Fausto Bordalo Dias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fausto Bordalo Dias
OL
Informação geral
Nome completo Carlos Fausto Bordalo Gomes Dias
Nascimento 26 de novembro de 1948 (69 anos)
Local de nascimento Oceano Atlântico, registado em Vila Franca das Naves, Trancoso
Portugal Portugal
Género(s) música popular portuguesa, folk progressivo
Instrumento(s) vocal, guitarra acústica
Período em atividade 1969-actualidade
Afiliação(ões) José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire José Mário Branco ou Luís Cília

Fausto, nome artístico de Carlos Fausto Bordalo Gomes Dias[1] OL (Oceano Atlântico, registado em Trancoso, Vila Franca das Naves, 26 de novembro de 1948) é um compositor e cantor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Embora nascido a bordo do navio Pátria [2] [3], em viagem entre Portugal e Angola,Fausto Bordalo Dias foi registado em Vila Franca das Naves [4].

Foi na antiga província ultramarina portuguesa que formou a sua primeira banda, Os Rebeldes.[5]

À musicalidade da sua origem beirã, assimilou os ritmos africanos a que juntaria, mais tarde, os das suas origens lusas.

Aos 20 anos, em Lisboa, onde se instalou a fim de prosseguir os estudos — concluiu a licenciatura em Ciências Políticas e Sociais, no então denominado Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina, atual ISCSP — lançou o primeiro álbum, Fausto, com o qual venceu o Prémio Revelação em 1969.[5]

No âmbito do movimento associativo em Lisboa, aproximou-se de nomes como José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, juntamente com José Mário Branco ou Luís Cília, que viviam no exílio.[5]

No dia 8 de Julho de 1997, ofereceu um dos seus mais marcantes concertos, celebrando os 500 anos da partida de Vasco da Gama para a Índia, no mesmo dia em 1497, a convite da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses[6].

Autor de 12 discos, gravados entre 1970 e 2011 (dez de originais, uma compilação regravada e um disco ao vivo), é presentemente um importante nome da música portuguesa e da música popular em particular.

A sua obra tem sido revisitada por nomes como, entre outros, Mafalda Arnauth, Né Ladeiras, Teresa Salgueiro, Cristina Branco ou Ana Moura.

Discografia[5][editar | editar código-fonte]

Álbuns de originais[editar | editar código-fonte]

Singles e EPs[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Álbuns em colaboração[editar | editar código-fonte]

Prémios e Condecorações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lista de associados da Audiogest» (PDF). Actividades Culturais / Ministério da Cultura. 25 de Julho de 2007. Consultado em 3 de Janeiro de 2014. 
  2. a b Ribeiro, A. J. P. (2017). pareSeres da terra e a música popular portuguesa no Conservatório do Vale do Sousa. Revista Vórtex, 5(3), 1-20.
  3. http://cvc.instituto-camoes.pt/poemasemana/31/poetas_cantores1.html
  4. https://www.discogs.com/artist/1105030-Fausto-Bordalo-Dias
  5. a b c d e «Fausto (músico)». Infopédia. Consultado em 26 de Novembro de 2013. 
  6. http://fausto.blogtok.com/menu/1/8572/
  7. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Fausto Bordalo Dias". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 15 de abril de 2015. 
  8. a b https://espalhafactos.com/2012/02/28/vencedores-do-premio-autores-da-spa/
  9. «Fausto Bordalo Dias distinguido com Prémio Carreira pelo Festival Cantar Abril». SAPO Mag. Consultado em 3 de junho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.