Far Cry Primal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Far Cry Primal
Produtora(s) Ubisoft Montreal[a]
Editora(s) Ubisoft
Diretor(es) Jean-Christophe Guyot[1]
Produtor(es) Vincent Pontbriand
Designer(s) Thomas Simon
Escritor(es) Kevin Shortt
Artista(s) Mickael Labat
Motor Dunia Engine 2[2][3]
Plataforma(s) Microsoft Windows
PlayStation 4
Xbox One
Série Far Cry
Data(s) de lançamento PlayStation 4 & Xbox One
23 de Fevereiro de 2016[1]

Microsoft Windows
1 de Março de 2016[4]

Género(s) Acção-aventura
Modos de jogo Um jogador[5]
Far Cry 4
Far Cry 5
Página oficial

Far Cry Primal é um videojogo de ação-aventura na primeira pessoa desenvolvido pela Ubisoft Montreal com a assistência de Ubisoft Toronto, Ubisoft Kiev e Ubisoft Shanghai e publicado pela Ubisoft.[6] Foi lançado a 23 de fevereiro de 2016 para PlayStation 4 e Xbox One e a 1 de março de 2016 para Microsoft Windows. Ao contrário de Blood Dragon, Far Cry Primal não é uma expansão[7], mas ainda assim algumas pessoas o considera um spin-off.

A história de Far Cry Primal acontece no inicio do período Mesolítico, cerca de 12,000 anos atrás, na Idade da Pedra. Os jogadores controlam Takkar, um caçador que começa sem recursos e armas e que eventualmente irá se tornar no líder de uma tribo.[1]

Far Cry Primal foi bem recebido pela critica profissional. No site de pontuações agregadas Metacritic, as versões PlayStation 4 e Xbox One tiveram 76/100 e 79/100, respectivamente, o que indica "análises geralmente favoráveis". Muitos críticos acharam o jogo muito parecido com os anteriores, evoluindo pouco mas cumprindo com aquilo que é necessário. Os elogios foram sobretudo para com os gráficos e as novas ideias na jogabilidade, como o controle dos animais selvagens. As criticas recaíram mais sobre a história, os vilões e as missões secundárias.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Far Cry Primal apresenta um sistema que permite ao jogador domesticar animais selvagens.[8]

Far Cry Primal é um videojogo de acção-aventura na primeira pessoa. A história decorre num lugar chamado Oros, que é um mundo aberto povoado por vida selvagem, como mamutes e tigres dentes de sabre. Como a acção decorre na Idade da Pedra, as tradicionais armas de fogo típicas da série foram removidas, e foram substituídas por lanças, machados, clavas e arcos.[9] As armas não podem ser adquiridas e têm de ser fabricadas artesanalmente com materiais que os jogadores vão encontrando pelo mundo, como pedra, ossos e madeira. À medida que o jogador vai progredindo, este pode criar armas mais letais a partir de uma grande variedade de recursos. Também é necessário caçar.[7]

Para além de enfrentarem os predadores naturais, os jogadores também têm a oportunidade de serem lideres de uma tribo, e entram em conflito com as outras existentes pelo mundo.[10] Como tal são encarregues de proteger e de desenvolver os membros do seu grupo.[10] Far Cry Primal também inclui um ciclo dia-noite, que afecta o modo como o jogo é jogado.[11] Durante a noite, alguns inimigos ficam mais agressivos e perigosos. Os jogadores podem usar o fogo como protecção e para caçar à noite.[7][9]

Far Cry Primal apresenta o sistema Beast Master, que permite ao jogador domesticar animais selvagens.[8] Estes animais recebem diversas ordens e podem servir de companhia e ajudar em combate. Diferentes companheiros têm diferentes comportamentos e o jogador é livre de os trocar à sua vontade.[12][13] Por exemplo, se o jogador domesticar um felino estes são bons em movimentos de infiltração (stealth), caninos são bons para caçar e os ursos podem ser usados como tanques. Cada animal tem características únicas; o lobo começa a uivar sempre que pressente inimigos e o urso procura por mantimentos.[8] Takkar tem inclusive um mocho como animal de estimação, que pode ser controlado directamente. Através da visão do mocho o jogador pode patrulhar inimigos e os seus territórios.[14]

Idioma[editar | editar código-fonte]

As personagens falam uma língua fictícia, com estrutura e sintaxe bem definida, baseada na protoindo-europeia,[15] que é a língua ancestral comum das línguas europeias da actualidade. Os linguistas construíram três dialectos - Wenja, Udam e Izila - uma para cada uma das três tribos existentes no jogo. Cada um dos dialectos foi desenho para ter um som distinto dos restantes, transmitindo a cultura da sua tribo.[16] Kevin Shortt, o escritor principal de Far Cry Primal disse que os jogadores vão entender o vocabulário Wenja, e acabar o jogo "com um verdadeiro sentido [da linguagem]".[15]

Cenário[editar | editar código-fonte]

Far Cry Primal decorre no inicio do período Mesolítico,[17] há cerca de 12,000 anos atrás na Europa Central, no local fictício de Oros, um vale repleto de animais selvagens como mamutes e tigres-dente-de-sabre. A sobrevivência é um desafio diário, com conflitos entre tribos de humanos e com a natureza.[6]

Os jogadores controlam Takkar (Elias Toufexis) da tribo Wenja,[18][19] um caçador que ficou retido em Oros, sem armas e recursos e o único sobrevivente do seu grupo que foi atacado numa emboscada enquanto caçavam.[9] Com o seu poder de domesticar animais selvagens,[12][13] Takkar irá eventualmente tornar-se no predador alfa e ascender a líder de uma tribo.[10]

Produção[editar | editar código-fonte]

Em Novembro de 2014, o director criativo Alex Hutchinson declarou que Far Cry 4 não teria uma sequela, mas que estavam a planear algo que iria surpreender os jogadores.[21] Em Janeiro de 2015, a Ubisoft lançou um questionário que perguntava aos jogadoes qual seria o seu local preferido para um jogo Far Cry. O questionário tinha vários temas como vampiros, zombies, dinossauros, mundos pós-apocalípticos, conflitos históricos e localizações modernas como o Peru e o Alasca.[22][23]

Far Cry normalmente coloca-nos no limite de um mundo conhecido, numa fronteira selvagem, bela e sem lei. A Idade da Pedra é, de certa forma, a primeira grande fronteira da humanidade.”

Jean-Christophe Guyot, director criativo de Far Cry Primal.[24]

A 6 de Outubro de 2015, a Ubisoft manteve um video no YouTube para revelar o seu próximo projecto.[25] Acabou por ser anunciado um dia depois, apesar de ter escapado para a Internet pela IGN Turquia várias horas antes do anuncio oficial.[26] Far Cry Primal está a ser produzido pelo estúdio Ubisoft Montreal, com assistência de Ubisoft Toronto, Ubisoft Kiev e Ubisoft Shanghai.[6] O director criativo do jogo é Jean-Christophe Guyot, que já tinha trabalhado em vários jogos da série Prince of Persia.[27] A 3 de dezembro de 2015, Maxime Béland da Ubisoft referiu que Far Cry Primal é tão grande como Far Cry 4.[28] Far Cry Primal não tem qualquer componente multijogador, ao contrário dos anteriores jogos na série. Segundo Jason Paradise, gestor de comunidade na Ubisoft, a equipa tinha o desejo de se focar na criação da melhor experiência possível para os fãs, sendo que "na fase inicial do projecto, tomámos a difícil decisão de focar os nossos esforços na experiência para um jogador."[5]

Far Cry Primal usa o Dunia Engine 2, um motor baseado no CryEngine, criado pela Ubisoft Montreal para a série Far Cry.[2][3]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Conteúdo da Collector’s Edition.

Far Cry Primal foi lançado para PlayStation 4 e Xbox One a 23 de fevereiro de 2016 e para Microsoft Windows a 1 de março de 2016.[1][29] Todas as pré-reservas incluem o pacote "A Lenda do Mamute", com três missões extra que permitirá aos jogadores assumirem o papel de um mamute.[30] Os jogadores que pré-reservarem Far Cry Primal para Xbox One, recebem como bónus o jogo Valiant Hearts: The Great War.[31] Como forma de promoção, a Ubisoft criou o concurso "Uma Noite na Gruta". O vencedor do prémio será transportado para os Pirenéus, onde ficará hospedado num hotel em Lourdes e treinado por um perito em sobrevivência. No dia seguinte a companhia vai transportá-lo para uma gruta de "€500" onde passará uma noite, algures "num local não revelado em França".[32][33]

O jogo tem duas edições especiais: a Digital Apex, que apenas está disponível digitalmente, inclui vários conteúdos adicionais para se usar no jogo como missões e armas extra; e a Edição de Coleccionador que contém o conteúdo da anterior mas acrescenta itens físicos incluindo uma caixa de coleccionador, um steelbook, um mapa de Oros, um livro de frases de Wenja, que serve como guia para os jogadores aprenderem o idioma usado no jogo e a banda sonora original que contém também gravações em Wenja.[4]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Análises[editar | editar código-fonte]

 
Resenha crítica
Publicação Nota
Destructoid 7/10[34]
Electronic Gaming Monthly 7/10[35]
Forbes 8/10[36]
Game Informer 8.75/10[37]
GamesRadar 3 de 5 estrelas.[38]
Gamereactor 8/10[39]
Game Revolution 4 de 5 estrelas.[40]
GameSpot 8/10[41]
Hardcore Gamer 4/5[42]
IGN 7.9/10[43]
PC Gamer 79/100[44]
Polygon 8.5/10[45]
The Jimquisition 8.5/10[46]
Time 4/5[47]
Videogamer 7/10[48]
SuperGamePlay 8.5/10[49]
Pontuação global
Publicação Nota média
GameRankings (PS4) 76.83%[50]
(XONE) 81.25%[51]
Metacritic (PS4) 76/100[52]
(XONE) 79/100[53]
OpenCritic 77/100[54]

Far Cry Primal foi bem recebido pela critica profissional. No site de pontuações agregadas Metacritic, as versões PlayStation 4 e Xbox One tiveram 77/100 e 79/100, respectivamente, o que indica "análises geralmente favoráveis".[52][53] Muitos críticos acharam o jogo muito parecido com os anteriores, evoluindo pouco mas cumprindo com aquilo que é necessário. Os elogios foram sobretudo para com os gráficos e as novas ideias na jogabilidade, como o controlo dos animais selvagens. As criticas recaíram mais sobre a história, os vilões e as missões secundárias.

Bruno Galvão para o Eurogamer refere que provavelmente o maior problema de Far Cry Primal é que não é um jogo propriamente divertido, que cumpre o livro de regras dos AAA em mundo aberto, mas não consegue entusiasmar. Elogiou muito a qualidade gráfica dizendo "que muitas das vezes irá marcar a experiência". Criticou a história que "falha em cativar o jogador", e o mapa que apesar de ser imenso e rico, rapidamente sentiu que é muito similar a outros jogos. Também não gostou das tarefas secundárias que para além de serem inúmeras são repetitivas.[55] Ricardo C. Esteves do Gamreactor deu 8/10 a Primal e tem opinião semelhante ao dizer que o grande problema do jogo foi reciclar muito conteúdo de Far Cry 3 e 4, causando talvez alguma saturação nos jogadores. Elogiou a jogabilidade, as mecânicas com os animais e o desenho do mundo de Oros.[39] Andy Kelly do PC Gamer deu 79/100 ao jogo e tem opinião semelhante ao dizer que se o jogador passou algum tempo com Far Cry 3 ou 4 verá que o divertimento de Primal fica danificado devido à similaridade que tem com esses jogos. No entanto elogiou muito o mundo aberto referindo que é mais vivo que qualquer outro jogo da série e um dos melhores da Ubisoft.[44] Colm Ahern do God is a Geek deu a pontuação de 8.5/10 e elogiou o mundo, o uso de criaturas e a jogabilidade no geral, que apesar de ser boa peca nos combates por serem muito "esmagar nos botões". Ahern diz também que o jogo é muito familiar mas que os novos elementos são muito bem vindos.[56]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Far Cry Primal estreou-se em #1 nas tabelas de vendas do Reino Unido, ficando naquela posição nas duas primeiras semanas.[57][58]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
↑a :Com assistência de Ubisoft Toronto, Ubisoft Kiev e Ubisoft Shanghai.[6][59]
Fontes
  1. a b c d Giancarlo Varanini (6 de outubro de 2015). «"FAR CRY PRIMAL – ALMOST EVERYTHING IS TRYING TO KILL YOU"». Ubiblog. Ubisoft. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  2. a b Daniel Csaki (5 de dezembro de 2015). «"Ubisoft Releases Far Cry Primal Videos"». Press Examiner. Consultado em 22 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 23 de dezembro de 2015 
  3. a b Thomas Morgan (27 de janeiro de 2016). «"Digital Foundry: Jogámos Far Cry Primal"». Eurogamer. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  4. a b Sherif Saed (4 de dezembro de 2015). «"Far Cry Primal gets two collector's editions, PC release date pushed"». VG247. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  5. a b Bruno Galvão (6 de janeiro de 2016). «"Far Cry Primal sem multi-jogador foi decidido na fase inicial"». Eurogamer. Consultado em 7 de janeiro de 2016 
  6. a b c d Dyer, Mitch (7 de outubro de 2015). «"Far Cry Primal Announced With 2016 Release Date"». IGN. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  7. a b c Hussain, Tamoor (6 de outubro de 2015). «"Far Cry Primal Trailer, Release Date, Gameplay Details Officially Released"». GameSpot. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  8. a b c Kevin Dunsmore (26 de janeiro de 2016). «"Far Cry Primal Director Talks New Direction, Nature's Big Role"». Hardcore Gamer. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  9. a b c Cork, Jeff (6 de outubro de 2015). «"Far Cry's Creators Take The Series Back To The Stone Age"». Game Informer. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  10. a b c Frank, Allegra (6 de outubro de 2015). «Far Cry Primal revealed for 2016 release, watch the first trailer here». Polygon. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  11. Chalk, Andy (7 de outubro de 2015). «Far Cry Primal officially unveiled, coming in early 2016». PC Gamer. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  12. a b Brenna Hillier (7 de dezembro de 2015). «"Far Cry Primal: how to tame animals, new weapons, hunting and more"». VG247. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  13. a b Ian Higton (4 de dezembro de 2015). «"Watch: You can tame wild animals in Far Cry Primal"». Eurogamer. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  14. «"Use an owl to scout outposts in Far Cry Primal – new gameplay footage"». VG247. 4 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015 
  15. a b Zorine Te (26 de janeiro de 2016). «Far Cry Primal Developers Talk About Uncovering History». GameSpot. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  16. Tom Hoggins (26 de janeiro de 2016). «Far Cry Primal release date, new trailer and everything you need to know». The Telegraph. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  17. "We decided to settle on the Mesolithic time period" Jean-Christophe Guyot, Far Cry Primal - Behind-the-Scenes Development Video, IGN, 6-10-2015.
  18. Toufexis, Elias (6 de outubro de 2015). «"Yeah. I play the lead character in this bad boy. #FarCryPrimal"». Twitter Inc. Twitter. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  19. Aníbal Gonçalves (7 de outubro de 2015). «"PROTAGONISTA DE FAR CRY PRIMAL TERÁ A MESMA VOZ DE ADAM JENSEN"». IGN. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  20. «"Far Cry® Primal"». Steam. Valve Corporation. Consultado em 8 de janeiro de 2016 
  21. Crossley, Rob (10 de novembro de 2014). «Blood Dragon 2 Not Happening, Says Far Cry 4 Dev». GameSpot. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  22. Phillips, Tom (5 de janeiro de 2015). «Ubisoft polls public on future Far Cry settings». Eurogamer. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  23. Savage, Phil (5 de janeiro de 2015). «Ubisoft poll hints at future Far Cry settings». PC Gamer. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  24. Ray Carsillo (6 de outubro de 2015). «"Far Cry Primal announced as next entry in epic first-person survival series"». Electronic Gaming Monthly. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  25. Makedonski137, Brett (6 de outubro de 2015). «"Ubisoft has a mystery stream going to tease its next project"». Destructoid. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  26. Meer, Alec (6 de outubro de 2015). «Far Cry Primal Trailer: Fight Mammoths With Spears». Rock, Paper, Shotgun. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  27. Kietzmann, Ludwig (7 de outubro de 2015). «Far Cry Primal ditches guns for prehistoric arms». GamesRadar. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  28. Pereira, Chris (3 de dezembro de 2015). «Far Cry Primal Is as Big and as Long as Far Cry 4, Ubisoft Says». GameSpot. Consultado em 4-12- 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  29. Scammell, David (4 de dezembro de 2015). «Far Cry Primal releases on PC one week after PS4 & Xbox One». VideoGamer.com. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  30. Chris Mawson (6 de outubro de 2015). «"Pre-orders Open for Far Cry Primal; Official Box Art & Bonuses Revealed"». PowerUpGaming. Consultado em 7 de outubro de 2015 
  31. Eddie Makuch (2 de fevereiro de 2016). «"Far Cry Primal Xbox One Preorders Come With This Free Ubisoft Game"». GameSpot. Consultado em 3 de fevereiro de 2016 
  32. Luís Alves (18 de janeiro de 2016). «"Produtores de Far Cry Primal oferecem uma noite numa gruta"». Eurogamer. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  33. Tom Phillips (18 de janeiro de 2016). «"Far Cry Primal promotion invites you to sleep in a cave"». Eurogamer. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  34. Kyle MacGregor (22 de fevereiro de 2016). «Review: Far Cry Primal». Destructoid. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  35. Matt Buchholtz (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal review - Not exactly inventing the wheel». Electronic Gaming Monthly. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  36. Paul Tassi (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review: The Thrill Of The Hunt». Forbes. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  37. Jeff Cork (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal: Moving Forward By Looking Back». Game Informer. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  38. Joe Skrebels (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal review». GamesRadar. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  39. a b Ricardo C. Esteves (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal: Análise». Gamereactor. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  40. Matt Utley (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». Game Revolution. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  41. Mike Mahardy (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». GameSpot. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  42. Kevin Dunsmore (22 de fevereiro de 2016). «Review: Far Cry Primal». Hardcore Gamer. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  43. Luke Reilly (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». IGN. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  44. a b Andy Kelly (29 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». PC Gamer. Consultado em 1 de março de 2016 
  45. Justin McElroy (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». Polygon. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  46. Jim Sterling (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review – Queen Of The Stone Age». The Jimquisition. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2016 
  47. Matt Peckham (22 de fevereiro de 2016). «Review: Far Cry Primal Turns You Into a Superhero Caveman». Time. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  48. Simon Miller (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». Videogamer. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  49. Leandro Lamounier (6 de março de 2016). «Far Cry Primal review». SuperGamePlay. Consultado em 6 de março de 2016 
  50. «Far Cry Primal for PlayStation 4». GameRankings. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  51. «Far Cry Primal for Xbox One». GameRankings. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  52. a b «Far Cry Primal for PlayStation 4 Reviews». Metacritic. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  53. a b «Far Cry Primal for Xbox One Reviews». Metacritic. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  54. «Far Cry Primal Reviews». OpenCritic. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  55. Bruno Galvão (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry: Primal - Análise». Eurogamer. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  56. Colm Ahern (22 de fevereiro de 2016). «Far Cry Primal Review». God is a Geek. Consultado em 2 de março de 2016 
  57. Jorge Loureiro (7 de março de 2016). «Top Reino Unido: Far Cry Primal em primeiro mais uma semana». Eurogamer. Consultado em 7 de março de 2016 
  58. Tamoor Hussain (7 de março de 2016). «Far Cry Primal Remains Top of The UK Chart». GameSpot. Consultado em 7 de março de 2016 
  59. Bruno Galvão (6 de outubro de 2015). «"Far Cry Primal revelado oficialmente com imagens e vídeo"». Eurogamer. Consultado em 7 de outubro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]