Fallout 76

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fallout 76
Desenvolvedora(s) Bethesda Game Studios
Publicadora(s) Bethesda Softworks
Diretor(es) Jeff Gardiner
Projetista(s) Emil Pagliarulo
Chris Cummings
Programador(es) Guy Carver
Patrick Labrie
Jason Hasenbuhler
Artista(s) Istvan Pely
Nathan Purkeypile
Compositor(es) Inon Zur
Motor Creation Engine
Série Fallout
Plataforma(s) Microsoft Windows
PlayStation 4
Xbox One
Lançamento 14 de novembro de 2018
Género(s) Ação-aventura
RPG eletrônico de ação
Modos de jogo Multijogador
Fallout 4

Fallout 76 é um jogo multijogador online de RPG de ação, desenvolvido pela Bethesda Game Studios e publicado pela Bethesda Softworks para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One. Funciona como uma prequela para a história da série Fallout e foi lançado em 14 de novembro de 2018.[1] Em abril de 2020, foi lançado a expansão Wastelanders.[2]

Apesar da antecipação a respeito do seu lançamento, o jogo acabou não agradando a crítica e o público, com reclamações principalmente se focando nos inúmeros problemas técnicos, design, ausência de personagens não jogáveis e falta de propósito do gameplay.[3] Embora o jogo tenha melhorado com o tempo, com a introdução de correções de bugs e adição de novo conteúdo, vários problemas permaneceram e muitas alterações continuaram a desagradar tanto os jogadores e quanto a crítica.[4]

Ao final de 2018, o jogo havia vendido em torno de 1,4 milhões de cópias pelo mundo, bem abaixo dos títulos anteriores da franquia.[5]

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Este é o primeiro jogo dos Estúdios Bethesda a ser inteiramente multiplayer[6] e só pode ser jogado online,[7] mas contêm elementos de single player, para jogadores que preferem jogar sozinhos, embora os desenvolvedores tenham esclarecido que Fallout 76 foi feito para primordialmente o modo cooperativo multijogador.[8][9] O jogo não contém NPCs (personagens não jogáveis), com todos os outros personagens humanos sendo outros jogadores online.[10]

Fallout 76 é um jogo de mundo aberto com um mapa quatro vezes maior que o de Fallout 4.[11] O jogo contém servidores dedicados, com os jogadores sendo alocados para eles.[12] Dentro do jogo, os jogadores podem formar grupos (parties) de até quatro. Entre os elementos de Fallout 76 estão a construção de bases e acampamentos em vários locais pelo mapa e a possibilidade dos jogadores de lançar bombas nucleares contra bases de outros jogadores.[13]

Em abril de 2020, a Bethesda liberou a expansão Wastelanders que trouxe mais conteúdo novo, incluindo NPCs (cuja ausência havia sido muito criticada anteriormente) e uma nova história, com uma narrativa mais em linha com os outros títulos da franquia.[2]

Ambientação[editar | editar código-fonte]

Fallout 76 é considerado uma prequela da série Fallout, ou seja, sua narrativa e história canônica ocorre num período temporal anterior ao outros jogos. Será ambientado no ano 2102, cerca de 25 anos após uma devastação causada por uma guerra nuclear, segundo o cânone do jogo. Antes dessa guerra, a proliferação nuclear nos séculos XX e XXI levou o governo dos Estados Unidos a criar uma série de abrigos nucleares chamados de "vaults" ("cofre" ou "refúgio", nas traduções em português), para tentar salvar a população. A Vault 76, o abrigo de onde os personagens jogáveis vem, foi construída na Virgínia Ocidental e foi inaugurada em 2076, no tricentenário da independência dos Estados Unidos da América. A Vault 76 já havia sido mencionada em outros jogos da saga Fallout como um dos "abrigos de controle", onde seus ocupantes não são submetidos a experimentos, mas são usados apenas para comparar com resultados de outras vaults cujos ocupantes foram de fato passados por experimentos científicos.[14]

O jogo mostra vários locais reais do estado da Virgínia Ocidental, como o Capitólio estadual, o resort-hotel The Greenbrier, o Woodburn Circle (campus principal da Universidade da Virgínia Ocidental) e a ponte sobre o rio New.[15][16]

O jogo expande a mitologia da franquia, com novos gráficos, um mapa grande e novos monstros, muitos inspirados no folclore local da Virgínia Ocidental, como o Mothman e o monstro de Flatwoods.[17][18] Contudo, no seu lançamento, jogadores e críticos apontaram que Fallout 76 trazia pouca inovação no geral, em termos gráficos e técnicos, e apresentava inúmeras falhas de performance e bugs.[19]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

O jogo foi anunciado pela primeira vez em 30 de maio de 2018. O anúncio foi precedido por uma live stream de 24 horas no site Twitch que mostrou um boneco de um Vault Boy (um dos símbolos da franquia) em frente a um monitor que dizia "Please Stand By" ("Por favor, aguarde"). A stream foi assistida por duas milhões de pessoas, atingindo num ápice a audiência de 100 000 pessoas simultaneamente conectadas.[20] A transmissão se encerrou com uma mensagem de Todd Howard, o diretor e produtor executivo da Bethesda, seguido por um trailer teaser com a música "Take Me Home, Country Roads" no fundo. O trailer mostra a Vault 76 e o ambiente rural e alguns assentamentos em ruínas na Virgínia Ocidental, com a proclamação do "Reclamation Day" ("Dia de Recuperação"), com a citação "Quando a luta tiver terminado e o desastre nuclear tiver passado, você deverá reconstruir".[21][22][23]

Os detalhes do jogo foram então anunciados por Todd Howard durante a conferência da Bethesda na Electronic Entertainment Expo, em 10 de junho de 2018, e foi lançado para o público oficialmente em 14 de novembro do mesmo ano. Esta é a primeira experiência do estúdio com um jogo inteiramente online, com Howard afirmando que haveria uma fase de beta aberta para alguns jogadores, para testes e busca por bugs.[8]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Game Informer 6/10[24]
GameSpot 4/10[25]
GamesRadar+ 2.5 de 5 estrelas.[26]
IGN 5/10[27]
PC Gamer 60/100[28]
VideoGamer.com 4/10[29]
The Guardian 2 de 5 estrelas.[30]
Pontuação global
Agregador Nota média
Metacritic PC: 52/100[3]
PS4: 53/100[31]
Xbox One: 49/100[32]

Fallout 76 recebeu críticas variadas dos especialistas tanto na sua versão para Windows quanto para PS4, com uma visão um pouco mais negativa no Xbox One, segundo o site agregador Metacritic. The Guardian deu ao jogo duas de cinco estrelas no PS4, o chamando de "uma caminhada sem sentido no pós-apocalipse", criticando a falta de personagens não jogáveis (os NPCs) e sua natureza instável, mas elogiaram o design do jogo.[30] O site GamesRadar+ deu, na versão PC, uma nota de 2,5 de cinco, salientando como pontos negativos os problemas técnicos, gráficos desatualizados comparados a outros lançamentos do ano e a falta de inovação, mas elogiou o visual e o tamanho do mapa.[26] De acordo com a revista Forbes, Fallout 76 é "um grande e raro erro pela Bethesda".[33] Já a Eurogamer, chamou o jogo de "uma bagunça quebrada, bizarra e chata", completando dizendo que "vale a pena perseguir o sonho do multiplayer de Fallout ... é uma pena que, da forma como está agora, Fallout 76 deverá se tornar um experimento fracassado".[19]

No site Metacritic, a recepção do público foi mais negativa que a dos críticos. O jogo foi criticado pelos excessivos bugs, jogabilidade ruim e outros problemas no lançamento, forçando a empresa Bethesda a lançar atualizações de 50 GBs para tentar corrigir os problemas do jogo. Segundo o site US Gamer, Fallout 76 era "raso" e "não acrescentava muita coisa".[34]

Em termos de vendas, Fallout 76 estreou em terceiro lugar no Reino Unido, em todos os formatos, atrás de Spyro Reignited Trilogy e Red Dead Redemption 2. O seu desempenho no mercado foi bem inferior ao título anterior da franquia, Fallout 4.[35] O jogo viu uma redução de preço na América do Norte apenas uma semana após seu lançamento, com muitos analistas listando a fraca venda como razão para estes cortes no preço.[36]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Fallout 76 foi alvo de controvérsias desde antes do seu lançamento. Muitos acusaram a Bethesda de lançar o jogo incompleto, bugado e de ser lenta em corrigir os erros presentes (uma crítica recorrente para a empresa). Devido aos problemas técnicos (que para muitos impedia o jogo de funcionar completamente) e também ao fato de que, após uma semana de lançamento o preço de compra do produto caiu, muitos jogadores pediram o dinheiro de volta e queriam devolver o jogo. A Bethesda, contudo, havia mudado recentemente sua política de devoluções, se recusando a reembolsar vários pedidos, gerando protestos da base de fãs e na imprensa,[37][38] além de potencializar uma ação judicial coletiva contra a empresa nos Estados Unidos.[39][40]

Outra questão envolvendo Fallout 76 aconteceu na edição especial do jogo, vendida por US$ 200 dólares, que vinha com vários produtos extras (incluindo uma réplica de um capacete usado no jogo). A Bethesda havia anunciado formalmente que esta edição incluiria uma mochila de lona, porém o que foi enviado para os jogadores foi uma versão mais simples e barata feita de náilon. Em resposta a controvérsia, Bethesda afirmou que a mochila havia mudado devido a indisponibilidade de materiais, mas não informou os compradores a respeito dessa mudança, com o site oficial da empresa ainda anunciando inicialmente a mochila como sendo de lona, mudando para "náilon" apenas após as reclamações terem sido feitas públicas na imprensa. A Bethesda formalmente se desculpou pelo ocorrido e ofereceu "500 átomos" (a moeda usada dentro de Fallout 76) para os jogadores como compensação, o que equivale a U$ 5,00 na loja digital dentro do jogo, numa atitude que também foi duramente criticada como insuficiente.[41][42] Além da mochila, outra polêmica surgiu em relação ao merchandise do jogo. Nesse caso, uma jaqueta de couro que foi anunciada pela Bethesda por 276 dólares virou motivo de desconfiança e até de piada entre os fãs no Twitter, pelo fato de ela ser extremamente cara (ela custava quase cinco vezes mais que o preço do jogo em seu lançamento) e possuir qualidade duvidosa da apresentada na rede social e na loja da empresa.[43][44][45]

Em 23 de outubro de 2019, a Bethesda anunciou que estariam oferecendo um serviço de inscrição premium para Fallout 76, chamado de "Fallout 1st", com o preço de US$ 12,99 dólares por mês ou US$ 99,99 dólares por ano. Os pagantes teriam acesso a servidores online privativos (sozinhos ou com sete acompanhantes que podiam ser não pagantes), além da introdução de novo conteúdo cosmético e uma nova caixa de sucata coletada pelos jogadores que não tinha limite de peso, um sistema de fast travel novo com suprimentos suplementares, 1650 átomos (a moeda utilizada no jogo) por mês. Essa escolha de criar um modelo de inscrição paga gerou várias críticas e foi considerado um movimento ousado por parte da Bethesda,[46][47] já que muito do que foi adicionado neste conteúdo premium era requisitado pelos jogadores desde o lançamento mas agora era apenas acessível para quem pagasse, enquanto muitos notaram que o que estava sendo oferecido pela inscrição em Fallout 76 era menos do que outros jogos similares ofereciam serviços parecidos.[48]

Referências

  1. «Novo Fallout é anunciado pela Bethesda». IGN Brasil. Consultado em 11 de junho de 2018 
  2. a b «Bethesda lança "Wastelanders", a atualização que promete redimir "Fallout 76"». Consultado em 16 de abril de 2020 
  3. a b "Fallout 76 for PC Reviews". Página acessada em 20 de novembro de 2018.
  4. Totilo, Stephen. «Bethesda Is Now Selling $100 Annual Subscriptions For Exclusive Fallout 76 Features». Kotaku. Consultado em 24 de outubro de 2019 
  5. «Battlefield 5 and Fallout 76 have failed to meet franchise benchmarks according to Superdata». DSOGaming. 24 de dezembro de 2018. Consultado em 17 de maio de 2019 
  6. «Bethesda confirms 'Fallout 76 is entirely online'». Polygon. Consultado em 11 de junho de 2018 
  7. YouTube Live at E3 2018 Monday: Ninja, PlayStation & Ubisoft Press Conferences (Official Livestream) (em inglês), consultado em 11 de junho de 2018 
  8. a b «Fallout 76 is an online-only survival game coming out on November 14th, 2018». The Verge. Consultado em 11 de junho de 2018 
  9. Plagge, Kallie (10 de junho de 2018). «E3 2018: More Fallout 76 Details Revealed». GameSpot (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018 
  10. «Bethesda Game Studios on Twitter». Twitter (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018 
  11. «Bethesda's 'Fallout 76' is four times the size of 'Fallout 4'». Digital Trends (em inglês). 10 de junho de 2018. Consultado em 11 de junho de 2018 
  12. «Bethesda confirms 'Fallout 76 is entirely online'». Polygon. Consultado em 12 de junho de 2018 
  13. «Fallout 76 is an online game, and you can nuke other players». pcgamer (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018 
  14. Marks, Tom (31 de maio de 2018). «Fallout 76: The History Of Vault 76 And What It Means For Fallout 76». IGN. Consultado em 11 de junho de 2018 
  15. «Fallout 76 May Take Place In 2102, The Earliest In The Franchise Yet». Cultured Vultures (em inglês). 30 de maio de 2018. Consultado em 11 de junho de 2018 
  16. «Tracking the real-world locations of Fallout 76 hints at a massive game». Polygon. Consultado em 11 de junho de 2018 
  17. «Fans think West Virginia urban legend Mothman is in Fallout 76». The Verge. Consultado em 11 de junho de 2018 
  18. Hood, Vic (11 de junho de 2018). «E3 2018 Bethesda conference: Fallout 76 release date, Doom Eternal and The Elder Scrolls VI confirmed». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 12 de junho de 2018 
  19. a b Yin-Poole, Wesley. «Fallout 76 review - a bizarre, boring, broken mess». Eurogamer (em inglês). Consultado em 20 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2018 
  20. «Two million people tuned into Bethesda's day-long stream of a toy». The Verge. Consultado em 11 de junho de 2018 
  21. Dornbush, Jonathon (30 de maio de 2018). «How Fallout 3 Could Indicate Fallout 76's Setting». IGN (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018 
  22. Skrebels, Joe (30 de maio de 2018). «Fallout 76 Announced, Will Reportedly Be an 'Online Survival RPG'». IGN (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018 
  23. «Fallout 76 is the next game in the Fallout universe». Polygon. Consultado em 12 de junho de 2018 
  24. Reiner, Andrew. «Fallout 76 Review - Over Encumbered». Game Informer. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  25. Tran, Edmond. «Fallout 76 Review - Scorched Earth». GameSpot. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  26. a b Delahunty-Light, Zoe. «Fallout 76 review: "Just as worn as the world it depicts, without any of the warmth"». GamesRadar. Consultado em 19 de novembro de 2018 
  27. Tyrrel, Brandin. «Fallout 76 Review». IGN. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  28. Livingston, Christopher. «Fallout 76 review». PC Gamer. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  29. Wise, Josh. «Fallout 76 review». Videogamer.com. Consultado em 19 de novembro de 2018 
  30. a b Nielsen, Holly (19 de novembro de 2018). «Fallout 76 review – a pointless walk in the post-apocalypse». The Guardian (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2018 
  31. "Fallout 76 for Xbox One Reviews". Página acessada em 20 de novembro de 2018.
  32. "Fallout 76 for PlayStation 4 Reviews". Página acessada em 20 de novembro de 2018.
  33. Tassi, Paul (20 de novembro de 2018). «'Fallout 76' Review (Xbox One X): Look Upon My Works And Despair». Forbes (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2018 
  34. "Fallout 76's Reception Has Been Worse Than Anyone Could Have Imagined. Can Bethesda Right the Ship?". Página acessada em 20 de novembro de 2018.
  35. Phillips, Tom. «Spyro sold more physical copies at launch than Fallout 76». Eurogamer. Gamer Network. Consultado em 20 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2018 
  36. Tassi, Paul. «After A Historically Bad Launch, Is 'Fallout 76' Worth Saving?». Forbes. Forbes. Consultado em 30 de novembro de 2018 
  37. «Fallout 76 Refund Policy May Lead to Lawsuit». Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  38. «The 'Fallout 76' Beta Makes Me Sad». Forbes. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  39. «What is the Fallout 76 refund class action lawsuit about?». Shacknews (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019 
  40. Khan, Imran. «Bethesda Facing Possible Class-Action Lawsuit Over Fallout 76». Game Informer (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2019 
  41. Kent, Emma. «Bethesda offers 500 Atoms to customers affected by Fallout 76 bag-gate». Eurogamer. Consultado em 30 de novembro de 2018 
  42. Plunkett, Luke. «$200 Fallout 76 Edition Promised Fancy Bag, Delivers Nylon Trash Instead [Update: Bethesda Responds]». Kotaku. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  43. Oliveira, Miguel (24 de janeiro de 2019). «Bethesda lança jaqueta de Fallout 76 e fãs criticam empresa». O Vício. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  44. «Bethesda's $276 Fallout 76 leather jacket gets ripped to shreds on Twitter». VG247. 28 de janeiro de 2019. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  45. Livingston, Christopher (24 de janeiro de 2019). «Twitter reacts to $276 Fallout 76 jacket with a bunch of bag jokes». PC Gamer (em inglês). Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  46. Yin-Poole, Wesley. «Fallout 76 gets a £12-a-month subscription called Fallout 1st». Eurogamer. Consultado em 24 de outubro de 2019 
  47. Skrebels, Joe. «Fallout 76 Now Has a $100-a-Year Subscription Service, Fallout 1st». IGN. Consultado em 24 de outubro de 2019 
  48. Tassi, Paul. «'Fallout 76' Now Has A Premium Monthly Subscription Fee, No Seriously». Forbes. Consultado em 25 de outubro de 2019