FTM Ação Futurista 2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

FTM Ação Futurista 2007 é um grupo, até então desconhecido, em que defende a arte futurista. É o grupo mais recente a ser criado.

O grupo atua em algumas regiões da Itália e se define como a sua ideologia neo-nazista.

Na tarde do dia 19 de outubro de 2007, o grupo ficou conhecido pelo mundo, quando vários membros lançaram uma garrafa com substância que tingiu de vermelho vivo as águas da famosa Fontana di Trevi, no centro de Roma, causando surpresa aos milhares de turistas que passam pelo local diariamente.

A fonte, que levou 30 anos para ser construída, ficou pronta em 1762. Projetada e construída toda em mármore por Nicola Salvi e finalizada por Guiseppe Panini, foi inaugurada pelo Papa Clemente XIII.

O grupo deixou dezenas de planfetos de protestos contra o festival de cinema de Roma,[carece de fontes?] que começou no dia 17. Depois disso, ninguém foi detido.

Mensagens[editar | editar código-fonte]

O grupo afirma nos planfetos, que o vermelho do corante é em alusão ao tapete vermelho do festival, que está em sua segunda edição.

Além de anunciar o nascimento de um movimento baseado em "uma concepção violenta da vida e da história, que exalta a batalha contra a paz e os idiotas aduladores do poder e escravos do mercado global".

O FTM afirma agir em nome dos desempregados, velhos e doentes, entre outros.

Menciona ainda o movimento artístico futurista, nascido em Paris em 1909, além de enaltecer a posição de "todos contra todos, com espírito de luta e exaltação a violência".

O futurismo foi um movimento ideológico e espiritual que pretendia revolucionar as idéias, a arte, a literatura e a linguagem e foi elevado ao status de "arte oficial" pelo ditador italiano Benito Mussolini (1922-1945).

Referência[editar | editar código-fonte]