Fabian Gottlieb Thaddeus von Bellingshausen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fabian Gottlieb Thaddeus von Bellingshausen
'
Nascimento Fabian Gottlieb Thaddeus von Bellingshausen
20 de setembro de 1778
Saaremaa (Império Russo)
Morte 25 de janeiro de 1852
Kronstadt
Sepultamento Kronstadt
Cidadania Império Russo
Etnia alemães
Alma mater
  • Corpo de Cadetes do Mar
Ocupação explorador, cartógrafo, militar,
Prêmios
Lealdade Império Russo

Fabian Gottlieb Thaddeus von Bellingshausen (em russo: Фаддей Фаддеевич Беллинсгаузен; Faddey Faddeyevich Bellinsgauzen) (9 de setembro jul./ 20 de setembro de 1778 greg. — 13 de janeiro jul./ 25 de janeiro de 1852 greg.), também conhecido como Faddei Bellingshausen, foi o explorador russo que serviu como oficial da Marinha Imperial da Rússia e comandou a segunda expedição russa a circumnavegar o globo. Alemão de nascimento e pertencente a uma família nobre, durante esta expedição Bellingshausen veio a ser a primeira pessoa a avistar o continente Antártico, em 1820.[1]

A expedição partiu das recém-descobertas ilhas Shetland do Sul, integrada pelos navios "Vostok" e Mirnyi", avistando a Antártida em 28 de Janeiro de 1820.

No comando da Primeira Expedição Antártica Russa, ele chegou ao Rio de Janeiro em 1819 e foi recebido, junto com a sua tripulação, por Dom João VI. Navegador russo, almirante e um dos descobridores da Antártida, foi membro efetivo da Sociedade Geográfica Russa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi um oficial naval explorador alemão à serviço da Rússia, que finalmente subiu ao posto de almirante. Ele participou da primeira circunavegação russa do globo e posteriormente se tornou líder de outra expedição de circunavegação que descobriu o continente de Antártica.[2]

Bellingshausen nasceu na Ilha Osel. Ele começou seu serviço na Frota Russa do Báltico e, depois de se destacar, ingressou na Primeira Circunavegação Russa da Terra em 1803-1806, servindo no navio mercante Nadezhda sob a capitania de Adam Johann von Krusenstern. Após a viagem, ele publicou uma coleção de mapas das áreas e ilhas recém-exploradas do Oceano Pacífico. Posteriormente, ele comandou vários navios das frotas do Mar Báltico e do Mar Negro.[2]

Como cartógrafo proeminente, Bellingshausen foi nomeado para comandar a circunavegação russa do globo em 1819-1821, com o objetivo de explorar o Oceano Antártico e encontrar terras nas proximidades do Pólo Sul. Mikhail Lazarev preparou a expedição e foi nomeado segundo em comando de Bellingshausen e capitão do saveiro Mirny, enquanto o próprio Bellingshausen comandava o saveiro Vostok. Durante esta expedição Bellingshausen e Lazarev foram os primeiros exploradores a ver a terra da Antártica em 27 de janeiro de 1820.  Eles circunavegaram o continente duas vezes e nunca se perderam de vista. Assim, eles refutaram a afirmação do capitão Cook de que era impossível encontrar terras nos campos de gelo do sul. A expedição descobriu e deu o nome de Ilha Pedro I, Ilhas Zavodovski, Leskov e Visokoi, Península Antártica e Ilha de Alexandre (Costa de Alexandre), e fez outras descobertas nas águas tropicais do Pacífico.[3]

Feito contra-almirante em seu retorno, Bellingshausen participou da Guerra Russo-Turca de 1828-1829. Promovido a vice-almirante, ele serviu novamente na Frota do Báltico em 1830 e, a partir de 1839, foi governador militar de Kronstadt, onde morreu. Em 1831, ele publicou o livro sobre suas viagens à Antártida, denominado Double Investigation of the Southern Polar Ocean e a Viagem ao Redor do Mundo (Двукратные изыскания в южнополярном океане и плавание вокругс). Os russos se lembram dele como um de seus maiores almirantes e exploradores. Vários recursos geográficos e locais na Antártica, nomeado em homenagem a Bellingshausen, comemora seu papel na exploração da região polar sul.[4][5]

Durante a expedição a Antártida, foram coletadas amostras exclusivas, que estão armazenadas na Universidade Estatal de Cazã, além de serem feitos esboços de espécies da Antártica e animais que ali viviam.

Referências

  1. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 591
  2. a b Ellis, Richard (2013). The Empty Ocean (Herzien ed.). Island Press. p. 172. ISBN 978-1597265997
  3. L. Ivanov. General Geography and History of Livingston Island. In: Bulgarian Antarctic Research: A Synthesis. Eds. C. Pimpirev and N. Chipev. Sofia: St. Kliment Ohridski University Press, 2015. pp. 17-28. ISBN 978-954-07-3939-7
  4. Armstrong, Terence (September 1971). "Bellingshausen and the discovery of Antarctica". Polar Record. Cambridge University Press. 15 (99): 887–889. doi:10.1017/S0032247400062112
  5. Ellis, Richard (2013). The Empty Ocean (Herzien ed.). Island Press. p. 172. ISBN 978-1597265997.