Fama (talent show)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fama (reality show))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fama
Informação geral
Formato Talent show
Gênero Canto
Duração 60 minutos
Criador(es) Joan Ramon Mainat
Josep Maria Mainat
Toni Cruz
Baseado em Operación Triunfo, do La 1
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Rogério Gomes
Bernardo Vilhena
Luiz Gleiser
Carlos Magalhães
Câmera Multicâmera
Apresentador(es) Angélica
Toni Garrido
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 27 de abril de 2002 – 17 de setembro de 2005
N.º de temporadas 4

Fama é um talent show brasileiro produzido e exibido pela Rede Globo entre 27 de abril de 2002 e 17 de setembro de 2005 em quatro temporadas.[1] O programa era uma versão do programa Operación Triunfo, do canal espanhol La 1. Nas duas primeiras temporadas foi apresentado por Angélica e Toni Garrido, vocalista do grupo Cidade Negra. A partir da terceira temporada apenas a apresentadora permaneceu comandando o programa.

Produção[editar | editar código-fonte]

O programa é a versão do talent show espanhol Operación Triunfo, exibido originalmente pelo canal La 1, o qual a emissora adquiriu os direitos de produzir uma versão em janeiro de 2002.[2] Originalmente a emissora pretendia estrear o programa em 11 de maio de 2002, porém decidiu adiantar e estrear no mesmo dia e horário que o Popstar, do SBT, para não perder o título histórico de primeiro talent show brasileiro para a concorrente.[3] Angélica foi escolhida como apresentador após finalizar sua carreira voltada ao público infantil e redireciona-la para o público jovem-adulto no Vídeo Game, reforçando a nova imagem no Fama.[4] Samuel Rosa, do Skank, e Rogério Flausino, do Jota Quest, foram convidados para comandar o programa ao lado da apresentadora, porém recusaram por não se interessarem por televisão, ficando para Toni Garrido, do Cidade Negra, o cargo.[5]

A primeira temporada recebeu 5 mil inscritos – número considerado modesto, uma vez que a concorrente havia tido 30 mil inscritos, mesmo sendo restrito a competidores do sexo feminino – e os escolhidos foram anunciados em pleno horário nobre ao vivo no Fantástico.[6] Devido a boa recepção, o programa contou com uma segunda temporada no mesmo ano, entrando no ar no mesmo dia que foi anunciado a vencedora da primeira edição.[7] A terceira temporada foi exibida apenas em 2004, trazendo grandes diferentes por não haver mais jurados, ficando nas mãos do público a avaliação, votando pelo telefone em notas de 0 a 10 para cada apresentação, das quais seriam definidos o mais votado como imune na semana seguinte e os dois menos votados como indicados à zona de risco de eliminação.[8][9] Além disso a eliminação passou a não ocorrer mais no mesmo dia, apenas na semana seguinte, quando os dois indicados à eliminação duelavam com uma mesma canção e, o menos votado, era eliminado logo no início do programa, enquanto o escolhido para ficar se juntava aos demais para a apresentação semanal.[10] Angélica passou a apresentar o programa sozinha.[11]

Na quarta temporada, as inscrições puderam ser feitas também pela internet primeira vez.[12] Diferente das edições anteriores, as audições presenciais não ocorreram nos Estúdios Globo, mas sim quatro capitais: os selecionados do sudeste compareceram em São Paulo, os do nordeste em Recife, do norte e centro-oeste em Brasília e do sul em Porto Alegre.[12] Após três fases de seletivas, os 40 pré-aprovados – dez de cada capital correspondente – se apresentaram em uma última etapa em formato de show aberto ao público e transmitida ao vivo em 11 de julho de 2005. Angélica comandou as apresentações dos dez concorrentes do sudeste no Memorial da América Latina; Ana Furtado apresentou os do nordeste Universidade Federal de Pernambuco; Renata Ceribelli ficou responsável pelo show dos candidatos do norte e centro-oeste no Teatro Villa-Lobos de Brasília; já Fernanda Lima transmitiu os sulistas diretamente do Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.[12] O programa voltou a contar com um corpo de jurados – na temporada anterior o cargo havia sido extingo – formato por Carlos Magalhães, Guto Graça Mello e Luciana Mello, que davam conselhos sobre as apresentações e escolhiam quem seria imunizado em cada semana, embora o poder de decisão das duas piores apresentações que iriam para a berlinda continuasse nas mãos do público.[13][14]

O programa[editar | editar código-fonte]

No Fama, os participantes competem pela oportunidade de assinar com uma gravadora, gravar um álbum e ter seu trabalho divulgado para todo o Brasil, se tornando o novo ídolo musical do país. Durante o tempo do programa eles ficavam confinados na Academia Fama, uma casa que contava com diversas câmeras – exceto nos dormitórios e banheiros, diferente dos reality shows – e trazia ainda estúdios de gravação, academia e salas para aulas de voz, teatro e expressão corporal.[15] Na casa os participantes tinham que se dedicar 8h por dia obrigatoriamente às aulas aulas de canto, expressão corporal, interpretação e dança, além de sessões diárias com fonoaudiólogos, psicólogos, preparador físico e aulas de cultura musical, além do auxílio nas dificuldades técnicas de voz.[16]

Exibição[editar | editar código-fonte]

O programa era exibido aos sábados às 16h com uma hora de duração.[17] De segunda à sexta-feira um compacto de 5 minutos era exibido antes do seriado Malhação mostrando o que tinha ocorrido na semana anterior fragmentado em cinco partes.[18]

Temporadas[editar | editar código-fonte]

# Exibição original Finalistas
Estreia Final Vencedores 2.º lugar 3.º lugar
1.ª 27 de abril de 2002 6 de julho de 2002 Vanessa Jackson Nalanda Adelmo Casé
João Batista
2.ª 6 de julho de 2002 17 de agosto de 2002 Marcus Vinile Maíra Lemos Danny Nascimento
Fábio Nestares
3.ª 5 de junho de 2004 7 de agosto de 2004 Tiago Silva Cídia Luíze João Sabiá
4.ª 16 de julho de 2005 17 de setembro de 2005 Fábio Souza Evelyn Castro Shirle de Moraes

Equipe[editar | editar código-fonte]

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Nome Temporadas
1.ª
2002
2.ª
2002
3.ª
2004
4.ª
2005
Angélica
Toni Garrido

Jurados[editar | editar código-fonte]

Nome Temporadas
1.ª
2002
2.ª
2002
3.ª
2004
4.ª
2005
Guto Graça Mello
Helio Costa Manso
Ivo Meirelles
Lilian Secco
Maria Carmem Barbosa
Monika Venerabile
Carlos Magalhães
Luciana Mello

Instrutores[editar | editar código-fonte]

Nome Cargo Temporadas
1.ª
2002
2.ª
2002
3.ª
2004
4.ª
2005
Ana Kfouri Expressão corporal
Rossela Terranova Expressão corporal
Felipe Abreu Canto
Guilherme Linhares Preparador físico
Monique Aragão Interpretação
Angela de Castro Fonoaudiologia
Renato Vieira Coreografia
Leonel Kaz Cultura musical
Analice Gigliotti Psicologia
Liliane Secco Dificuldades vocais
Madalena Bernardes Canto e interpretação
Marília Costa Fonoaudióloga
Cláudio Bahiano Preparador físico

Audiência[editar | editar código-fonte]

A primeira temporada de Fama retomou a liderança do horário para a emissora, uma vez que o Programa Raul Gil, na RecordTV, costumava a abrir margens de 19 pontos contra 10, sendo que o talent show conseguiu atrair o público e reverter os números, atingindo marcas de 21 pontos contra 10 da concorrente.[19] A segunda temporada estreou com 19 pontos de audiência.[20] Os compactos semanais chegavam a atingir 30 pontos, impulsionados pelo seriado Malhação.[21] A semifinal atingiu 19 pontos, embora a final tenha sido menor, conquistando 17 pontos.[22][23] A terceira temporada estreou com 16 pontos.[24] A temporada registrou uma média geral maior que as anteriores, compilando 17 pontos, enquanto as duas primeiras tiveram 16 no total de exibição.[25] A quarta e última temporada, porém, teve grandes dificuldades para se estabelecer e passou a ficar em segundo lugar na audiência contra o Programa Raul Gil, marcando médias de apenas 9 pontos.[26]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Denúncias de Vanessa Jackson[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter ganho a edição, Vanessa Jackson passou por diversos problemas com a Rede Globo, uma vez que foi impedida de se apresentar em outras emissoras, embora também não tivesse espaço para cantar nos próprios programas do canal: "Esta exclusividade prejudica qualquer carreira. O Silvio Santos saberia fazer o Fama muito melhor. As meninas do Rouge vão em vários canais; eu não sou convidada nem mesmo pro que me revelou".[27] Em entrevista, a cantora alegou que o contrato de exclusividade com a Globo lhe rendia apenas R$ 200 mensais – salvo os valores ganhos com shows e vendas de álbuns – e que a emissora não havia cumprido com as obrigações de divulgação de seu trabalho, uma vez que ela gravado um apenas um videoclipe, o qual foi exibido somente no Operación Triunfo – programa espanhol que deu origem ao Fama – para exaltar o sucesso do formato pelo mundo, porém nunca chegou a ser lançado comercialmente no Brasil, atrapalhando o alcance de seu trabalho.[27]

Vanessa também revelou que foi proibida de continuar morando no Cohab Raposo Tavares, bairro periférico da capital paulista, uma vez que a direção considerava que isso ia "queimar o filme do programa" por ela ter se tornado uma artista e as pessoas esperarem que ela vivesse de forma grandiosa, embora sua moradia em um bairro de classe alta tivesse que ser custeado pela própria, sem ajuda dos que haviam exigido.[27] Na época a emissora confirmou as informações, alegando que eram exigências contratuais do formato.[27]

Expulsão de Maryanna Novaes[editar | editar código-fonte]

A segunda temporada ficou marcada pela expulsão da participante Maryanna Novaes logo na primeira semana, fato este que nunca veio a se repetir em talent shows brasileiros.[28] Segundo a direção, a expulsão ocorreu pela competidora se recusar a participar de aulas de expressão corporal e dança, alegando que estava lá "só para cantar", além de reclamar das técnicas vocais ensinadas e se negar a cantar as músicas escolhidas.[29] Em 16 de julho, dez dias após o início, foi anunciado que Maryanna havia sido retirada do programa por indisciplina e por não cumprir os regulamentos a pedido dos próprios especialistas, que disseram que ela estava tumultuando os ensaios e atrapalhando os demais participantes.[30][31] Rogério Midlej, que havia ficado entre os 32 pré-selecionados, foi escolhido para entrar no lugar de Maryanna a a partir da segunda semana.[32]

Referências

  1. «Globo estréia "reality show" musical no mesmo dia de "Popstars"». Folha Ilustrada. 17 de abril de 2002. Consultado em 16 de junho de 2016. 
  2. «Globo tenta levantar carreira de "Fama"». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 de maio de 2018. 
  3. «Show de calouros maquiado». Observatório da Imprensa. Consultado em 6 de maio de 2018. 
  4. «FAMA BIS (2002)». Memoria Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  5. «Thiaguinho é eliminado e Danny e Fábio disputam vaga na final». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  6. «FAMA (2002)». Memoria Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  7. «Globo inicia segunda edição do Fama com show e berlinda». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  8. «Passou na TV: O famoso "Fama"!». Ibope TV Audiência. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  9. «Programa quer consolidar talentos». Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  10. «Novas regras prejudicaram o "Fama"». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  11. «FAMA 3 (2004)». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  12. a b c «FAMA 4 (2005)». Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  13. «Programa quer consolidar talentos». Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  14. «Fama 4: Cassiano Paim e Letícia Martins estão na berlinda». IG. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  15. «PRODUÇÃO». Globo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  16. «Saiba quem são os 12 candidatos de "Fama", da Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  17. «Programa exibe visita de RPM à Academia». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  18. «Compacto de Fama tem audiência de 24 pontos». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  19. «Com "Fama", Globo retoma liderança aos sábados». Estadão. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  20. «Final do Fama rende 19 pontos de audiência». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  21. «Fama atinge 30 pontos de audiência». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  22. «Globo alcança média de 19 pontos no Ibope com semifinal do Fama». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  23. «Final do Fama Bis rende 17 pontos de audiência». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  24. «"Fama" estréia com 16 pontos de audiência». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  25. «Audiência do "Fama 3" sobe um ponto no Ibope». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  26. «Raul Gil renova fôlego ao massacrar Angélica». UOL. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  27. a b c d «Ex-ganhadora acusa Rede Globo». Gazeta Digital. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  28. «Programa "Fama" expulsa participante». Estadão. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  29. «Maryanna Novaes sai do programa Fama». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  30. «Maryanna Novaes é expulsa do Fama por indisciplina». IG. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  31. «Sem direito a fama». Zero Zen. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  32. «Rogério Cravo é o novo integrante do Fama Bis». Terra. Consultado em 1 de maio de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]