FIAT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde janeiro de 2012). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
FIAT
FiatLogo.JPG
Razão social FIAT Automobiles S.p.A.
Tipo Empresa de capital fechado
Slogan Simple More (EUA)
Movidos pela paixão (BRA)
Indústria Indústria automobilística
Fundação 11 de julho de 1899 (118 anos)
Fundador(es) Giovanni Agnelli
Sede Itália Turim, Itália
Locais Mundo
Pessoas-chave John Elkann (Presidente)
Olivier François (CEO)
Produtos Automóveis
Accionistas Fiat Chrysler Automobiles
Significado da sigla Fabbrica
Italiana
Automobili
Torino
Website oficial www.fiat.com

www.fiat.pt www.fiat.com.br

FIAT (Fabbrica Italiana Automobili Torino) é uma das marcas da Fiat Chrysler Automobiles[1], um dos maiores fabricantes de automóveis do mundo, com sede mundial na cidade de Turim, norte da Itália. A empresa Fiat Automobiles S.p.A foi formada em janeiro de 2007, quando a Fiat reorganizou seus negócios automotivos, e traça a sua história de volta a 1899, quando o primeiro Fiat foi produzido.

História[editar | editar código-fonte]

FIAT é um acrônimo de Fabbrica Italiana Automobili Torino ("Fábrica Italiana Automobilística de Turim" em português), mas também pode significar "faça-se" em Latim. A empresa foi fundada por Giovanni Agnelli, em 11 de julho de 1899.[2] Após a primeira guerra mundial, a empresa com apoio do governo começou a investir em diversas áreas, como o mercado de jato, tratores, trens e construção.[2] Gianni Agnelli, neto de Giovanni Agnelli, chefiou a FIAT de 1966 até sua morte em janeiro de 2003, quando foi sucedido por seu irmão Umberto Agnelli. Depois da morte de Umberto, em 2004, Luca Cordero di Montezemolo foi nomeado presidente da empresa, porém o herdeiro de Agnelli, John Elkann, tornou-se vice-presidente, com 28 anos. Outros membros da família Agnelli continuam na direção.

As atividades do grupo eram inicialmente centralizadas na fabricação de automóveis e de veículos industriais e agrícolas. Na primeira década do século XX já fabricava também locomotivas e, com o início da Primeira Guerra Mundial, passou a fabricar ambulâncias, metralhadoras e até motores para submarinos. Ao longo do tempo, diversificou suas atividades, e hoje o grupo atua em vários setores industriais e financeiros. O centro de suas atividades industriais está na Itália, porém atua através de subsidiárias em 61 países, com 1063 unidades que empregam 223.000 pessoas, 111 mil das quais fora da Itália.

No Brasil, a Fiat foi líder de vendas por 13 anos, de 2003 a 2015[3]. A empresa chegou ao país nos anos 1970, em uma estratégia de expansão comercial. O país era bem visto devido à possibilidade de expansão do mercado e facilidade para exportação para outros países. Além disso, agradava à cúpula da empresa italiana a ditadura militar que governava o Brasil[4].

Em abril de 2014, o Greenpeace lançou uma campanha pedindo à Fiat e às outras montadoras líderes em vendas que produzam carros no Brasil com a mesma eficiência energética dos veículos feitos na Europa, além de investirem em carros elétricos.[5]

Mais recentemente, a montadora tem ampliado investimentos em plataformas sustentáveis e compartilhadas de carsharing, como na empresa Enjoy, que atua na Itália.[6]

Plataformas[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a marca se utiliza das seguintes plataformas na construção de seus veículos:

178 Platform:

Mini Platfom:

A base anterior é utilizada no Brasil, em uma versão de custo reduzido, com modificações para suportar a má qualidade das estradas nos seguintes modelos:

SCCS platform (Small Common Components and Systems platform).

C-Platform:

CUSW Platform (Compact U.S. Wide). Evolução da C-Platform, também é conhecida como C-Evo

Fora da Itália[editar | editar código-fonte]

Fiat Grande Punto - Auto Moto Show Katowice 2006.

A empresa está presente em diversos países. Foi uma das pioneiras na construção de fábricas no Leste Europeu, especialmente na antiga União Soviética, com fábricas em Vladivostok, Kiev e Togliattigrad. A empresa russa AutoVAZ (mais conhecida por Lada) é o exemplo mais conhecido. Possui hoje fábricas no Brasil, Turquia, China, Polónia, Argentina, África do Sul, México e Índia, onde produz modelos adaptados aos mercados locais e às vezes voltados à exportação, como a linha Palio. No Brasil, segundo o site da montadora, a FIAT está instalada desde 1976 em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A fábrica começou a ser construída em 1973, sendo inaugurada três anos depois. O primeiro veículo a sair de suas linhas de montagem foi o Fiat 147[7]. Sua planta de Betim é a maior produtora de veículos do Grupo no mundo.

Nos Estados Unidos, porém, a marca Fiat teve pouco sucesso devido à fragilidade dos primeiros modelos, e o acrônimo "Fiat" tornou-se conhecido como "Fix It Again, Tony" (conserte-o de novo, Tony). Já as marcas Ferrari, Maserati, Lancia e Alfa Romeo, todas da FIAT, têm prestígio mundial. No Brasil, a marca FIAT começou a adquirir prestígio em meados de 1980 com o lançamento de carros populares como o Uno. Posteriormente, apresentou carros com qualidade e motores superiores, conquistando grande parte do mercado brasileiro de automóveis.

Modelos Fiat atualmente produzidos no Brasil:

  • Fiat Mobi - Easy 1.0 Flex; Like 1.0 Flex; Way 1.0 Flex; Drive 1.0 Firefly Flex; Drive 1.0 Firefly Flex GSR
  • Fiat Uno - Drive 1.0 Firefly Flex; Way 1.0 Firefly Flex; Way 1.3 Firefly Flex; Way 1.3 Firefly Flex GSR; Sporting 1.3 Firefly Flex;Sporting 1.3 Firefly Flex GSR
  • Fiat Palio - Attractive 1.0 EVO Flex
  • Fiat Argo - Drive 1.0 Flex; Drive 1.3y Flex; Drive 1.3 Flex GSR; Precision 1.8 Flex; Precision 1.8 Flex AT6; HGT 1.8 Flex; HGT 1.8 Flex AT6
  • Fiat Grand Siena - Attractive 1.0 Fire EVO Flex; Attractive 1.4 Fire EVO Flex; Essence 1.6 16V Flex; Essence 1.6 16V Flex Dualogic
  • Fiat Strada - Working 1.4 EVO Flex; Working Plus 1.4 EVO Flex; Hard Working 1.4 EVO Flex; Hard Working CE 1.4 EVO Flex; Hard Working CD 1.4 EVO Flex; Adventure CE 1.8 16V Flex; Adventure CD 1.8 16V Flex; Adventure CD 1.8 16V Flex Dualogic
  • Fiat Toro - Freedom 1.8 16V AT6 Flex; Freedom 2.4 16V AT9 Flex; Freedom 2.0 16V Diesel; Freedom 2.0 16V 4x4 Diesel; Freedom 2.0 16V 4x4 AT9 Diesel; Volcano 2.0 16V 4x4 AT9 Diesel
  • Fiat Weekend - Attractive 1.4 Flex; Adventure Adventure 1.8 16V Flex, Adventure 1.8 Dualogic Flex;
  • Fiat Fiorino - 1.4 EVO Flex; Hard Working 1.4 EVO Flex
  • Fiat Doblô - Adventure 1.8 16V Flex; Essence 7 Lugares 1.8 16V Flex; Essence 5 Lugares 1.8 16V Flex

Modelos Antigos[editar | editar código-fonte]

  • Fiat 147 - Primeiro carro a álcool fabricado em série em todo o mundo;
  • Fiat 147 Fiorino - O primeiro carro Pick up da Fiat;
  • Fiat Elba - O segundo carro Station Wagon da Fiat;
  • Fiat Marea - O carro de série mais rápido produzido no Brasil até 2006;
  • Fiat Oggi - O primeiro carro Sedan da Fiat;
  • Fiat Tempra - Primeiro carro de Luxo da Fiat e também o primeiro carro com motor multiválvulas (16 válvulas) no Brasil;
  • Fiat Tipo - O Hatchback do Tempra (o primeiro da Fiat);
  • Fiat Prêmio - O segundo carro Sedan da Fiat;
  • Fiat Panorama - O primeiro carro Weekend da Fiat;
  • Fiat Uno Turbo i.e.- Primeiro carro turbo da Fiat;
  • Fiat Stilo - O terceiro hatchback da Fiat, o primeiro veículo equipado com Dualogic.

Logo Fiat[editar | editar código-fonte]

Logotipo utilizado pela Fiat entre 1968 e 1999.

O logotipo da Fiat surgiu em 1968. De 2000 a 2003, o antigo logo foi colocado na parte traseira do produto e uma nova (que é uma reminiscência de 1929) apareceu na frente. Esse logotipo foi criado para celebrar os 100 anos da Fiat, e foi declarada uma “logo de transição”. Em 26 de outubro de 2006, a direção decidiu mudar o logotipo de novo, a primeira colocação em 2007, no Fiat Bravo. O logotipo atual lembra os utilizados pelo grupo a partir dos anos 1930 até os anos 1960, com a escrita FIAT em marfim e alongada, aparecendo em um fundo vermelho cromo, os quais são sombreados em uma moldura em volta.

Recalls no Brasil[editar | editar código-fonte]

Data de anúncio Problema Modelos afetados Causa Solução
19 de setembro de 2014[8] Dificuldade em engrenar a primeira marcha Punto Essence (chassi 1194449 a 1296320)
Idea Adventure e Sporting (chassi 2207059 a 2263214)

Punto T-Jet (chassi 1194671 a 1295853)
Doblò Adventure (chassi 1091042 a 1113929)
Idea Adventure Dualogic e Essence (chassi 2207056 a 226323)
Bravo Essence, Sporting e Absolute (chassi 9014646 a 9034364)

Óleo lubrificante da caixa de câmbio e componentes da primeira marcha em veículos com mais de 40 mil quilômetros rodados Troca do óleo da caixa de câmbio, e em alguns modelos troca dos componentes da primeira marcha

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre FIAT

Referências

  1. «Fiat anuncia novo nome após compra de ações da Chrysler». Jornal do Brasil. Consultado em 29 de janeiro de 2014 
  2. a b Sheth, Jagdish N. (2008). Os Maus Hábitos das Boas Empresas. Porto Alegre, Rio Grande do Sul: Editora Artmed. 260 páginas. ISBN 8577801861 
  3. «Chevrolet é a marca que mais vendeu carros no Brasil em 2016». Auto Esporte. 4 de janeiro de 2017 
  4. «Fiat aproveitou a ditadura militar para se firmar no Brasil | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  5. «O Carro que eu quero». Greenpeace Brasil. Consultado em 23 de setembro de 2014 
  6. «Carsharing - Turbi». Turbi. 3 de maio de 2017 
  7. «Dimensões da fábrica». www.fiat.com.br. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  8. «Fiat faz recall de 4 modelos no Brasil por falha no câmbio». G1. 22 de setembro de 2014. Consultado em 22 de setembro de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]