Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Faculdade de Farmácia
da Universidade de Lisboa
FFULisboa
Lema Pelo conhecimento,
Pela inovação
Fundação 1836
Tipo de instituição Pública
Localização Lisboa
Campus Cidade Universitária
Página oficial www.ff.ulisboa.pt

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFULisboa) é uma instituição de Ensino Superior Público Universitário, dedicada ao Ensino, Investigação, Transferência de Conhecimento e Extensão Universitária na área da Farmácia, do Medicamento e das Ciências Farmacêuticas.[1]

A FFULisboa é uma instituição reconhecida a nível nacional e internacional, sendo os seus cursos conferentes de grau acreditados pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES)[2] e o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas também acreditado pela Ordem dos Farmacêuticos para o exercício profissional.[3]

Com o lema, "Pelo conhecimento, pela inovação", a FFULisboa assume um papel ativo também na divulgação no domínio das Ciências Farmacêuticas[1] e ainda atividades dirigidas à comunidade no âmbito da Saúde Pública, fomentando uma cultura de internacionalização, associando-se com as suas congéneres e outras entidades relevantes nacionais e internacionais em projetos de matriz pedagógica e científica, programas de mobilidade e outras parcerias.[4][5]

História[editar | editar código-fonte]

O edifício da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, no Campo de Santana, antepassado institucional directo da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa nasceu como Escola de Farmácia, integrada na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, fundada em 1836 por Passos Manoel, sendo que a área da farmácia foi assumida pelo boticário do Hospital de São José. Com a constituição da Universidade de Lisboa, em março de 1911, a Escola de Farmácia continuou anexa à mesma instituição, agora denominada Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.[6]

Pelo Decreto n.º 4653, de 14 de julho de 1918, passou a ter a sua autonomia e a denominar-se Escola Superior de Farmácia da Universidade de Lisboa.[7] Continuou, contudo, a partilhar as instalações da Faculdade de Medicina, em situação precária e inadequada. Com o objetivo de resolver essa situação e de edificar instalações próprias, foi comprada a Quinta da Torrinha, em 1920. Esta propriedade situava-se na área que hoje é ocupada pelos edifícios da Faculdade de Farmácia, da Cantina Nova e por parte da Avenida das Forças Armadas. Seria a partir desta quinta que, mais tarde, se criaria a Cidade Universitária.[6]

Faculdade de Farmácia
da Universidade de Lisboa

Em 1921, pelo Decreto n.º 7238 de 18 de janeiro, a Escola Superior passa a usufruir do estatuto de Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, competindo-lhe atribuir os graus de licenciado e doutor em Farmácia e conferir o diploma de farmacêutico-químico.[8] Em 1932, foi extinta, juntamente com a congénere de Coimbra, dando lugar de novo a uma Escola Superior de Farmácia, na qual apenas se concedia o grau de bacharel; apenas na Universidade do Porto se manteve a Faculdade de Farmácia, onde eram ministrados também os graus de licenciado e doutor. Esta situação apenas seria revertida em 1968, data em que foram restauradas as Faculdades de Farmácia de Coimbra e de Lisboa, colocando-as em pé de igualdade com a da academia portuense.[6]

Hoje, a FFULisboa leciona disciplinas diversas, algumas delas em ambiente hospitalar. Através destas, e das disciplinas de Projeto, disponibiliza aos alunos uma relação direta com a atividade farmacêutica e com as Unidades de Investigação.[9]

Ensino[editar | editar código-fonte]

A oferta formativa da FFULisboa abrange todos os ciclos do ensino superior, integrando várias áreas associadas ao desempenho profissional dos farmacêuticos e ao desenvolvimento científico no domínio das ciências farmacêuticas.[1]

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas[editar | editar código-fonte]

Este curso habilita o Mestre em Ciências Farmacêuticas para o exercício profissional, reconhecido pela Ordem dos Farmacêuticos, em várias áreas da Saúde. São exemplos dessas atividades as que estão relacionadas com:[10]

  • Conceção, descoberta, desenvolvimento e utilização de medicamentos de uso humano, veterinário e dispositivos médicos.
  • Investigação e desenvolvimento do Medicamento e das Ciências Farmacêuticas.
  • Programas de educação dirigidos à comunidade no âmbito de promoção da saúde, prevenção da doença e envelhecimento saudável.
  • Prestação de cuidados farmacêuticos.
  • Colheita de produtos biológicos, execução e interpretação de análises clínicas.
  • Toxicologia, qualidade da água e dos alimentos.

Estrutura Curricular:

  • Duração: 10 semestres (5 anos) | ECTS: 300 - Nove semestres de formação multidisciplinar + Um semestre de estágio profissionalizante com realização e discussão pública de uma monografia. Após seis semestres e aprovação de 180 ECTS é conferido o grau de licenciado em Estudos Básicos de Ciências Farmacêuticas.[11]

O Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da FFULisboa está acreditado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior e pela Ordem dos Farmacêuticos.[2]

O Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da FFULisboa permite ser farmacêutico no espaço europeu.[12]

Mestrados[editar | editar código-fonte]

  • Análises Clínicas[13]
  • Ciências Biofarmacêuticas[14]
  • Engenharia Farmacêutica (ciclo de estudos em associação com o Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa)[15]
  • Intervenção Farmacêutica e Gestão da Terapêutica[16]
  • Qualidade Alimentar e Saúde[17]
  • Química Farmacêutica e Terapêutica[18]
  • Regulação e Avaliação do Medicamento e Produtos de Saúde[19]

Doutoramento em Farmácia[editar | editar código-fonte]

Apoiado por vários programas doutorais:

Cursos não conferentes de grau[editar | editar código-fonte]

Várias áreas[25]

Departamentos[editar | editar código-fonte]

Em 2016, a FFULisboa integra sete Departamentos na sua estrutura organizacional, nomeadamente:

Investigação[editar | editar código-fonte]

A investigação científica da FFULisboa é assegurada pelo Instituto de Investigação do Medicamento (iMed.ULisboa) que integra mais de 200 investigadores, concentrando a sua atividade em quatro áreas[33]:

  • Descoberta de alvos terapêuticos,
  • Design de novas moléculas,
  • Desenvolvimento farmacêutico,
  • Uso racional do Medicamentos (3DU).

É constituído por 15 grupos de investigação que trabalham em investigação fundamental e translacional na área da inovação terapêutica. Esta unidade incentiva a investigação em todo o espectro do desenvolvimento de medicamentos desde o laboratório à pré-clínica, promovendo uma resposta aos desafios impostos nas áreas emergentes, nomeadamente envelhecimento e doenças relacionadas (diabetes, cancro e neurodegenerescência), degenerativas osteoarticulares, inflamatórias, infeciosas e metabólicas.

A investigação envolve colaborações com várias Universidades, Centros de Investigação, Hospitais, Indústria Farmacêutica, Agências Reguladoras e Agências Internacionais na área do Medicamento.[34] Esta investigação tem vindo a proporcionar a realização de projetos científicos, financiados a nível nacional e internacional. Os resultados obtidos e as equipas que os desenvolvem têm sido alvo de galardões e distinções de natureza científica.[35]

No âmbito da investigação e do ensino, a FFULisboa investe em parcerias interdisciplinares com outras Escolas da ULisboa com o objetivo de desenvolver novas áreas transversais do conhecimento. Exemplo disso é a participação no(a)[36]:

Serviços à Comunidade[editar | editar código-fonte]

A FFULisboa disponibiliza ao público em geral, e também a entidades públicas e privadas, um conjunto de serviços especializados que resultam da aplicação translacional da investigação desenvolvida na Escola no âmbito clínico, instrumental e industrial, nomeadamente:

Prémios e Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

A FFULisboa foi distinguida, em 2013, com a Medalha de Honra da Ordem dos Farmacêuticos.[42]

Cooperação Internacional[editar | editar código-fonte]

Para reforçar a internacionalização do seu ensino e investigação científica, a FFULisboa coopera com instituições congéneres bem como com diversos organismos e entidades no âmbito da mobilidade e formação de estudantes, docentes e investigadores.[43]

No âmbito de uma política científica internacional, a FFULisboa mantém parcerias com consórcios estrangeiros passíveis de captar estudantes de pós-graduação e atrair financiamento competitivo.[43]

A cooperação estratégica potencia o desenvolvimento, a inovação, a internacionalização e a atratividade da instituição junto de estudantes, docentes e investigadores internacionais. A FFULisboa participa em programas internacionais e integra redes internacionais de investigação:[43]

Personalidades associadas à Faculdade[editar | editar código-fonte]

  • Alberto Ralha (1921-2010) - Professor universitário e político; Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos (1980-1983); Secretário de Estado do Ensino Superior dos VII e XI Governos Constitucionais.[44]
  • Aluísio Marques Leal (1915-2016) - Diretor dos Serviços Farmacêuticos do Hospital Universitário de Santa Marta, onde colaborou com o Prof. Egas Moniz nos seus trabalhos de investigação; Primeiro Diretor Técnico dos Serviços Farmacêuticos do Hospital de Santa Maria; Professor da cadeira de Farmácia Hospitalar na FFULisboa.[45]
  • Álvaro Teixeira Lopes - Diretor do Laboratório de Polícia Científica da Polícia Judiciária (2008-2009).[46]
  • Ana Paula Martins - Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, desde 2016.[47]
  • Maria Beatriz da Silva Lima - Professora Catedrática; Presidente do Comité Científico da Iniciativa de Medicamentos Inovadores (IMI), desde 2014; Presidente do Safety Working Party (SWP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) (2001-2012).[48]
  • Bruno Miguel Nogueira Sepodes - Professor de Farmacologia e Farmacoterapia; Presidente do Comité dos Medicamentos Órfãos (COMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA), desde 2012;[49] Membro do Scientific Coordination Board da EMA, desde 2012.
  • Carlos Fernando Costa da Silveira (1923-2018) - Investigador, professor catedrático e oficial da Marinha Portuguesa; Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos (1989-1995); Prémio Nacional de Saúde (2010); Medalha de Ouro da Ordem dos Farmacêuticos (2012).[50]
  • Elisabete Faria - Bastonária interina da Ordem dos Farmacêuticos (2008-2009).[51]
  • Helder Mota Filipe - exerceu o cargo de Presidente do Conselho Diretivo do INFARMED I.P., em regime de substituição, entre Novembro de 2015 e Janeiro de 2016.[52]
  • João Silveira - Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos (1995-2001).[53]
  • José Guimarães Morais - Professor Emérito; Diretor da FFULisboa (2009-2012); Presidente do Conselho Diretivo da FFULisboa (1996-2009); Presidente da Comissão de Avaliação de Medicamentos do INFARMED (1992-2009); Presidente da Sociedade Portuguesa de Ciências Farmacêuticas (2005-2011); Medalha de Ouro do Ministério da Saúde (2009); Medalha de Honra da Ordem dos Farmacêuticos (2010); Alumni Distinguished Lifetime Achievement Award pela Universidade de Michigan (2013); Grande Oficial da Ordem de Instrução Pública (2015).[54]
  • José de Sousa Martins (1843-1897) - Farmacêutico, médico e professor catedrático da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa.
  • Manuel Rodrigues de Carvalho (1929-1999) - Farmacêutico e oficial do exército; Ministro da Educação e Cultura do III Governo Provisório (1974-1975).
  • Odette Ferreira (1925-) - Professora catedrática, investigadora na área da Microbiologia, identificou o vírus HIV de tipo 2; Chevalier de l’Ordre des Palmes Academiques (1975); Chevalier de l'Ordre National de la Légion d’Honneur (1987); Comendador da Ordem Militar de Santiago de Espada (1988); Medalha de Honra da Ordem dos Farmacêuticos (1989); Medalha de Honra da Universidade Complutense de Madrid (1995); Prémio Universidade de Lisboa (2006).[55]
  • Pedro Augusto Franco (1833-1902) - Farmacêutico; 1.º Conde do Restelo; Par do Reino; Presidente da Câmara Municipal de Belém; Vereador e Presidente da Câmara de Municipal de Lisboa (1894-1897 e 1899-1901).
  • Rogério Gaspar - Vice-Reitor da ULisboa, desde 2013; Presidente da Sociedade Portuguesa de Ciências Farmacêuticas, desde 2016; Académico Correspondente Estrangeiro da Real Academia Nacional de Farmácia de Espanha, desde 2016.[56]
  • Rui Santos Ivo - Farmacêutico; Presidente da Federação Internacional de Estudantes de Farmácia (IPSF) (1986-1987); Presidente do INFARMED (2002-2005); Presidente da Administração Central do Sistema da Saúde (ACSS) (2014-2016).[57]

Doutores Honoris Causa[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Faculdade - Apresentação». FFULisboa 
  2. a b «Acreditação de Ciclos de Estudos». A3ES 
  3. Fernando Ramos. «Ensino Farmacêutico». Ordem dos Farmacêuticos 
  4. «A ULisboa na Promoção da Saúde Infantil». FFULisboa. 30 de maio de 2016. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  5. «Estudantes da FFULisboa colaboram em projeto de sensibilização solar». FFULisboa. 16 de maio de 2016. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  6. a b c «Edifícios da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa». Sistema de Informação para o Património Arquitectónico 
  7. «Decreto n.º 4653, de 14 de julho de 1918» (PDF). Diário do Govêrno 
  8. «Decreto n.º 7238, de 18 de janeiro de 1921». Diário do Govêrno 
  9. «Faculdade - História». FFULisboa 
  10. «Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas» (PDF). FFULisboa 
  11. «Despacho n.º 3816, de 2 de março de 2010» (PDF). Diário da República 
  12. «Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas 2016» (PDF). FFULisboa 
  13. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Análises Clínicas». FFULisboa 
  14. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Ciências Biofarmacêuticas». FFULisboa 
  15. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Engenharia Farmacêutica». FFULisboa 
  16. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Intervenção Farmacêutica e Gestão da Terapêutica». FFULisboa 
  17. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Qualidade Alimentar e Saúde». FFULisboa 
  18. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Química Farmacêutica e Terapêutica». FFULisboa 
  19. «Ensino - Mestrados - Cursos - Mestrado em Regulação e Avaliação de Medicamentos e Produtos de Saúde». FFULisboa 
  20. «Ensino - Doutoramentos - i3DU». FFULisboa 
  21. «Ensino - Doutoramentos - M2B-PhD». FFULisboa 
  22. «Ensino - Doutoramentos - NeurULisboa». FFULisboa 
  23. «Ensino - Doutoramentos - MedChemTrain». FFULisboa 
  24. «Ensino - Doutoramentos - AIM». FFULisboa 
  25. «Ensino - Cursos Não Conferentes de Grau». FFULisboa 
  26. «Departamento de Bioquímica e Biologia Humana». FFULisboa 
  27. «Departamento de Ciências Farmacológicas». FFULisboa 
  28. «Departamento de Ciências Toxicológicas e Bromatológicas». FFULisboa 
  29. «Departamento de Farmácia Galénica e Tecnologia Farmacêutica». FFULisboa 
  30. «Departamento de Microbiologia e Imunologia». FFULisboa 
  31. «Departamento de Química Farmacêutica e Terapêutica». FFULisboa 
  32. «Departamento de Sócio Farmácia». FFULisboa 
  33. «iMed.ULisboa | Program Areas». imed.ulisboa.pt. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  34. «iMed.ULisboa | Advanced Training». imed.ulisboa.pt. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  35. «iMed.ULisboa | News». imed.ulisboa.pt. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  36. «Redes ULisboa - Faculdade de Farmácia». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  37. «Biotério». FFULisboa 
  38. «Bloco Instrumental». FFULisboa 
  39. «Laboratório de Análises Clínicas». FFULisboa 
  40. «Structural Analysis Laboratory». FFULisboa 
  41. «Unidade de Farmacovigilância do Sul». FFULisboa 
  42. «Faculdade de Farmácia recebe Medalha de Honra da Ordem dos Farmacêuticos». ULisboa. 27 de setembro de 2013. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  43. a b c «Internacional - Cooperação Estratégica». FFULisboa 
  44. «Morreu Alberto Ralha, ex-secretário de Estado do Ensino Superior». Expresso. 3 de janeiro de 2010. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  45. «Aluísio Marques Leal comemora 95.º aniversário». Ordem dos Farmacêuticos. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  46. «Álvaro Teixeira Lopes é o novo director do laboratório da polícia científica da PJ». Antena 1. 4 de março de 2008. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  47. «Ana Paula Martins eleita nova bastonária da Ordem dos Farmacêuticos». Económico. 7 de fevereiro de 2016. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  48. «Professora Beatriz Lima Nomeada para o Comité do IMI». ULisboa. 16 de setembro de 2013. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  49. «Bruno Sepodes assume presidência do Comité de Medicamentos Órfãos da EMA». Ordem dos Farmacêuticos. 14 de setembro de 2012. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  50. «Bastonário Carlos Silveira recebe Prémio Nacional de Saúde». Ordem dos Farmacêuticos. 7 de abril de 2010. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  51. «Ordem dos Farmacêuticos tem novo bastonário». Expresso. 23 de outubro de 2010. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  52. «Helder Mota Filipe assume a presidência do Infarmed». Ordem dos Farmacêuticos. 6 de novembro de 2015. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  53. «Bastonário e Órgãos Nacionais tomaram posse». Ordem dos Farmacêuticos. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  54. «José Guimarães Morais e João Cordeiro recebem medalhas de ouro da Ordem dos Farmacêuticos». Just News. 10 de novembro de 2015. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  55. Alexandra Campos (9 de dezembro de 2014). «Odette Ferreira, a mulher que a investigação da sida ajudou a mudar: "Antes era uma betinha"». Público. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  56. «Rogério Gaspar é o novo presidente da Sociedade Portuguesa de Ciências Farmacêuticas». Just News. 14 de março de 2016. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  57. «Rui Ivo é o novo presidente da Administração Central do Sistema da Saúde». i. 25 de setembro de 2014. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  58. «Fraga Iribarne doutor "honoris causa" da Universidade de Lisboa». Público. 10 de novembro de 2004. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  59. «ULisboa atribui Doutoramento Honoris Causa ao Professor Leslie Benet». NewsFarma. 11 de maio de 2016. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  60. «Universidade de Lisboa atribuiu honoris causa a Michael Drummond». Ordem dos Farmacêuticos. 8 de maio de 2015. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  61. «Novos doutores da UL da área das Ciências da Saúde receberam diplomas». Ordem dos Farmacêuticos. 19 de outubro de 2012. Consultado em 5 de agosto de 2016