Fardado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Fardado"
Single de Titãs
do álbum Nheengatu
Lançamento 12 de maio de 2014
Gravação São Paulo, Fevereiro - Março de 2014
Gênero(s) Punk Rock
Duração 2:28
Gravadora(s) Som Livre
Composição Sérgio Britto, Paulo Miklos
Produção Rafael Ramos
Cronologia de singles de Titãs
"Porque Eu Sei que É Amor"
(2009)
"República dos Bananas"
(2015)

"Fardado" é um single da banda de rock Titãs, cantada e composta por Sérgio Britto. A música foi produzida por Rafael Ramos e uma prévia foi lançada em abril de 2014, como download digital junto com a pré-venda do álbum Nheengatu,[1] lançado dia 12 de maio de 2014.

A faixa faz críticas à polícia, e é vista por alguns como uma atualização de "Polícia", faixa presente no disco Cabeça Dinossauro, lançado pela banda em 1986 e que também criticava a corporação.[2][3]

Letra[editar | editar código-fonte]

O verso que abre a canção ("Você também é explorado - fardado!") foi inspirada em uma faixa vista durante as manifestações de junho de 2013 no Brasil, segurada por uma garota em frente a um batalhão da polícia militar, com os dizeres: "Fardado, você também é explorado".[4][5]

O guitarrista Tony Bellotto afirmou em entrevista que as faixas fazem críticas parecidas, embora tenham enfoques diferentes. Ele explicou:[2]

O tecladista, vocalista e baixista Sérgio Britto, co-autor da faixa, complementou explicando que a ideia da música é focar no fato de que policiais também são vítimas de exploração e, portanto, não deveriam reprimir manifestações de outros explorados.[2]

Em outra entrevista, ele afirmou:[6]

Em seu blog pessoal, ele publicou um texto de esclarecimento em resposta a críticas que teriam acusado a banda de fazer apologia ao crime ou de querer denegrir gratuitamente a imagem da corporação.[7]

Vídeo[editar | editar código-fonte]

O single recebeu um vídeo, dirigido por Oscar Rodrigues Alves, que codirigiu o documentário da história da banda, Titãs - A Vida Até Parece Uma Festa. Nele, os membros aparecem vestidos como palhaços em referência ao sentimento da população com seus direitos. A temática foi sugestão de Oscar, que queria que o vídeo apresentasse uma interpretação menos óbvia da letra, ou seja, sem referências diretas às manifestações de 2013.[8] A ideia das máscaras seria adotada posteriormente na turnê de divulgação do álbum.[9]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Fardado"  Sérgio Britto/Paulo Miklos 2:29

Créditos[editar | editar código-fonte]

Músico de apoio

Referências

  1. [1]
  2. a b c Del Ré, Adriana (21 de maio de 2014). «Titãs criam crônicas da sociedade atual conduzidas pelo rock pesado». O Estado de S. Paulo. Grupo Estado. Consultado em 22 de maio de 2014 
  3. Rodrigues, Leonardo (20 de maio de 2014). «Com os olhos no passado, Titãs lança o melhor disco em duas décadas». UOL Música. São Paulo: Grupo Folha. Consultado em 20 de maio de 2014 
  4. «Titãs viram palhaços para criticar a polícia no clipe de 'Fardado'». Amplificador. Grupo Globo. 6 de Junho de 2014. Consultado em 29 de Dezembro de 2014 
  5. «Titãs - Faixa a Faixa: Fardado (Álbum Nheengatu)». Canal oficial dos Titãs. YouTube. 19 de maio de 2014. Consultado em 20 de setembro de 2015 
  6. Teles, José (17 de maio de 2014). «Rock'n'roll babélico dos Titãs». Recife: Grupo JCPM. Jornal do Commercio 
  7. Britto, Séergio (18 de Junho de 2014). «Fardado». Sérgio Britto: Blog. Consultado em 29 de Dezembro de 2014 
  8. Eduardo, Bruno. «Titãs fala ao Rock On Board sobre novo disco e show no Circo Voador». Rock on Board. Consultado em 28 de Dezembro de 2014 
  9. Simões, Lucas (19 de junho de 2015). «O retorno dos bichos escrotos». O Tempo. Sempre Editora. Consultado em 5 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um single de Titãs é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.