F. C. S. Schiller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
F. C. S. Schiller
Filosofia do século XIX e XX
Nome completo Ferdinand Canning Scott Schiller
Escola/Tradição: Pragmatismo
Data de nascimento: 16 de agosto de 1864
Local: Schleswig-Holstein
Data de falecimento 6 de agosto de 1937 (72 anos)
Local: Los Angeles
Principais interesses: Pragmatismo, lógica, eugenia
Trabalhos notáveis
  • Humanism: Philosophical Essays (1903);
  • Studies in Humanism (1907);
  • Must Philosophers Disagree? (1934);
  • Our Human Truths (1939)
Influenciou: William James, Protágoras
Foi influenciado: William James, Larry Laudan

Ferdinand Canning Scott Schiller (Schleswig-Holstein, 16 de Agosto de 1864Los Angeles,[1] 6 de Agosto de 1937[2]) foi um filosofo germano-britânico, sendo o mais importante nome do pragmatismo na Inglaterra, com várias obras publicadas sobre o assunto. Contribuiu também com obras publicadas no campo da lógica e eugenia.[3]

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

F. C. S. Schiller nasceu em 16 de Agosto de 1864 em Schleswig-Holstein, Alemanha; Seu pai o enviou para estudar na Inglaterra ainda jovem, lá se formou na Universidade de Oxford. De 1893 a 1897 viveu nos Estados Unidos onde foi professor de lógica e metafísica na Universidade de Cornell. Foi nesta época que conheceu William James, que viria a ser ao lado de Protágoras uma de suas principais influências filosóficas. Em 1897 retornou à Inglaterra para ensinar no Corpus Christi College e em Oxford.[3] Em 1921 se tornou presidente da Aristotelian Society e em 1926 foi eleito membro da Academia Britânica.[1] Neste mesmo ano se aposentou e mudou-se novamente para os Estados Unidos, passando parte do ano na Universidade da Califórnia do Sul, onde foi inicialmente conferencista convidado e depois professor. Em 1935, após se casar pela primeira vez, já aos 71 anos, se estabeleceu de vez na Califórnia.[3] Morreu dois anos depois, em 6 de Agosto de 1937.[1]

Entre algumas das suas principais obras estão:[1]

  • Humanism: Philosophical Essays (1903);
  • Studies in Humanism (1907);
  • Must Philosophers Disagree? (1934);
  • Our Human Truths (1939).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Finding Aid for the Ferdinand Canning Scott Schiller Papers, ca. 1870-1940». Library Special Collections, Charles E. Young Research Library (em inglês). OAC Online Archive California. Consultado em 24 de janeiro de 2015 
  2. Ferdinand Canning Scott Schiller; Edited by John R. Shook & Hugh P. McDonald (2008). F.C.S. Schiller on Pragmatism and Humanism. Selected Writings, 1891-1939 (em inglês). [S.l.]: Humanity Books. p. 13. ISBN 1591025494 
  3. a b c Cornelis de Waal (2007). Sobre pragmatismo. São Paulo: Edições Loyola. p. 81-83. ISBN 8515032953 
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.