Faras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Faras
Morte 535
Numídia
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação General
Principais trabalhos

Faras (em latim: Pharas; m. 535), dito o Heruliano, foi um comandante de forças hérulas leais ao Império Bizantino no século VI, que figurou brevemente na narrativa de Procópio das guerras do imperador Justiniano (r. 527–565).[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Soldo de Justiniano (r. 527–565)

Nada se sabe sobre as origens de Faras, exceto que veio duma família nobre. Foi descrito por Procópio como um homem forte e ativo, surpreendentemente confiável e sóbrio para um hérulo, que manteve boa disciplina entre aqueles que o seguiam.[2] É mencionado pela primeira vez em junho de 530, quando liderou 300 hérulos em apoio aos bizantinos na Batalha de Dara contra uma invasão persa.[3] Lá, inicialmente atuou como defensor contra a infantaria e cavalaria persa e então liderou um ataque flanqueado contra a retaguarda persa.[4][5]

Em 533, acompanhou o general Belisário em sua expedição contra o Reino Vândalo da África e no inverno de 533-534, interceptou e bloqueou nas montanhas Papua o rei vândalo Gelimero,[3][6] que estava tentando fugir da África à Hispânia após sofrer uma derrota na Batalha de Tricamaro. Faras lhe escreveu uma carta amigável na qual solicita sua capitulação, garantindo que seria tratado bem por Justiniano.[7]

Embora tenha inicialmente se recusado a se render tendo dito, segundo Procópio, para que Faras enviasse um pedaço de pão, uma espoja, e uma lira para fazer os meses de inverno em Papua mais suportáveis,[8] acabou cedendo e foi escoltado para Cartago.[9][10] Após a rendição de Gelimero, Faras presumivelmente manteve-se em atividade na Numídia. Ele esteve entre os juízes que foram assassinados pelo general rebelde Estotzas em 535.[11]

Referências

  1. Procópio de Cesareia século VI, I.V.6.17-22
  2. Martindale 1992, p. 1015-1016
  3. a b Martindale 1992, p. 1015
  4. «Excerpts describing the Heruls (Eruli) and related topics» (em inglês). Consultado em 15 de agosto de 2012. 
  5. Procópio de Cesareia século VI, p. I.XIII
  6. Hughes 2009, p. 106
  7. Stanhope 1829, p. 129
  8. Procópio de Cesareia século VI, p. I.IV.6.20
  9. Bury 1923, p. 138
  10. Hughes 2009, p. 107
  11. Martindale 1992, p. 1016

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bury, John Bagnell (1923). History of the Later Roman Empire: From the Death of Theodosius I to the Death of Justinian (Londres: MacMillan & Co). ISBN 0-486-20399-9. 
  • Martindale, John Robert; Arnold Hugh Martin Jones; J. Morris (1992). The Prosopography of the Later Roman Empire, Volume III: A.D. 527–641 (Cambridge: Cambridge University Press). ISBN 978-0-521-20160-5. 
  • Procópio de Cesareia (século VI). História das Guerras [S.l.: s.n.] 
  • Stanhope, Philip Henry (1829). The Life of Belisarius (Londres: Murray).