Farmacognosia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A farmacognosia é um dos mais antigos ramos da farmacologia. Ela é praticada por farmacêuticos, e tem como alvo os princípios ativos naturais, sejam animais ou vegetais. O termo deriva de duas palavras gregas, pharmakon, ou droga, e gnosis ou conhecimento. A farmacognosia passou a ser obrigatória nas escolas de farmácia brasileiras a partir de 1920.

Objetivo[editar | editar código-fonte]

Estudo do uso, da produção, da história, do armazenamento, da comercialização, da identificação, da avaliação e do isolamento de princípios ativo, inativo ou derivados de animais e vegetais.

Droga (Farmacognosia)[editar | editar código-fonte]

Vegetal ou animal, no todo ou em partes, ou produtos derivados, que após se submeter ao processo de colheita, preparo, e conservação possam servir como matéria prima bruta para a obtenção de substâncias medicamentosas ou mesmo de substâncias que não possuindo atividade farmacológica, ainda assim sejam de interesse farmacêutico.

Áreas terapêuticas[editar | editar código-fonte]

Fitoterapia[editar | editar código-fonte]

Ramo da farmacognosia que utiliza-se de drogas de origem vegetal para o tratamento de doenças e infecções.

Opoterapia[editar | editar código-fonte]

Ramo da farmacognosia que utiliza-se de drogas de origem animal para o tratamento de doenças.

Sequência de etapas para a pesquisa farmacognósica[editar | editar código-fonte]

Levantamento de dados[editar | editar código-fonte]

  • Pesquisa bibliográfica.
  • Comparações com estudos de outros vegetais
  • Pesquisa etnobotânica.

Cultivo e habitat[editar | editar código-fonte]

  • Observação das condições climáticas.
  • Se o cultivo for artificial, deve-se favorecer condições parecidas com as naturais.

Coleta[editar | editar código-fonte]

  • Deve ser verificado o horário apropriado para evitar a perda de princípios ativos ou de interesse farmacológico.

Preparo[editar | editar código-fonte]

Lavagem: água ou água hipoclorada;
Mondagem: retirada da camada externa órgão;
Fragmentação (picar em tamanhos menores depois do processo de secagem).

Secagem[editar | editar código-fonte]

Retira o excesso de umidade no vegetal.

  • À sombra
  • À sol
  • Misto
  • Aquecimento
  • Circulação de ar
  • Aquecimento e circulação de ar
  • Vácuo
  • Esfriamento

Estabilização[editar | editar código-fonte]

São estratégias adotadas para evitar uma possível hidrólise ou inativação dos componentes.

  • Aquecimento com temperaturas maiores de 60 °C, por um tempo curto.
  • Utilização de solventes.
  • Irradiação UV.

Moagem[editar | editar código-fonte]

Diminui o tamanho da partícula de droga para facilitar seu transporte, armazenamento e embalagem.

Embalagem e armazenamento[editar | editar código-fonte]

O vegetal depois de seco ou estabilizado, tendo sido moído ou não, deve ser conservado em condições adequadas de pressão, umidade e temperatura.

Extração[editar | editar código-fonte]

Utiliza-se técnicas para isolar e retirar o princípio ativo desejado

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre farmácia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.