Fausto Cercignani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fausto Cercignani em 2011.

Fausto Cercignani (Cagliari, em 21 de março de 1941) é um linguista, crítico literário, poeta e ensaísta italiano.

Atividade[editar | editar código-fonte]

Nascido de pais toscanos, Fausto Cercignani estudou em Milão, onde se formou em línguas e literaturas estrangeiras. Em 1983, depois de ensinar História da Língua Inglesa e Filologia Germânica em universidades de Bérgamo (1971-1974), Parma (1974-1975) e Pisa (1975-1983), ele retornou a Milão para continuar a sua atividade na Universidade de Milão.[1]

História da Língua Inglesa[editar | editar código-fonte]

No campo de estudos de língua inglesa, é reconhecido por suas pesquisas sobre Shakespeare. Os seus artigos sobre pronúncia inglesa na época de Shakespeare (publicados em “Studia Neophilologica”,[2] “English Studies”[3] e outros periódicos académicos) antecipar sua obra principal Shakespeare's Works and Elizabethan Pronunciation (Oxford, 1981),[4] que tem sido citado como «o melhor trabalho disponível» sobre o assunto.[5]

Filologia Germânica[editar | editar código-fonte]

No campo da Filologia Germânica, Fausto Cercignani escreveu sobre Germânico comum, Língua gótica, Inglês antigo e Língua alemã:

Crítica Literária[editar | editar código-fonte]

Exerce a crítica literária de vários autores famosos: Jens Peter Jacobsen,[6] Georg Trakl,[7] Georg Büchner,[8] Arthur Schnitzler,[9] Wolfgang Goethe,[10] Gotthold Ephraim Lessing,[11] Hugo von Hofmannsthal,[12] Rainer Maria Rilke,[13] Alban Berg,[14] E.T.A. Hoffmann,[15] Robert Musil,[16] Novalis,[17] Joseph Roth,[18] Franz Kafka,[19] Thomas Mann,[20] Friedrich Schiller[21] e Christa Wolf.[22]

Obras de Poesia[editar | editar código-fonte]

Todas as obras de poesia de Fausto Cercignani são recolhidas em Scritture. Poesie edite e inedite, Torino 2015.[23]

Experimenta a autotradução de textos literários.[24]

Referências

  1. Studi umanistici UNIMI - Curricula docenti: Fausto Cercignani.
  2. “Studia Neophilologica”, 43/2, 1971, 44/1, 1972.
  3. “English Studies”, 53/6, 1972, 56/6, 1975.
  4. F. Cercignani, Shakespeare's works and Elizabethan pronunciation, xxii, 432 p.
  5. Andrew Gurr, Other Accents: Some Problems in Identifying Elizabethan Pronunciation, EMLS 7.1/Special Issue 8 (May, 2001): 5.1-4.
  6. F. Cercignani - M. Giordano Lokrantz, In Danimarca e oltre. Per il centenario di Jens Peter Jacobsen, Milano, 1987.
  7. F. Cercignani, Studia Trakliana, Milano, 1989.
  8. F. Cercignani, Studia Büchneriana Milano, 1990.
  9. F. Cercignani, Studia Schnitzleriana, Alessandria, 1991.
  10. F. Cercignani, Il «Faust» goethiano. Forma e sostanza, em F. Cercignani - E. Ganni, Il «Faust» di Goethe, Milano, 1993, 21-38.
  11. F. Cercignani, «Nathan der Weise» tra fiaba e utopia em Studia theodisca I, 1994, 215-240.
  12. F. Cercignani, Hofmannsthal fra teatro e filosofia em A. Costazza, La filosofia a teatro, Milano, 2010.
  13. F. Cercignani, Spigolando tra Hofmannsthal e Rilke em Studia austriaca IV, 1996, 77-90.
  14. F. Cercignani, Il «Woyzeck» di Büchner e il «Wozzeck» di Berg, in F. Degrada, Wozzeck, Milano, Edizioni del Teatro alla Scala, 1997, 97-116.
  15. F. Cercignani, E. T. A. Hoffmann, Italien und die romantische Auffassung der Musik, em S. M. Moraldo, Das Land der Sehnsucht. E. T. A. Hoffmann und Italien, Heidelberg, 2002, 191-201.
  16. F. Cercignani, Robert Musil e il ritorno del merlo em Studia Austriaca IX, 2001, 143-176.
  17. F. Cercignani, Studia theodisca - Novalis, Milano, 2002.
  18. F. Cercignani, Dal ghetto galiziano a quello americano. Per una rilettura del Giobbe di Roth em M. G. Di Salvo et al., Nel mondo degli Slavi. Incontri e dialoghi tra culture, Firenze, 2008, I, 77-84.
  19. F. Cercignani, Vivere e domandare. Kafka e la ricerca della verità em Studia Austriaca XIII, 2005, 143-156.
  20. F. Cercignani, Rileggendo il «Tonio Kröger» em Studia Theodisca X, 2003, 51-81.
  21. F. Cercignani, Poesia filosofica o filosofia poetica? Con alcune osservazioni su Schiller em A. Costazza, La poesia filosofica, Milano, 2007, 163-170.
  22. F. Cercignani, Existenz und Heldentum bei Christa Wolf. «Der geteilte Himmel» und «Kassandra», Würzburg, 1988.
  23. F. Cercignani, Scritture. Poesie edite e inedite, 446 p.
  24. Ver, e.g., Simply Transcribed. Quotations from Writings by Fausto Cercignani, Brian Morris (ed.), Raleigh (USA), 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]