Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
FACULDADE CIÊNCIAS MÉDICAS DE MINAS GERAIS
FCM-MG
Lema NUNQUAM SATIS DISCITUR
Fundação 1950
Tipo de instituição Filantrópica
Localização Belo Horizonte, Minas Gerais
Diretor(a) Prof. Dr. Neylor Pace Lasmar
Página oficial http://www.cmmg.edu.br
Edifício que abriga a faculdade, na Alameda Ezequiel Dias.

A Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG) é uma instituição de ensino superior filantrópica brasileira localizada no município de Belo Horizonte, Minas Gerais. Segunda mais antiga de Minas Gerais, a Escola de Medicina, avaliada com nota máxima (5) pelo MEC em 2017, é reconhecida entre as mais prestigiadas do país, excelência que se estende aos também pioneiros no Estado cursos de graduação em Enfermagem, Fisioterapia e Psicologia, além daqueles referentes à pós-graduação e à educação a distância.

Os currículos são baseados no equilíbrio da aprendizagem teórica e prática, juntamente com uma sólida formação moral e ética, visão social e humanista - princípios para os estudantes da graduação e da pós-graduação. O modelo educacional adotado (docente-assistencial) garante o acompanhamento do aluno pelo professor, por meio dos estágios supervisionados (Ambulatório Ciências Médicas, Hospital Universitário Ciências Médicas - HUCM, Santa Casa de Belo Horizonte, HPS João XXIII) dentre outros. A instituição executa uma série de programas de base comunitária em vários domínios da assistência médica, fornecendo suporte local para o Sistema Único de Saúde (SUS) na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Além disso, os seus serviços de saúde comunitária e relacionados ao Programa Saúde Família (PSF) atingem populações carentes em áreas rurais de cidades mineiras, por meio do Programa de Internato Rural/Metropolitano.

A FCM-MG orgulha-se de educar e treinar enfermeiros, fisioterapeutas, médicos e psicólogos visando o futuro. Em suas sucessivas gerações, os profissionais formados na Escola de Medicina têm atuado como professores e cientistas e também como médicos e cirurgiões em bem conceituados hospitais no Brasil e no exterior. Os cursos de graduação estão bem posicionados no País e refletem o compromisso da instituição com a qualidade no ensino, sendo igualmente positivos os indicadores para a pós-graduação e a educação a distância.

História[editar | editar código-fonte]

A Fundação[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 1950 pelo médico, professor e humanista Lucas Monteiro Machado, que liderou grupo inicial de 10 colegas atuantes na Santa Casa de Belo Horizonte, sua Escola de Medicina: Affonso Silviano Brandão, Antônio Mello Alvarenga, Argeu Murta, Caio Benjamim Dias, Brasílio Rui Prates, Geraldo Queiroga, Moacyr Abreu Junqueira, José Bolívar Drumond, Paulo Souza Lima e Sálvio Nunes.[1]

O projeto seria ricamente discutido e esboçado na ja de Lucas Machado e levado ao arcebispo metropolitano Dom Antônio dos Santos Cabral, então presidente da Sociedade Mineira de Cultura, mantenedora da Universidade Católica de Minas Gerais [2], que apoiou a fundação da faculdade, que seria presidida pelo professor Lucas Machado.[1]

A primeira turma foi aberta em 1951 e diplomada em dezembro de 1956. A aula inaugural aconteceu no prédio do Hospital das Crianças Elvira Gomes, que se tornou a primeira sede da faculdade e na ocasião foi proferida a celebre frase: "quantas vezes nos reunimos armados de belos sonhos e coloridas ilusões".[1]

O primeiro corpo docente[editar | editar código-fonte]

O primeiro corpo docente foi indicado pelos pioneiros e por Dom Antônio e era composto por[1]:

  • Histologia e Embriologia - Ivon Rodrigues Vieira
  • Anatomia - J. Octaviano Neves e Mello Alvarenga
  • Iniciação da Filosofia e Cultura Religiosa - Cônego Trajano Barroso
  • Física Biológica - Osvaldo Coelho
  • Fisiologia - Adyr Rocha
  • Farmacologia - Juvenal de Melo Senra
  • Fisiologia Nervosa - Halley Alves Bessa
  • Patologia Geral - Juscelino Kubitschek de Oliveira
  • Microbiologia - J Alvim Silva
  • Parasitologia - José Pellegrino
  • Clínica Propedêutica Médica - Regozino Macedo
  • Dermatologia e Sifilografia - Oswaldo Gonçalves Costa
  • Clínica Propedêutica Cirúrgica - Hermínio Ferreira Pinto
  • Técnica Operatória e Cirurgia experimental - João Baptista de Rezende Alves
  • Anatomia Patológica - Moacyr de Abreu Junqueira
  • Clínica Médica I - Braz Pellegrino
  • Clínica Cirúrgica I - Sálvio Nunes
  • Deontologia Médica - José Guerra Pinto Coelho
  • Clínica Otorrinolaringológica - Maurílio Soares
  • Clínica Oftalmológica - Geraldo Queiroga
  • Clínica Médica II - Caio Benjamin Dias
  • Clínica Cirúrgica II - José Bolívar Drumond
  • Medicina Lega l - Josias Vaz de Oliveira
  • Terapêutica Clínica - Carlos Martins Teixeira
  • Tisiologia - Paulo de Souza Lima
  • Clínica Ginecológica - Lucas Monteiro Machado
  • Higiene - José Benedito dos Santos
  • Clínica Obstétrica - Argeu Murta
  • Clínica Pediátrica - João Costa Chiabi
  • Clínica Neurológica - Milton Gomes
  • Clínica Psiquiátrica - Austregésilo R. de Mendonça
  • Clínica de Doenças Infecciosas Tropicais - Mário Pires
  • Clínica Urológica - José Lucídio Avelar
  • Clínica Cirúrgica Infantil e Ortopedia - Brasílio Rui Prates

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

O decreto presidencial 29.242 de 30 de janeiro de 1951[3] concede autorização para funcionamento do curso médico da faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e o primeiro vestibular ocorre em fevereiro de 1951.[1] A primeira aula é ministrada em março do mesmo ano e em junho é aprovado o diretório acadêmico e funda-se, assim, o Diretório Acadêmico Lucas Machado.

Em 1955, Juscelino Kubitschek propõe à Assembleia Legislativa de Minas Gerais a doação de um terreno na área central de Belo Horizonte para a construção da sede própria da faculdade, que começaria a ser construída em 1956 e terminada em 1963.[4]

A partir de 1964, a FCMMG implantou os cursos de graduação de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, pioneiros no Estado, através de convênio firmado com a Associação Mineira de Reabilitação (antiga Fundação Arapiara). Em 1969, a FCMMG assumiu a total responsabilidade sobre os cursos.

Em 1965, faculdade passou a oferecer cursos de pós-graduação lato sensu, incluindo residências médicas[4] (o primeiro do estado de Minas Gerais) e especializações em vários hospitais da Capital. O Centro de Pesquisa e Pós-Graduação (CPG) foi criado em meados dos anos 70, avançando gradualmente até chegar à sua estrutura atual.

História Recente[editar | editar código-fonte]

Em 1988, a FCMMG implantou a pós-graduação para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. No mesmo ano, foi implantado o Ambulatório Affonso Silviano Brandão, que em 2014 passa a se chamar Ambulatório Ciências Médicas.

Em 1990, foi assumido em comodato através de convênio com o governo do Estado o Hospital São José, transformando-o em hospital universitário. Ambos, como os serviços conveniados, fornecem suporte para o sistema público primário de saúde da Região Metropolitana de BH.

Em 1989, a instituição estendeu os seus serviços também a populações carentes do interior de Minas Gerais, por meio de convênios de internato rural/metropolitano com prefeituras, direcionados para atividades de saúde coletiva e do Programa Saúde da Família (PSF).

Em 2005, foi criado do centro de educação a distância, o Ciências Médicas Virtual (CMV).

Em 2008 foram criados os cursos de Enfermagem e Psicologia.

Em 2010 a FCM-MG completou 60 anos e o Hospital Universitário aderiu à rede 100% SUS.

Em 2012, foi dado início as obras de expansão, com a ampliação do edifício sede em 22.700m2.

Em 2013, foi lançado o curso de Mestrado Acadêmico em Ciências da Saúde.

Em 2014, a instituição lança nova marca "Ciências Médicas - MG".

Em 2017 inaugurou o Laboratório de Habilidades e Simulação Realística.

Cursos de Graduação[editar | editar código-fonte]

Medicina[editar | editar código-fonte]

  • Já formou 60 turmas desde a turma inicial em 1951 e atualmente as turmas que estão estudando são a de 63 a 72.
  • Admite em processos seletivos duas vezes ao ano com 180 vagas
  • Abriga aproximadamente 550 alunos de graduação
  • Incentiva a criação de diversas ligas acadêmicas, lideradas pelos próprios alunos, tais como a LAPAPED, LAC, LAN, entre outras

Fisioterapia[editar | editar código-fonte]

  • Um dos principais cursos oferecidos em Minas Gerais admite em um único processo seletivo anual.
  • A faculdade formou a primeira turma de fisioterapia no estado.
  • Pioneira na corrida ciências médicas evento que acontece uma vez por ano.
  • O curso é destaque em vários trabalhos multidisciplinar.

Terapia Ocupacional[editar | editar código-fonte]

  • A faculdade foi uma das primeiras a oferecer Terapia Ocupacional em Minas Gerais.
  • O curso não é mais oferecido desde o segundo semestre de 2014.

Enfermagem[editar | editar código-fonte]

Psicologia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e José de Laurentys Medeiros (Jan–Mar 2008). «Esboço histórico da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais». Revista Médica de Minas Gerais. Consultado em 23 de setembro de 2014 
  2. PUC Minas. «Entidade Mantenedora» 
  3. «Diário Oficial da União de 12 de abril de 1951». Consultado em 23 de setembro de 2014 
  4. a b «Linha do tempo da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais». Consultado em 23 de setembro de 2014. Arquivado do original em 18 de agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]