Faiza Jama Mohamed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Faiza Jama Mohamed
Nascimento 12 de novembro de 1958
Cidadania Somália
Alma mater
  • International Institute of Social Studies
  • Universidade do Estado da Califórnia em Fresno
Ocupação ativista pelos direitos das mulheres, escritora

Faiza Jama Mohamed (1958-) é uma ativista pelos direitos da mulher na Somália e Diretora Regional da África da ONG Igualdade Agora (<i>Equality now</i>). Ela é uma ativista proeminente pelo Protocolo de Maputo e contra a mutilação genital feminina .

Em 2004, Faiza Jama Mohamed escreveu editoriais do Pambazuka News defendendo a importância do Protocolo Africano sobre os Direitos das Mulheres.[1][2] Ela também escreveu para o The Guardian.[3]

Referências

  1. 'African Leaders Must Act Now to Ratify the Protocol on the Rights of Women', Pambasuka News, 162, 24 June 2004. Reprinted in Firoze Manji; Patrick Burnett, eds. (2005). African Voices on Development and Social Justice: Editorials from Pambazuka News 2004. Fahamu/Pambazuka. [S.l.: s.n.] pp. 101–103. ISBN 978-9987-417-35-3 
  2. 'Putting an End to Female Genital Mutilation: The African Protocol on the Rights of Women', Pambasuka News, 173, 9 September 2004. Reprinted in Firoze Manji; Patrick Burnett, eds. (2005). African Voices on Development and Social Justice: Editorials from Pambazuka News 2004. Fahamu/Pambazuka. [S.l.: s.n.] pp. 114–5. ISBN 978-9987-417-35-3 
  3. https://www.theguardian.com/global-development/poverty-matters/2014/apr/21/kenya-courage-lead-africa-womens-rights Does Kenya have the courage to lead on women's rights in Africa], The Guardian, 21 April 2014. Accessed 10 March 2020.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.