Félix José Machado de Mendonça Eça Castro e Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Félix José Machado de Mendonça Eça Castro e Vasconcelos
Nascimento 22 de março de 1677
Lisboa
Morte 15 de julho de 1731
Distrito de Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação aristocrata, oficial, político

Félix José Machado de Mendonça Eça Castro e Vasconcelos (Lisboa, 22 de Março de 1677 — Lisboa, 15 de Julho de 1731), 3.º marquês de Montebello, 3.º conde de Amares[1], 6.º senhor de Entre Homem e Cávado, moço fidalgo (1703[2]), foi um aristocrata e militar português, governador de Pernambuco (1711-1715) no final da Guerra dos Mascates. Distinguiu-se no exercício das armas e na ciência genealógica.[3]

Era igualmente senhor da Torre de Crasto, Geraz e outras terras em Barroso de Vilela, de Honra de Pino, de Paço de Lanhoso, dos lugares de São Fins, Matosinos, Anantes, Casales, Realengos, em Barroso de Seipiões, Sapelas, Bobadela, Sidãos, Nogueira, Vilela, Tâmega e Dornelas, alcaide-mor de Mourão, e comendador de São João de Coucieiro na Ordem de Cristo, e das vilas de Casal e do Seixo do Ervedal na Ordem de Aviz[4] (1701[5]).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Serviu na guerra da Sucessão de Espanha ao lado seu pai[6], em 1703, como coronel de infantaria, em que demonstrou valor[4]; foi mestre de campo do "Terço Novo" de Bragança[7] e do "Terço Velho" da guarnição de Chaves em 1706[8] e em 1707 foi prisioneiro de guerra dos franceses; igualmente comandou um terço de cavalaria em Lisboa[9].

Em 14 de julho de 1711 recebe a mercê de membro do Conselho do rei[10].

Tinha sido nomeado governador do Pernambuco por por carta patente de 27 de Março de 1711, chegando à província a 7 de Outubro de 1711. Depois de ter passado alguns dias em Olinda, mudou a sua residência para Recife e exerceu as funções até 1 de Junho de 1715.[11] Assumiu o governo da capitania no período final dos conflitos entre nobres e mascates, vindo com a missão de pacificar a capitania. Sua atuação severa na punição dos envolvidos com os levantes e a ferrenha oposição da nobreza da terra lhe trouxeram problemas, o que provavelmente fez com que o rei não dilatasse o tempo do seu governo, nem lhe ter dado outro cargo de governança no ultramar lusitano[12]. No entanto, mesmo assim, depois da sua actuação no Brasil, tal parece não ter afetado a disposição de lhe renovar os títulos nobiliárquicos de seu pai e de, em 1727, lhe atribuir a mercê da comenda da Ordem de Cristo[13].

Escreveu genealogias, tal como seu avô, segundo Diogo Barbosa Machado na sua »Bibliotheca Luzitana»[4].

Preparou de mais de 40 textos sobre guerra e estratégia militar[14], sugerindo que ele além de militar de campanha era um grande estudioso e perito nesses assuntos[15]. Inclusive foi o provável compilador do manuscrito sobre técnicas de infantaria atribuído a Manuel Soares Villegas.[16]

Dados genealógicos[editar | editar código-fonte]

Filho de António Félix Machado da Silva e Castro, 2.º marquês de Montebelo, e de sua mulher Luísa Maria de Mendonça e Eça. Era primo Caetano Melo e Castro que igualmente tinha governado Pernambuco entre 1693 e 1699[17].

Foi senhor de todos os bens de seu pai e igualmente herdeiro de 2.º marquês de Mortara e conde de Olias, grande de Espanha.

Casou com D. Eufrásia Maria de Meneses, dama da rainha D. Maria Sofia, filha primogénita de D. Luís Baltazar da Silveira, alcaide-mor de Cintra[18], vedor da rainha D. Maria Ana de Áustria, comendador da Ordem de Cristo, e de sua mulher D. Luísa Bernarda de Meneses, filha de D. Francisco de Sousa, 1º marquês das Minas[4].

Tiveram:

Notas

  1. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 108
  2. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 110
  3. D. António Caetano de Sousa na sua História Genealógica da Casa Real, pp. 160 e 194.
  4. a b c d https://archive.org/details/resenhadasfamili02silvuoft/page/148/mode/2up "Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal", por Albano da Silveira Pinto e continuada por Augusto Romano Sanches de Baena e Farinha de Almeida Portugal Silva e Sousa, 1.º Visconde de Sanches de Baena, Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro, Lisboa, 1883, Volume II, p. 148 e 149 Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Sanches Baena 1883" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Sanches Baena 1883" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  5. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 110 e 111
  6. Cartas dirigidas a Félix José Machado de Mendoça Eça Castro e Vasconcelos, ANTT
  7. Manuel José da Costa Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. II-pg. 79 (Araújos § 120 N 26).
  8. D. António Caetano de Sousa na sua História Genealógica da Casa Real, pp. 160 e 194.
  9. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 102 e 130
  10. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 326
  11. Governadores e presidentes da Província de Pernambuco.
  12. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 114 e 115
  13. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 213
  14. Livros digitalizados de Vasconcelos, Félix José Machado de Mendonça Eça Castro e, Biblioteca Nacional de Portugal
  15. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 130
  16. Segundo José António Moniz. Cf. Catálogo da BNP.
  17. Uma das principais dos domínios de Vossa Majestade: Poder e Administração na capitania de Pernambuco durante o reinado de D. João V, por Breno Almeida Vaz Lisboa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017, pág. 131
  18. Manuel José da Costa Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. II-pg. 79 (Araújos § 120 N 26).
  19. Manuel José da Costa Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. II-pg. 79 (Araújos § 120 N 27).
  20. Manuel José da Costa Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. II-pg. 79 (Araújos § 120 N 27).
  21. Manuel José da Costa Felgueiras Gayo, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. II-pg. 79 (Araújos § 120 N 27).


Precedido por
Junta governativa com Luís de Valensuela Ortiz
Cristóvão de Mendonça Arrais
Domingos Bezerra Monteiro
Governador de Pernambuco
17111715
Sucedido por
Lourenço de Almeida
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.