisco e Jacinta Marto
  • maio de 2010 - Bento XVI (1.ª vez) - essencialmente para comemorar o 10º aniversário da beatificação de Francisco e Jacinta Marto

Encontra-se agendada a seguinte visita papal:

Transportes e localização[editar | editar código-fonte]

Localização e Clima[editar | editar código-fonte]

Fátima situa-se no coração da Serra de Aire, a pouco mais de 300 metros de altitude. Como tal, está na confluência de três zonas geográficas e administrativamente diferentes: o Ribatejo, a Estremadura e, a Beira Litoral. Pode dizer-se que, apesar de estar integrada no concelho de Ourém, (distrito de Santarém) já pertence à Beira Litoral, por este estar localizado no extremo noroeste do distrito.

Logo está na zona de transição entre o clima mediterrânico com influência marítima (csb), típico do litoral oeste e, o clima mediterrânico continentalizado (csa) típico do interior. Assim sendo o clima da aldeia de Fátima, caracteriza-se por verões quentes, secos e bem soalheiros, com temperaturas que variam, aproximadamente entre os 30 °C e os 15 °C e invernos frescos, húmidos e com temperaturas que variam normalmente entre os 15 °C e os 5 °C.

A queda de neve, pode ocorrer, ocasionalmente, em invernos mais instáveis, ainda assim com alguma dificuldade. As últimas vezes em que nevou na zona foram a 27 de Fevereiro de 2016[4] e de 2013[5], embora não tenham ocorrido quaisquer transtornos. Ainda este século, nevou também no dia 10 de Janeiro de 2010 (com pouca intensidade)[6], e a 29 de Janeiro de 2006, nevão este que obrigou ao corte da principal auto-estrada do país (A1) entre Santarém e Leiria.[7]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

O transporte rodoviário é, de todos o que mais facilmente permite um acesso à zona central de Fátima. A freguesia é atravessada pela auto-estrada A1, a principal auto-estrada portuguesa, que liga Lisboa ao Porto, tendo uma saída que permite chegar ao Santuário e ao centro d em menos de 5 minutos. Fátima é igualmente servida por uma outra via rápida, o IC9, que, liga a Nazaré a Ponte de Sôr atravessa os concelhos da Nazaré, Alcobaça, Batalha, Porto de Mós, Leiria, Ourém, Tomar, Abrantes e, Ponte de Sôr.

Em nível de transporte rodoviário público, existe um terminal rodoviário perto do Santuário que é operado maioritariamente pela Rede de Expressos, com ligações frequentes a partir de Lisboa e Porto, como também de outras localidades como Braga, Bragança, Vila Real, Viana do Castelo, Viseu, Coimbra, Faro, Santarém entre outras e, ocasionalmente de Espanha e até de França (esta maioritariamente em agosto devido aos peregrinos tanto turistas como emigrantes).

Ferroviário[editar | editar código-fonte]

Fátima não é servida por nenhuma estação de comboios. Embora na Linha do Norte exista uma estação com esse nome, a mesma está situada a 22 km a leste do centro da freguesia, já no concelho vizinho de Tomar, freguesia da Sabacheira. O concelho de Ourém é atravessado por essa mesma linha mas, noutras freguesias. A estação ferroviária mais próxima em quilometragem de Fátima é a estação de Caxarias, a cerca de 18 km a nordeste, servida pelos Intercidades Lisboa-Porto, Lisboa-Guimarães e Lisboa-Guarda. Dessa estação, aquando da paragem de um Intercidades, parte um serviço rodoviário para o centro de Fátima.

Aéreo[editar | editar código-fonte]

Fátima é servida por um aeródromo com heliporto,situado a 4 km do atual estádio de futebol e a cerca de 10 km do Santuário, que é utilizado pela Proteção Civil para combate aos incêndios florestais e também é utilizado aquando das visitas oficiais do Papa a Portugal, normalmente depois de aterrarem no Aeroporto da Portela, em Lisboa (foi o caso de João Paulo II em 1982, 1991 e 2000 e de Bento XVI em 2010). Em nível de aviação civil é igualmente o Aeroporto de Lisboa o mais próximo de Fátima, a cerca de 115 km a sul. Algumas carreiras da Rede de Expressos ligam directamente Fátima ao Aeroporto de Lisboa.

Distâncias[editar | editar código-fonte]

Distâncias com outros importantes centros nacionais:

Património[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]