Fairview (programa de vigilância)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Fairview (programa de vigilância) é um programa de vigilância em massa da NSA, que amplia a capacidade da coleta de dados de telefone, internet e e-mail, acessando os dados diretamente de computadores e telefones celulares dos cidadãos dos países estrangeiros. [1][2][3][4]

A NSA usa o programa Fairview para acessar diretamente os sistema de telecomunicações dos países. Este acesso permite recolher registros detalhados de telefonemas e e-mails de milhões de pessoas, empresas e instituições nos países estrangeiros.[5][6]

O FAIRVIEW inclue os programas:

Segundo Edward Snowden:[7][8]

A NSA estabeleceu parcerias com uma grande empresa de telecomunicações dos EUA, que faz parceria com empresas de telecomunicações nos países estrangeiros que, em seguida, permitem que a empresa dos EUA tenha acesso aos sistemas de telecomunicações desses países.O acesso é então usado para direcionar o tráfego destes países para o repositórios da NSA nos Estados Unidos.

De acordo com as revelações, em janeiro de 2013 apenas, a NSA tinha recolhido 2,3 bilhões de dados de usuários brasileiros.[9][10][11]

Documentos sobre o Programa Fairview também fazem referência à uma empresa como sendo a Empresa que é "parceiro chave" da NSA nos programas de vigilância.Tal empresa não está identificada na documentação Snowden. No entanto, a empresa considerada "parceiro chave" pela NSA, foi identificada em 23 de outubro de 2013 pelo The Washington Post como sendo a AT&T.[12]

Cooperação de Empresas[editar | editar código-fonte]

O orgao da NSA responsável por programas de vigilância que envolvem parcerias com Empresas chama-se Operações de Fonte Especial(SSO).[13] Sua existência foi revelada através de documentos fornecidos por Edward Snowden em 2013. O programa de parcerias teve inicio em 2006 e de acordo com os documentos, naquela ocasião a NSA estava coletando o equivalente aos dados de uma Biblioteca do Congresso americano a cada 14.4 segundos. As parcerias sao estabelecidas pela divisao da NSA chamada Operações de Fonte Especial (SSO).

O Washington Post descreveu o simbolo oficial do programa SSO como sendo algo "que deve ser uma parodia: uma águia controlando em suas garras todos os cabos do mundo".[14] A revista americana Slate publicou vários selos dos programas de vigilância e de Veículos aéreo não tripulados conhecidos como drones. A matéria intitulada: "Os designs mais arrepiantes do Governo americano para a vigilância e drones .[15]

Programas conhecidos da Operações de Fonte Especial(SSO) incluem:

Mídia-FAIRVIEW e Coleta Upstream[editar | editar código-fonte]

Slides de apresentação da NSA mostram que o Programa de Coleta Upstream e PRISM devem ser usados ao mesmo tempo. Os slides foram publicados pelo The Washington Post.[16]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «FAIRVIEW: Programa que amplia a capacidade da coleta de dados-Mapa mostra volume de rastreamento do governo americano Brasil é o país mais monitorado da América Latina». O Globo. 11 de junho de 2013. Consultado em 19 de março de 2014 
  2. Jornal O Globo: EUA espionaram milhões de e-mails e ligações de brasileiros - Jornal O Globo
  3. Jornal O Globo: Jornais destacam sistema de espionagem dos EUA no Brasil - Jornal O Globo
  4. ÉPOCA | Tempo: NSA pode gravar todos os telefonemas feitos em um país por um mês, diz Snowden - ÉPOCA | Tempo
  5. Greenwald, Glenn; MacAskill, Ewen; Poitras, Laura; Ackerman, Spencer; Rushe, Dominic (11 de julho de 2013). «Como a Microsoft deu a NSA acesso as mensagens criptografadas». The Guardian. Consultado em 12 de julho de 2013 
  6. Barton Gellman; Poitras, Laura (6 de junho de 2013). «US Intelligence Mining Data from Nine U.S. Internet Companies in Broad Secret Program». The Washington Post. Consultado em 12 de julho de 2013 
  7. «Entenda o caso de Edward Snowden, que revelou espionagem dos EUA». G1. 2 de julho de 2013. Consultado em 14 de março de 2014 
  8. [1]CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia ; Senado Federal do Brasil; 24 de setembro de 2013
  9. EUA espionaram milhões de e-mails e ligações de brasileiros, O Globo, 6 de Julho de 2013. Acesso em 23 de Março de 2014.
  10. The NSA's mass and indiscriminate spying on Brazilians, Glenn Greenwald, The Guardian (London), 7 Julho 2013.
  11. «Espionagem dos EUA se espalhou pela América Latina por Glenn Greenwald, Roberto Kaz e José Casado». 12 de julho de 2013. Consultado em 19 de março de 2014 
  12. «What's the deal with NSA's operation names?». Washington Post. 22 de outubro de 2013. Consultado em 24 de março de 2014 
  13. Greenwald, Glenn; MacAskill, Ewen; Poitras, Laura; Ackerman, Spencer; Rushe, Dominic (11 de julho de 2013). «Como a Microsoft deu a NSA acesso as mensagens criptografadas». The Guardian. Consultado em 12 de julho de 2013 
  14. Heil,Emily (22 de Outubro de 2013). «What's the deal with NSA's operation names?». Consultado em 23 de Março de 2014 
  15. Ryan Gallagher (1 de outubro de 2013). «Os designs mais arrepiantes do Governo americano para vigilância e drones (The U.S. Government's Creepiest Drone and Surveillance Designs)». Slate. Consultado em 19 de março de 2014 
  16. NSA slides explicam como é feita e coleta de dados e mostram que o Upstream deve sem usado com o PRISM. Ver slide publicado em 10 de julho de 2013 com as instruções) - The Washington Post

Ligações externas[editar | editar código-fonte]