Faustina (esposa de Constâncio II)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Faustina
Imperatriz-consorte romana do oriente
Governo
Reinado 361
Consorte Constâncio II
Antecessor Eusébia
Helena
Sucessor Cárito
Dinastia Constantiniana
Vida
Floruit 360–366
Filhos Flávia Máxima Constância

Faustina foi uma imperatriz-consorte romana do oriente, terceira esposa do imperador Constâncio II. A principal fonte sobre ela é o relato de Amiano Marcelino[1] , mas nada se sabe sobre suas origens ou seus demais nomes.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Constâncio se casou com Faustina em Antioquia em 361 depois da morte de sua segunda esposa, Eusébia, em 360[1] . Amiano relata simplesmente que o casamento ocorreu quando ele passava o inverno na cidade num dos intervalos da guerra romano-persa[2] .

Ela estava grávida quando Constâncio morreu repentinamente em 5 de outubro do mesmo ano e deu à luz à filha póstuma dele, Flávia Máxima Constância, que se casaria futuramente com o imperador Graciano[1] .

Viúva[editar | editar código-fonte]

Em 28 de setembro de 365, Faustina estava presente quando Procópio recebeu o título de imperador em Constantinopla. A presença de Faustina e de sua filha pequena sugere que ele seria o herdeiro legítimo da Dinastia constantiniana, que ainda era tida em grande estima[1] e Amiano acredita que isto teria ajudado a fomentar a lealdade por sua causa:

Valente convocou suas tropas e, juntando-se a Lupicínio e uma poderosa força de auxiliares, se apressou para Pessiano, uma antiga cidade da Frígia, agora da Galácia. Tendo guarnecido de forma segura o local para que não sofresse nenhuma surpresa por ali, marchou seguindo o sopé de um grande monte chamado Olimpo e caminhos rochosos em direção à Lícia, planejando atacar Gomoário enquanto ele vagava por lá meio dormindo. Mas ele [Valente] foi recebido com uma resistência geral e obstinada, por esta razão em particular - que seu inimigo (como já foi mencionado), tanto na marcha e quando estava quase entrando em combate, levava consigo numa liteira a filha pequena de Constâncio e a mãe dela, Faustina; e, desta forma, inflamava as paixões dos soldados para que lutassem mais bravamente pela defesa da linhagem imperial, à qual ele [Procópio] alegava estar conectado
 
Amiano Marcelino, História[3] .

Depois da Batalha de Tiatira e a queda de Procópio em 366, Faustina desaparece dos registros históricos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Faustina (esposa de Constâncio II)
Nascimento: fl. 360 Morte: fl. 366
Títulos reais
Precedido por:
Eusébia
Imperatriz-consorte romana do oriente
361
Sucedido por:
Cárito
Precedido por:
Helena

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]