Fabiano Contarato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fabiano Contarato
Senador pelo Espírito Santo
Período 1º de fevereiro de 2019
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 20 de junho de 1966 (56 anos)
Nova Venécia, Espírito Santo
Alma mater Universidade Vila Velha
Universidade Gama Filho (Esp.)
Partido PR (2013-2015)
PSDB (2015-2018)
REDE (2018-2021)
PT (2021-presente)
Religião catolicismo[1]
Profissão professor de direito, delegado da polícia civil e político

Fabiano Contarato (Nova Venécia, 20 de junho de 1966) é um professor de direito, delegado da polícia civil e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT).[2] É senador pelo Espírito Santo desde fevereiro de 2019.[3]

Formado em direito pela Universidade Vila Velha,[4] começou a trabalhar como delegado da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo em 1992, encontrando-se licenciado do cargo. Foi delegado de Delitos de Trânsito por mais de dez anos e assumiu a direção geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES). Em 2016, foi nomeado Corregedor-Geral do Estado na Secretaria de Estado de Controle e Transparência (SECONT/ES). É também palestrante e ativista humanitário.[5]

Foi o candidato ao Senado mais votado de seu estado nas eleições de 2018, com 1.117.036 votos, pela Rede Sustentabilidade (REDE), sendo a primeira vez em que disputou um cargo eletivo.[5][6] Tornou-se, assim, o primeiro homossexual assumido a ser eleito para o Senado brasileiro.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família, educação e carreira[editar | editar código-fonte]

Natural de Nova Venécia, Contarato nasceu em 20 de junho de 1966, sendo filho de um motorista de ônibus e de uma dona de casa.[4] Graduado em Direito pela Universidade Vila Velha, possui pós-graduação em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Universidade Gama Filho.[7] Posteriormente, foi na Universidade Vila Velha que também atuou na carreira acadêmica, como professor de Direito Penal.[8][9]

Em 1992, Contarato foi empossado no cargo de delegado da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo.[10] Foi o delegado titular da Delegacia de Delitos do Trânsito, o que lhe possibilitou se tornar conhecido entre os capixabas. Também chefiou o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES) e foi corregedor-geral do Espírito Santo.[8][9]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Eleição estadual de 2018[editar | editar código-fonte]

Contarato concorreu ao Senado da Federal na eleição de 2018 pela Rede Sustentabilidade. Anteriormente, foi filiado ao Partido da República, que o nomeou candidato ao Senado em 2014, candidatura a qual Contarato desistiu alegando motivações pessoais.[8]

Durante sua campanha, Contarato enfatizou a defesa da família e propostas relacionadas à segurança pública. Manifestou-se em apoio aos direitos humanos e em oposição ao aborto, misturando, de acordo com a revista Carta Capital, "aspectos que dialogam tanto com ideias progressistas, quanto posições conservadoras."[11]

Em 7 de outubro, Contarato foi eleito senador com 1.117.036 votos (31,15%), contrariando as pesquisas de opinião, que indicavam favoritismo dos senadores Magno Malta e Ricardo Ferraço.[12][13] Sua vitória converteu-o no primeiro homossexual assumido a ser eleito para o Senado Federal do Brasil.[4]

Mandato[editar | editar código-fonte]

Contarato discursando no Plenário do Senado Federal do Brasil, em maio de 2019.

Em 1º de fevereiro de 2019, Contarato foi empossado senador da República. Foi designado membro titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e da Comissão de Meio Ambiente, dentre outras.[14] Integrante do Bloco Parlamentar Senado Independente, declarou apoio a Davi Alcolumbre, presidente eleito do Senado, e neutralidade em relação ao governo do presidente Jair Bolsonaro.[14][15][16]

Como senador, Contarato propôs 50% de candidaturas por gênero nas eleições legislativas,[17] criticou duramente o ministro Sergio Moro pelas conversas divulgadas pelo The Intercept,[18] se opôs à flexibilização do posse de armas,[19] e recorreu à Justiça para que o governo brasileiro aceitasse doações estrangeiras destinadas ao combate aos incêndios florestais na Amazônia em 2019.[20]

No dia 13 de dezembro de 2021, anunciou que saiu do Rede Sustentabilidade e filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT).[21] O convite para entrada no partido foi feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e em nota Fabiano agradeceu à REDE pelo tempo na legenda.[22]

Sobre sua ida ao PT, Fabiano escreveu em nota: "Os governos liderados pelo PT devolveram ao país credibilidade internacional, permitiram aos pobres cursar universidade, expandiram a estrutura de ensino no país, abriram os porões da ditadura com a Comissão Nacional da Verdade, democratizaram a participação da sociedade nas decisões de governo, geraram crescimento econômico alinhado com políticas sociais exitosas, devolveram aos brasileiros o orgulho nacional. Seus erros foram investigados e devidamente punidos pela Justiça. Defendo que a lei vale para todos e tem de ser cumprida doa a quem doer. Seguimos junto aos brasileiros e brasileiras para, com esperança e força, vencer as trevas da ignorância que vitimam o Brasil. A Constituição Cidadã de 1988 é nossa bússola".[21]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Contarato afirmou ter descoberto sua homossexualidade na juventude, embora "reprimia isso por um freio moral."[19] Em novembro de 2017, casou-se com o fisioterapeuta Rodrigo Groberio.[19][23] É pai de Gabriel, adotado em 2017.[19]

Referências

  1. «ENTREVISTA: 'COM 27 ANOS NA POLÍCIA, SÓ RECEBI AMEAÇA DE MORTE DEPOIS DE EMBATE COM MORO', DIZ FABIANO CONTARATO». The Intercept Brasil. 7 de janeiro de 2020. Consultado em 15 de dezembro de 2021. Contarato fez questão de me mostrar que é um católico fervoroso e que mantém um crucifixo de São Francisco de Assis pendurado no gabinete. 
  2. «Senador Fabiano Contarato anuncia saída da Rede e filiação ao PT». G1. Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  3. «Fabiano Contarato 181 (REDE) Senador - Espírito Santo - Eleições 2018». Gazeta do Povo. 2018. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  4. a b c d Marcella Fernandes (7 de outubro de 2018). «Quem é Fabiano Contarato, o 1º senador homossexual que tirou o lugar de Magno Malta». HuffPost. Consultado em 13 de outubro de 2018 
  5. a b «ES elege Fabiano Contarato e Marcos Do Val para o Senado». G1. 7 de outubro de 2018. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  6. «Espírito Santo: Fabiano Contarato e Marcos do Val eleitos para o Senado». Veja. 7 de outubro de 2018. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  7. Luiz Gustavo Ribeiro (8 de outubro de 2018). «Conheça Fabiano Contarato, o primeiro senador gay eleito no Brasil». Vipado. Consultado em 13 de outubro de 2018 
  8. a b c «Veja o perfil de Fabiano Contarato, eleito senador pelo ES». Gazeta Online. 7 de outubro de 2018. Consultado em 13 de outubro de 2018 
  9. a b Júlia Barbon (8 de outubro de 2018). «Espírito Santo elege primeiro senador gay e tira aliado de Bolsonaro». YahooNotícias. Consultado em 13 de outubro de 2018 
  10. «Fabiano Contarato (Rede)». Senado Federal. 18 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  11. «Conheça Fabiano Contarato, senador gay que desbancou Magno Malta». Carta Capital. 9 de outubro de 2018. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  12. «Resultado da apuração das eleições de 2018 - Espírito Santo para governador, senador, deputado federal e deputado estadual». G1. Outubro de 2018. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  13. Fábio Góis (7 de outubro de 2018). «Eleição para o Senado contraria pesquisas e mostra alta renovação». Congresso em Foco. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  14. a b «Fabiano Contarato». Senado Federal do Brasil. 2019. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  15. Siumara Gonçalves (2 de fevereiro de 2019). «Senadores capixabas declaram voto a Davi Alcolumbre no Senado». Gazeta Online. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  16. Cadu Caldas (8 de outubro de 2018). «Senado dá guinada à direita». GaúchaZH. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  17. «Contarato propõe 50% de candidaturas por gênero nas eleições legislativas». Senado Federal. 4 de abril de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  18. Marina Rossi (24 de junho de 2019). «"Sergio Moro usa a população como escudo para justificar as violações"». El País. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  19. a b c d «1º senador assumido: "Cansei de ouvir 'Contarato é inteligente, mas é gay'"». Uol. 20 de março de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  20. Hérica Christian (30 de agosto de 2019). «Contarato recorre à justiça para governo aceitar doação para Amazônia». Senado Federal. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  21. a b Castro, Rodrigo (13 de dezembro de 2021). «Senador Fabiano Contarato deixa Rede e se filia ao PT». O Globo. Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  22. Araujo, Pedro Zambarda de (13 de dezembro de 2021). «Senador Fabiano Contarato se desfilia da Rede e vai para o PT». Diário do Centro do Mundo. Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  23. Lu Lacerda (8 de outubro de 2018). «Fabiano Contarato: 1º senador gay (assumido, que fique claro)». iG. Consultado em 31 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]